Marcos Bagno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marcos Bagno
Nascimento Marcos Bagno
21 de agosto de 1961
Cataguases, Minas Gerais
Nacionalidade Brasileiro
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade de Brasília
Ocupação Professor, Escritor, filologista, linguista
Principais trabalhos
  • Gramática de bolso do português brasileiro
  • Preconceito linguístico: o que é, como se faz
Prémios
Género literário Poesia, Conto, Crônica
Movimento literário Modernismo e Movimento Armorial
Assinatura
AssinaturaMarcosBagno.jpg

Marcos Bagno (Cataguases, 21 de agosto de 1961) é um professor, doutor em filologia, linguista e escritor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É professor do Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução da Universidade de Brasília, doutor em filologia e língua portuguesa pela Universidade de São Paulo, tradutor, escritor com diversos prêmios e mais de 30 títulos publicados entre literatura e obras técnico-didáticas.[1] Atua mais especificamente na área de sociolinguística e literatura infanto-juvenil, bem como questões pedagógicas sobre o ensino de português no Brasil. Em 2012 sua obra: As Memórias de Eugênia recebeu o terceiro lugar do Prêmio Jabuti na categoria juvenil,[2] e no ano seguinte, o livro infantil Marcéu recebeu o Prêmio Literário da Fundação Biblioteca Nacional Glória Pondé na categoria juvenil.[3] Escreve uma coluna sobre questões de linguagem na revista Caros Amigos.[4]

Preconceito linguístico[editar | editar código-fonte]

Entre os temas recorrentes tratados pelo autor está o preconceito linguístico, sendo uma autoridade reconhecida no assunto, com entrevistas,[5] palestras e aulas magnas[6] ministradas em diversas instituições reconhecidas. Em 2011, o Ministério da Educação distribuiu para milhares de escolas públicas o livro Por uma Vida Melhor, no qual se defende o uso das variantes linguísticas. A ação foi criticada por parte da imprensa, mas defendida pelo autor.[7]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • A invenção das horas (contos) (1988)
  • O papel roxo da maçã (infantil) (1989)
  • Rua da Soledade (contos) (1995)
  • A Vingança da Cobra (Infanto-juvenil) (1995)
  • A Língua de Eulália (novela sociolinguística) (1997)
  • Pesquisa na escola: o que é, como se faz (1998)
  • Preconceito linguístico: o que é, como se faz (1999)
  • Dramática da língua portuguesa: tradição gramatical, mídia & exclusão social (2000)
  • Português ou brasileiro? Um convite à pesquisa (2001)
  • Norma linguística (org.) (2001)
  • Linguística da norma (org.) (2002)
  • Língua materna: letramento, variação & ensino (org.) (2002)
  • O espelho dos nomes (infantil) (2002)
  • A norma oculta: língua & poder na sociedade brasileira (2003)
  • Murucututu, a coruja grande da noite (infantil) (2005)
  • Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística (2007)
  • Não é errado falar assim! Em defesa do português brasileiro (2009)
  • As caraminholas de Barrigapé (infantil) (2009)
  • Vaganau (poesia) (2010)
  • Gramática: passado, presente e futuro (2010)
  • Gramática, pra que te quero? Os conhecimentos linguísticos nos livros didáticos de português (2011)
  • Festa no meu jardim (infantil) (2011)
  • O tempo escapou do relógio (infantil) (2011)
  • As memórias de Eugênia (romance) (2011)
  • Gramática pedagógica do português brasileiro (2012)
  • Conversa de gatos (infantil) (2012)
  • Gramática de bolso do português brasileiro (2013)
  • Sete erros aos quatro ventos: a variação no ensino de português (2013)
  • Marcéu (infantil) (2013)
  • Língua, linguagem, linguística (2014)
  • Pororoca, pipoca, paca e outras palavras do tupi (com Orlene L. S. Carvalho) (2014)
  • Gramática brasileña para hablantes de español (com Orlene L. S. Carvalho) (2015)

Referências

  1. Marcos, Bagno. «Quem é Marcos Bagno». Blog do Autor. Consultado em 25 de Abril de 2017 
  2. «Edições Anteriores - Prêmio 2012». Prêmio Jabuti. Consultado em 25 de abril de 2017 
  3. «LITERATURA JUVENIL • Prêmio Glória Pondé». Prêmio Literário Biblioteca Nacional. Biblioteca Nacional. 2013. Consultado em 25 de abril de 2017 
  4. Revista Caros Amigos, ano XVI, numero 190/2013.
  5. «Marcos Bagno - PNAIC UFSCar Entrevista». UFSCAR. 31 de maio de 2016. Consultado em 25 de abril de 2017 
  6. «Linguista Marcos Bagno profere aula magna dos cursos de Letras e TILSP». Centro de Educação e Ciências Humanas - UFSCAR. Consultado em 25 de abril de 2017 
  7. Klix, Tatiana (19 de maio de 2011). «Entenda a polêmica do livro que defende o "nós pega" na escola». Último Segundo - Educação. iG. Consultado em 25 de abril de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.