Little Caesar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Little Caesar
O Pequeno César (PT)
Alma no Lodo (BR)
Estados Unidos
1931 •  p&b •  79 min 
Direção Mervyn LeRoy
Roteiro Francis Edward Faragoh
Robert N. Lee
Robert Lord
Darryl F. Zanuck (não creditado)
Elenco Edward G. Robinson
Douglas Fairbanks, Jr.
Glenda Farrell
Género Policial
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Little Caesar (Alma no Lodo (título no Brasil) ou O Pequeno César (título em Portugal)) é um filme estadunidense de 1931 do gênero policial dirigido por Mervyn LeRoy para a Warner Bros. O roteiro foi adaptado por Francis Edward Faragoh, Robert N. Lee, Robert Lord e Darryl F. Zanuck (não creditado) do livro homônimo de William R. Burnett. O sucesso de Little Caesar deu um grande impulso a carreira de Edward G. Robinson, que se tornaria um dos mais famosos intérpretes de papéis de gângsters do cinema americano de ação.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Dois gângsters, Caesar Enrico Bandello, o "Rico", e seu amigo Joe Massara, vão para Chicago em busca de fortuna. Joe estava mais interessado em fama e mulheres e vai trabalhar como dançarino no clube de Arnie Lorch, onde se apaixona pela sua parceira Olga. Já o violento Rico se junta a gangue mafiosa de Sam Vettori e rapidamente toma o controle do bando e sobe na organização criminosa.

Rico força Joe a ajudá-lo a roubar o clube de Lorch e na ação o bandido mata um político anti-crime importante. Isso coloca na sua perseguição o implacável sargento da polícia Flaherty, que só precisa de uma prova para prender o bandido. Rico teme que Joe, que quer abandoná-lo e se dedicar a sua carreira artística, seja testemunha de Flaherti contra ele no caso de assassinato. E planeja silenciar Joe matando-o.

Indicação e homenagens[editar | editar código-fonte]

  • O filme foi indicado ao Óscar de Melhor Roteiro Adaptado.
  • Em 2000, Little Caesar foi selecionado para preservação pela Biblioteca do Congresso, por ser considerado relevante cultural, histórica e estilisticamente.
  • Em junho de 2008, o American Film Institute elegeu o filme como o nono entre os dez melhores filmes de gângsters do cinema americano.[1]

Referências

  1. «AFI's 10 Top 10». American Film Institute. 17 de junho de 2008. Consultado em 18 de junho de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]