Língua kikuyu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kikuyu (Gĩkũyũ)
Outros nomes: gikuyu
Falado em: Quénia Quênia
Total de falantes: 5,347,000 (1994).1
Posição: 97ª mais falada
Família: Nigero-congolesa
 Atlântico-Congo
  Volta-Congo
   Benue-Congo
    Bantóide
     Meridional
      Bantu-estreito
       E
        Kikuyu
Códigos de língua
ISO 639-1: ki
ISO 639-2: kik
ISO 639-3: kik

A língua kikuyu (ou gikuyu, nome nativo gĩkũyũ) é uma língua bantu pertencente à família das línguas nigero-congolesas falada primariamente pelo povo kĩkũyũ do Quênia. Há aproximadamente 6 milhões de falantes do kikuyu (22% da população do Quênia),2 formando assim o maior grupo étnico desse país. A língua kikuyu é falada na zona entre Nyeri e Nairóbi. O kikuyu é uma das cinco línguas do subgrupo thagichu das línguas bantas que se estende do Quênia à Tanzânia. Os kikuyu distinguem suas terras pelos limites da cadeia de montanhas do Quênia Central, região que chamam de Kirinyaga ou 'a montanha brilhante'.

O kikuyu possui quatro dialetos mutuamente inteligíveis. Os distritos da Província Central são divididos são divididos de acordo com as tradicionais fronteiras dialetais, essas divisões são Kirinyaga, Muranga, Nyeri e Kiambu. Os kikuyus de Kirinyaga se dividem em dois subgrupos principais – os ndia e o gichũgũ que falam kĩ-ndia e gĩ-gĩcũgũ. Os gĩcũgũ's e os ndia's não possuem os sons "ch" ou "sh", e usam o som do "s" no lugar, então a pronúncia da palavra "gĩcũgũ" se opõe a "gĩchũgũ". O ndia é falado na cidade de Kerugoya a maior do distrito de Kirinyaga. Outras cidades habitadas pelos ndia, onde formas mais puras dessa língua são faladas, ficam na região do plantio de chá de Kagumo, e nas montanhas temperadas de Kangaita. Mais abaixo se encontra Kutus, uma cidade movimentada onde o ndia foi tão influenciado por outros dialetos que o tornam significativamente diferente.

O inconfundível som melódico do dialeto kikuyu gichugu (que soa como o embu, uma língua aparentada com o kikuyu) pode ser ouvido na zona cafeeira de Kĩanyaga, Gĩthũre, Kathũngũri e Marigiti. O kikuyu muda facilmente com a transição das terras altas para as outras áreas de Kirinyaga.

A divisão Mwea do distrito de Kirinyaga é habitada por uma mistura dos kikuyu com outras etnias, principalmente vindas de Kirinyaga, que chegaram à região em 1960 após a independência, ocupando o lugar dos kikuyu, cujas terras haviam sido tomadas pelos colonizadores.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Vogais[editar | editar código-fonte]

Frontal Central Anterior
Alta i u
Média-alta e (ĩ) o (ũ)
Média-baixa ɛ (e) ɔ (o)
Baixa a

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Bilabial Dental /
Alveolar
Palatal Velar Glotal
Plosiva Muda t (t) k (k)
Expressa prenasalizada mb (mb) nd (nd) ŋg (ng)
Africada ɲ (nj)
Nasal m (m) n (n) ɲ (ny) ŋ (ng)
Fricativa Muda ɸ θ ʃ h (h)
Expressa ɣ (g)
Líquida r (r)
Aproximante j (y) w (w)

Escrita[editar | editar código-fonte]

Alfabeto[editar | editar código-fonte]

O kikuyu é escrito com uma variante do alfabeto latino. Comparado ao português:

  • Não se usa as seguintes letras: f l p s v x z
  • Existem sete sons vocálicos, há um i e um u com um til em adição às simples a e i o u.

As letras do alfabeto kikuyu são: a b c d e g h i ĩ j k m n o r t u ũ w y

Alguns sons são representados por dígrafos como ng para o n velar (ŋ).

Literatura[editar | editar código-fonte]

Há uma notável literatura escrita em língua kikuyu. Por exemplo, o livro Mũrogi wa Kagogo (Mágico do corvo) de Ngugi wa Thiong'o é o maior livro escrito em uma língua sub-saariana. Outros autores que escrevem em kikuyu são Mwangi wa Mutahi e Gatua wa Mbugwa.

Refêrencias[editar | editar código-fonte]

  1. Accessed 2007/07/09
  2. CIA Factbook [1] retrieved on October 16 2007

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Gecaga B.M. and Kirkaldy-Willis W.H. 1953. English-Kikuyu, Kikuyu-English Vocabulary. Nairobi: The Eagle Press.
  • Leakey L.S.B. 1989. First Lessons in Kikuyu. Nairobi: Kenya Literature Bureau.
  • Mugane John 1997. A Paradigmatic Grammar of Gikuyu. Stanford, California: CSLI publications.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]