Missão Centenário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Missão Centenário nasceu de um acordo entre a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Agência Espacial da Federação Russa (Roscosmos) em 18 de outubro de 2005. O principal objetivo deste tratado seria enviar o primeiro brasileiro ao espaço, o tenente coronel aviador Marcos Pontes.[1]

O nome da missão é uma referência à comemoração do centenário do primeiro voo tripulado de uma aeronave, o 14 Bis de Santos Dumont, na Paris de 23 de outubro de 1906.

O veículo utilizado para o lançamento da missão foi a nave Soyuz TMA-8, da Roscosmos, e o seu lançamento aconteceu em 30 de março de 2006 (23h30 horário de Brasília) no Centro de Lançamento de Baikonur (Cazaquistão), tendo como destino a Estação Espacial Internacional (ISS).

Acordo bilateral para a missão[editar | editar código-fonte]

A missão centenário se tornou possível devido a um acordo assinado em outubro de 2005 entre Brasil e Rússia, sendo representantes destas a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Agência Espacial Federal Russa (Roscosmos).

Com isso, o astronauta Marcos Cesar Pontes passou a treinar na Cidade das Estrelas, centro de treinamento para cosmonautas próximo a Moscou.

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Lançamento da Soyuz TMA-8 com Jeffrey Williams, Pavel Vinogradov e Marcos Pontes em 30 de março de 2006

A espaçonave Soyuz TMA-8 transportando o tenente-coronel Marcos Pontes foi lançada às 23 horas e 30 minutos de 30 de março de 2006 (horário de Brasília, 8 horas e 30 minutos da manhã de 1 de abril de 2006 no horário do Cazaquistão). Além do astronauta brasileiro, faziam parte da tripulação o russo Pavel Vinogradov e o americano Jeffrey Williams, sendo estes dois membros da Expedition 13.

Quando Pavel Vinagrodov ligou a câmera da cabine para o Marcos Pontes durante o lançamento,ele inicialmente não sabia o que dizer pensou em acenar mais isso não expressava o que ele sentia, então ele apontou para a bandeira e então apontou para cima querendo dizer que estavam todos juntos mas pensou "Um momento.Apontar com um só dedo não da a impressão de 'juntos'!" por isso ele apontou com dois os mais atentos devem ter observado isso no video[2] A nave acoplou-se à Estação Espacial Internacional (ISS) na madrugada de sábado, dia 1 de abril.

Antes da entrada na Estação Espacial Internacional o protocolo internacional era:Pavel,Jeff e Marcos.Mas quando Pavel o viu com a bandeira do Brasil nas mãos o disse para entrar primeiro,Marcos o disse que talvez teria problemas então Pavel respondeu que quem estava entrando não era o Marcos na frente mas sim uma Nação interira e nem Pavel nem Jeff tem o direito de entrar antes de uma Nação.[3]

Os Experimentos[editar | editar código-fonte]

O Ten. Cel. Marcos Pontes realizou na ISS oito experimentos científicos, para que pudesse ser analisado o comportamento destes em um ambiente de microgravidade. Os experimentos realizados foram:

  1. Efeito da microgravidade na cinética das enzimas (FEI);
  2. Danos e reparos do DNA na microgravidade (UERJ e INPE);
  3. Teste de evaporadores capilares em ambiente de microgravidade (UFSC);
  4. Minitubos de calor (UFSC);
  5. Germinação de sementes em microgravidade (Embrapa);
  6. Nuvens de interação proteica (CenPRA/MCT);
  7. Germinação de sementes de feijão (Secretaria Municipal de Educação de São José dos Campos-SP);
  8. Cromatografia da clorofila (Secretaria Municipal de Educação de São José dos Campos-SP);

Os experimentos 7 e 8 da lista acima foram acompanhados por alunos de escolas de São José dos Campos por meio da Internet, enquanto realizavam os mesmos experimentos em terra.

Entrevistas[editar | editar código-fonte]

Presidente Lula durante videoconferência com o astronauta brasileiro, Marcos Pontes.

Durante sua estadia na ISS, Marcos Pontes concedeu algumas entrevistas por videoconferência.

No dia 3 de abril de 2006, foi transmitida a entrevista com homenagem a Santos Dumont, na qual Marcos Pontes usou um chapéu Panamá igual ao do inventor e um lenço com as siglas SD.

O Retorno[editar | editar código-fonte]

Tripulação de retorno da Soyuz TMA-7 após o pouso com o cosmonauta brasileiro

A Nave Soyuz TMA-7 trouxe na noite de 8 de abril de 2006 no horário de Brasília, o Ten. Cel. Marcos Pontes e mais outros dois astronautas da Expedition 12 (o russo Valery Tokarev e o americano William McArthur) que já estavam na ISS. O ponto de aterrissagem foi no Cazaquistão.

Para o resgate foram utilizados nove helicópteros russos MI-8, e a área do pouso foi no entorno da cidade Arclalic, num raio de 60 a 80Km de distância desta.

Após o retorno, os três astronautas passaram por um período de readaptação à gravidade.

Duração total da missão[editar | editar código-fonte]

Marcos Pontes realizou 155 órbitas e a duração total de sua missão foi de 9 dias, 21 horas e 17 minutos.

Atos comemorativos[editar | editar código-fonte]

Discurso de Sergio Gaudenzi durante o lançamento de selo e medalha comemorativas.

Como celebração desta missão ter sido a primeira a levar um astronauta brasileiro ao espaço, assim como ser uma homenagem ao centenário do primeiro voo de uma aeronave mais pesada que o ar de Santos Dumont, foram lançados selos e uma medalha.

Críticas[editar | editar código-fonte]

A missão recebeu críticas por parte da comunidade científica, como da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), segundo a qual o dinheiro investido na missão deveria ser utilizado para a capacitação de pessoal, assim como investido em outros tipos de pesquisas científicas. Além disso, relatam o não cumprimento da participação brasileira na construção da ISS.

A Agência Espacial Brasileira rebate essas críticas, informando que nunca o programa espacial teve tanta visibilidade na imprensa, o que possibilitaria no futuro maior alocação de verbas para a exploração espacial. Além disto, a missão poderá incitar às crianças maior desejo de estudar e seguir a carreira científica.

Outros críticos denunciaram o uso político e tacharam a viagem ao espaço de Turismo espacial.[carece de fontes?]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Missão Centenário. Agência Espacial Brasileira (7 de março de 2006). Arquivado do original em 10 de abril de 2006.
  2. Pontes, Marcos. Missão Cumprida: A História completa da primeira missão espacial brasileira (em português). 1 ed. [S.l.]: McHilliard, 2011. Capítulo: 64. , 559 p. p. 266 e 267. ISBN 978-85-65213-01-2
  3. Pontes, Marcos. Missão Cumprida: A História completa da primeira missão espacial brasileira (em português). 1 ed. [S.l.]: McHilliard, 2011. Capítulo: 69. , 559 p. p. 285. ISBN 978-85-65213-01-2

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Missão Centenário
Ícone de esboço Este artigo sobre exploração espacial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.