National Treasure

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
National Treasure
No Brasil A Lenda do Tesouro Perdido
Em Portugal O Tesouro
 Estados Unidos
2004 •  cor •  131[1] min 
Direção Jon Turteltaub
Produção Jerry Bruckheimer
Jon Turteltaub
Produção executiva Oren Aviv
Chad Oman
Charles Segars
Christina Steinberg
Mike Stenson
Barry Waldman
Roteiro Jim Kouf
Cormac Wibberley
Marianne Wibberley
História Jim Kouf
Oren Aviv
Charles Segars
Elenco Nicolas Cage
Harvey Keitel
Jon Voight
Diane Kruger
Sean Bean
Justin Bartha
Christopher Plummer
Gênero filme de aventura
filme de ação
filme de suspense
Música Trevor Rabin
Cinematografia Caleb Deschanel
Direção de arte Norris Spencer
Figurino Judianna Makovsky
Edição William Goldenberg
Companhia(s) produtora(s) Walt Disney Pictures[2]
Jerry Bruckheimer Films[2]
Junction Entertainment[2]
Saturn Films[2]
Distribuição Buena Vista Pictures[2]
Lançamento Estados Unidos 19 de novembro de 2004
Portugal 9 de dezembro de 2004
Brasil 31 de dezembro de 2004[3][4][5]
Idioma língua inglesa
Orçamento US$100 milhões[6]
Receita US$347,512,318[6]
Cronologia
National Treasure: Book of Secrets (2007)
Página no IMDb (em inglês)

National Treasure (bra: A Lenda do Tesouro Perdido;[7] prt: O Tesouro[8]) é um filme de aventura estadunidense de 2004 lançado pela Walt Disney Pictures. Foi escrito por Jim Kouf e Cormac e Marianne Wibberley, produzido por Jerry Bruckheimer e dirigido por Jon Turteltaub. É o primeiro filme da série de filmes National Treasure e é estrelado por Nicolas Cage, Harvey Keitel, Jon Voight, Diane Kruger, Sean Bean, Justin Bartha e Christopher Plummer.

Cage interpreta Benjamin Franklin Gates, historiador e criptologista amador que procura um tesouro perdido de metais preciosos, jóias, obras de arte e outros artefatos que foram acumulados em um enorme estoque e eventualmente ocultados pelos maçons americanos durante a Guerra Revolucionária Americana.[9] Um mapa codificado na parte de trás da Declaração de Independência aponta para a localização do "tesouro nacional", mas Gates não está sozinho em sua busca. Quem puder roubar a Declaração e decodificá-la primeiro encontrará o maior tesouro da história americana.[1][10]

National Treasure foi lançado mundialmente em 19 de novembro de 2004.[11] O filme recebeu críticas mistas dos críticos de cinema, mas foi um sucesso de bilheteria, arrecadando mais de 347 milhões de dólares em todo o mundo.[6]

Uma sequência, intitulada National Treasure: Book of Secrets, foi lançada em 21 de dezembro de 2007.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Benjamin Franklin Gates é um historiador estadunidense, criptologista e caçador de tesouros. Quando criança, seu avô, John Adams Gates, contou-lhe uma história de que Charles Carroll de Carrollton, transmitiu um segredo a seu ancestral em 1832, sobre um lendário tesouro retirado de impérios antigos ao longo da história, descoberto pelos Cavaleiros Templários e posteriormente protegido pelos maçons. O tesouro acabaria por ser escondido na América pelos Pais Fundadores dos Estados Unidos.[1] A pista que leva ao tesouro é a frase "O segredo está com Charlotte". Enquanto Ben é convencido pela história, seu pai cético, Patrick, descarta isso como um absurdo.[2]

Trinta anos depois, Ben lidera uma expedição com Ian Howe e seu amigo, Riley Poole, um especialista em computadores, para encontrar o Charlotte, um navio perdido no Ártico, que detém a primeira pista para encontrar o tesouro nacional.[12][1] Depois de muitos esforços, eles encontram um cachimbo Meerschaum, que tem uma pista na forma de um enigma, o que implica que a próxima pista está na Declaração de Independência. Quando Ian sugere que eles roubem, Ben se opõe, causando uma briga, resultando em um grande incêndio alimentado por pólvora, e o grupo se divide em dois. Ian e seus homens escapam do navio, enquanto Ben e Riley se escondem pouco antes de o navio explodir.

Ben e Riley retornam a Washington, D. C., e relatam o possível roubo da Declaração ao FBI e à Dra. Abigail Chase, do Arquivo Nacional, mas ambos negam provimento ao pedido.[2] Ben decide roubar o documento ele mesmo da sala de preservação dos Arquivos durante um evento de gala. Obtendo as impressões digitais de Abigail, Ben obtém a Declaração com sucesso, mas é avistado pelo grupo de Ian no momento em que eles a roubam. Ben tenta sair pela loja de souvenirs mas precisa comprar a Declaração quando o funcionário a confunde com uma cópia de lembrança; não tendo dinheiro suficiente na mão na época, Ben paga com cartão de crédito. Abigail, suspeitando que algo está errado, persegue Ben e pega de volta o documento. Ian a seqüestra, mas Ben e Riley resgatam Abigail, enganando Ian, deixando para trás uma cópia da Declaração. O agente do FBI Sadusky começa a rastrear Ben, usando as informações do cartão de crédito de Ben.

Incapaz de voltar para casa, o trio vai para a casa de Patrick para ficarem escondidos. Patrick tenta convencer Ben de que o tesouro é um mito, que Ben descarta. O trio estuda a Declaração e descobre um código Ottendorf escrita em tinta invisível.[13] Com a ajuda do suco de limão e um pouco de calor de um secador de cabelo,[14] eles descobrem que o código oculto se refere às cartas de Mrs. Silence Dogood, escritas por Benjamin Franklin com este pseudônimo a seu irmão, James Franklin, para o jornal The New-England Courant, que Patrick possuía anteriormente, mas doou para o Instituto Franklin. Usando um estudante para adquirir as palavras-chave das letras, Ben, Riley e Abigail descobrem uma mensagem apontando para a torre sineira do Independence Hall, onde o Sino da Liberdade uma vez ficou.[15] Infelizmente, Ian e seus homens também conseguem encontrar e questionar o aluno e seguir a nova liderança. Seguindo o ponto na parede oposta da casa do sino, onde a sombra projetava exatamente às 14h22 do mesmo dia, Ben encontra um esconderijo contendo um par de óculos com várias lentes coloridas inventadas por Benjamin Franklin,[13] que, quando usado para ler o verso da Declaração, revela uma pista apontando para o símbolo da Igreja da Trindade, localizada entre Wall Street e Broadway na cidade de Nova Iorque.[15]

O grupo é perseguido pelos associados de Ian. Ben é preso pelo FBI, Abigail e Riley perdem a Declaração para Ian. No entanto, Abigail convence Ian a ajudá-los a resgatar Ben em troca da próxima pista. Ian concorda, organizando uma reunião no USS Intrepid,[16][17] onde eles ajudam Ben a fugir do FBI.

Ian retorna a Declaração e pede a próxima pista, mas quando Ben permanece calado, Ian revela que sequestrou Patrick como refém. Eles entram na Igreja da Trindade, onde se sentam e estudam a parte de trás da Declaração de Independência, usando as diferentes lentes que resultam na descoberta de uma passagem subterrânea conhecida como Parkington Lane, mas parece levar a um beco sem saída, iluminado por uma solitária lanterna. Patrick afirma que está fazendo referência ao passeio da meia-noite de Paul Revere, apontando Ian para a Old North Church em Boston. Ian deixa Gates preso na câmara para morrer, indo para Boston. Patrick revela que a pista era uma farsa e entra na sala do tesouro usando as pistas que eles reuniram em sua jornada, mas parece saqueada. Depois eles encontram um entalhe no qual o cachimbo Meerschaum se encaixa e abrem uma grande câmara contendo o tesouro e escapam pela saída dos fundos. Ben entra em contato com Sadusky e acha que ele é um maçom moderno pelo selo em seu anel, entregando a Declaração e a localização do tesouro em troca de clemência. Ian e seus homens são presos mais tarde quando Ben avisa o FBI.

Mais tarde, Ben e Abigail começaram um relacionamento. Enquanto isso, Riley está chateado porque Ben recusou a taxa de 10% para o tesouro, mas aceitou uma quantia muito menor de apenas 1%, o que ainda lhes rendeu uma riqueza significativa. Enquanto Riley se afasta em uma Ferrari de Ben, e a casa recém-comprada de Abigail, Abigail dá a Ben um mapa do tesouro. Quando Ben pergunta a ela onde o mapa leva, Abigail simplesmente responde: "Você vai descobrir".

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Nicolas Cage .... Benjamin Franklin Gates:[18]
    um caçador de tesouros e criptologista americano.
  • Sean Bean .... Ian Howe:
    um empresário e caçador de tesouros que é ex-amigo de Benjamin Gates.[19]
  • Harvey Keitel .... Agente Peter Sadusky:
    um agente especial do FBI encarregado do roubo da Declaração de Independência.
  • Jon Voight .... Patrick Henry Gates:
    um ex-caçador de tesouros e pai de Benjamin Gates.
  • Justin Bartha .... Riley Poole:
    especialista em computadores sarcástico e melhor amigo de Benjamin Gates.
  • Diane Kruger .... Dr. Abigail Chase:
    arquivista do Arquivo Nacional que ajuda Benjamin Gates na caça ao tesouro.
  • Christopher Plummer .... John Adams Gates:
    o pai de Patrick Gates e o avô de Benjamin Gates.
  • Hunter Gomez .... jovem Benjamin Gates
  • Jack Koenig .... jovem Charles Carroll

Além disso, David Dayan Fisher aparece como Shaw, Stewart Finlay-McLennan como Powell, Oleg Taktarov como Victor Shippen, e Stephen Pope como Phil McGregor (todos os quatro são capangas de Ian); Annie Parisse, Mark Pellegrino, Armando Riesco, e Erik King interpretam os agentes Johnson, Dawes, Hendricks, e Colfax, respectivamente. Jason Earles interpreta Thomas Gates.

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

No início de 1999, foi revelado que Jon Turteltaub estava desenvolvendo National Treasure com base em uma idéia desenvolvida por Oren Aviv e Charles Segars em 1997, com o roteiro escrito por Jim Kouf.[20] Em 2001, o projeto foi realocado para a Touchstone Pictures.[21]

Cenário para as câmaras subterrâneas sob a Igreja da Trindade

Em maio de 2003, Nicolas Cage foi escalado para protagonizar o filme.[22] Novos rascunhos foram escritos por nove escritores, incluindo Cormac e Marianne Wibberley,[22] E. Max Frye e Jon Turteltaub.[22] Em outubro, Sean Bean foi escalado.[19]

Locações[editar | editar código-fonte]

National Treasure foi filmado principalmente em Washington, Nova Iorque, Filadélfia e Utah.[23][24][25][26] A maioria das cenas foi filmada no local, com as exceções da cena do Independence Hall, que foi filmada na réplica do Independence Hall, na Knott's Berry Farm,[27][26][11] e a cena do Ártico, que foi filmada em Utah.[23][26]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

National Treasure
Trilha sonora de Trevor Rabin
Lançamento 16 de novembro de 2004
Gravação 2004
Gravadora(s) Hollywood
Produção Trevor Rabin

Todas as letras escritas por Trevor Rabin[1][28]

N.º Título Duração
1. "National Treasure Suite"   3:17
2. "Ben"   4:03
3. "Finding Charlotte"   1:04
4. "Library of Congress"   2:27
5. "Preparation Montage"   4:53
6. "Arrival at National Archives"   1:54
7. "The Chase"   4:22
8. "Declaration of Independence"   1:43
9. "Foot Chase"   3:34
10. "Spectacle Discovery"   3:18
11. "Interrogation"   4:30
12. "Treasure"   3:39

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

National Treasure ganhou US$11 milhões em seu dia de abertura nos Estados Unidos, à frente de The SpongeBob SquarePants Movie (que ganhou US$9,559,752).[29][30] Ele arrecadou um total combinado de US$35,142,554 durante seu fim de semana de abertura, em 4,300 telas em 3,243 cinemas, com média de US$11,648 por local, novamente à frente do filme The SpongeBob SquarePants Movie.[31][32][33][34][35] O filme teve o melhor fim de semana de abertura de um filme da Disney lançado em novembro, até ser superado por Chicken Little em 2005. Ele se manteve no primeiro lugar por três fins de semana.[36] O filme foi encerrado em 2 de junho de 2005, com um valor bruto doméstico de $173,008,894, enquanto ganha US$174,503,424 internacionalmente. Em todo o mundo, National Treasure arrecadou mais de US$347,512,318, em um orçamento de US$100 milhões.[6]

Resposta da crítica[editar | editar código-fonte]

O filme recebeu críticas mistas dos críticos, alguns dos quais o elogiaram como uma aventura familiar divertida e direta, enquanto outros ridicularizaram suas inúmeras implausibilidades e reviravoltas inacreditáveis.[13][37][38][39][40][41] O filme possui atualmente um índice de aprovação de 46% no Rotten Tomatoes com base em 177 críticas, com uma classificação média de 5,3/10. O consenso do site diz: "National Treasure não é um tesouro, mas é um passeio divertido para quem pode perdoar sua trama altamente improvável".[42] Em Metacritic, o filme tem uma pontuação de 39 em 100, baseado em 35 críticos, indicando "críticas geralmente desfavoráveis".[43] As audiências consultadas pelo CinemaScore deram ao filme uma nota média de "A−" na escala A+ a F.[44]

Roger Ebert deu a National Treasure duas estrelas (em quatro), chamando-o "tão bobo que a versão Monty Python poderia usar o mesmo roteiro, linha por linha".[45] Acadêmico David Bordwell manifestou um gosto para o filme, colocando-o na tradição dos filmes de aventura infantil da Walt Disney Pictures dos anos 50,[46] e usando-o como base para um ensaio sobre transições de cenas no cinema clássico de Hollywood.[47]

Lançamentos de vídeos domésticos[editar | editar código-fonte]

Uma edição especial para colecionadores, conjunto de dois discos em DVD do filme, foi lançado em 18 de dezembro de 2007. O conjunto apresenta cenas excluídas e conteúdo bônus.[48]

Disco Blu-ray[editar | editar código-fonte]

Walt Disney Studios Home Entertainment lançou versões em Blu-ray Disc de National Treasure e sua sequência, National Treasure: Book of Secrets, em 20 de maio de 2008.[49]

Sequências[editar | editar código-fonte]

National Treasure: Book of Secrets[editar | editar código-fonte]

Embora o comentário em DVD tenha declarado que não havia planos para uma sequência, a bilheteria do filme, com US$347,5 milhões inesperados em todo o mundo, justificava um segundo filme, que recebeu luz verde em 2005.[11] National Treasure: Book of Secrets foi lançado em 21 de dezembro de 2007.

National Treasure 3[editar | editar código-fonte]

Em 2008, o diretor Jon Turteltaub disse que a equipe de filmagem levaria seu tempo para outra sequência de National Treasure,[50] mas a Disney já registrou os domínios para NationalTreasure3.com e NationalTreasure4.com.[51] Apesar de o segundo filme terminou com a pergunta sobre a página 47 de livro de segredos do Presidente, Turteltaub respondeu em uma entrevista coletiva que a idéia não foi gravada na pedra como base para a National Treasure 3.[52] Em outubro de 2013, Turteltaub confirmou que o estúdio, ele próprio, o produtor Jerry Bruckheimer e os atores, todos querem fazer o terceiro filme, dizendo: "Queremos fazer o filme, a Disney quer fazer o filme. Estamos apenas tendo o maior tempo para escrever. Aposto que dentro de dois anos estaremos filmando esse filme. Diria que estamos na metade do caminho".[53] Em maio de 2016, Nicolas Cage confirmou que o filme ainda estava em processo de escrita,[54] e em julho de 2018, Turtletaub reiterou que um roteiro para um possível terceiro filme estava "próximo", mas a Disney ainda não foi completamente convencida pela ideia.[55][56]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Mario "Fanaticc" Abbade (30 de dezembro de 2004). «A Lenda do Tesouro Perdido». Omelete. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  2. a b c d e f g Scott Foundas (18 de novembro de 2004). «National Treasure». Variety. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  3. Igor Galante (31 de dezembro de 2004). «A Lenda do Tesouro Perdido estréia em RP». Diário da Região. Consultado em 11 de novembro de 2019 
  4. CINEMA/ESTRÉIA O mapa da mina (31 de dezembro de 2004). «CINEMA/ESTRÉIA O mapa da mina». Folha de Londrina. Consultado em 11 de novembro de 2019 
  5. «Nicolas Cage vira herói na caça ao tesouro». Estadão. 31 de dezembro de 2004. Consultado em 11 de novembro de 2019 
  6. a b c d «Box office statistics for National Treasure (2004)». Box Office Mojo. Consultado em 27 de novembro de 2013 .
  7. A Lenda do Tesouro Perdido (em português) no AdoroCinema
  8. O Tesouro (em português) no CineCartaz (Portugal)
  9. «"National Treasure": Freemasons, Fact, and Fiction». National Geographic. 19 de novembro de 2004. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  10. Érico Borgo (17 de março de 2005). «A lenda do tesouro perdido terá continuação». Omelete. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  11. a b c Billy Nilles (19 de novembro de 2019). «15 Top-Secret Facts About the National Treasure Franchise». E!. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  12. «A Lenda do Tesouro Perdido». Cineweb. 16 de dezembro de 2004. Consultado em 11 de dezembro de 2019 
  13. a b c Stephen Holden (19 de novembro de 2004). «A Secret Treasure Map That Ends in Manhattan». The New York Times. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  14. Marcelo Bernardes (29 de dezembro de 2004). «A lenda do tempo perdido». Época. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  15. a b Kirk Honeycutt (30 de dezembro de 2004). «ESTRÉIA-Nicolas Cage sai em busca da "Lenda do Tesouro Perdido"». UOL. Consultado em 11 de dezembro de 2019 
  16. «Intrepid Shines On Silver Screen». CBS News. 12 de junho de 2009. Consultado em 11 de novembro de 2019 
  17. David Mace (3 de dezembro de 2015). «Saving History in the Water». Agência Federal de Gestão de Emergências. Consultado em 11 de novembro de 2019 
  18. Vitale, Simona. «Il mistero dei Templari - National Treasure, trama e cast del primo film con Nicolas Cage». Mondo Fox (em italiano). Fox Networks Group. Consultado em 12 de maio de 2018 
  19. a b Feiwell, Jill; Harris, Dana (13 de outubro de 2003). «Sean Bean». Variety. Consultado em 4 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2016 
  20. Cox, Dan; Carver, Benedict (22 de fevereiro de 1999). «'Treasure' found». Variety. Consultado em 5 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2016 
  21. Fleming, Michael (31 de julho de 2001). «Helmer digs for 'Treasure'». Variety. Consultado em 5 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2016 
  22. a b c Fleming, Michael (27 de maio de 2003). «Cage unearths 'Treasure'». Variety. Consultado em 5 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2016 
  23. a b James Jennings (9 de dezembro de 2014). «The Ultimate National Treasure Filming Map of America». Curbed Philly. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  24. «National Treasure Film Locations». otsoNY. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  25. «National Treasure». MovieLoci. Consultado em 11 de novembro de 2019 
  26. a b c «National Treasure». Movie-Locations. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  27. «Presenting the Facts: National Treasure». Universidade Harvard. 19 de dezembro de 2016. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  28. Mike Brennan (2 de fevereiro de 2015). «National Treasure». Soundtrack. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  29. «Daily Box Office for Friday, 19 de novembro de 2004». Box Office Mojo. 2004 
  30. Duong, Senh (20 de novembro de 2004). «BOX OFFICE: Friday Estimates - 1. ?Treasure? $11M, 2. ?Square pants? $9.4M». Rotten Tomatoes. Consultado em 18 de agosto de 2013 
  31. «November 19-21, 2004 Weekend». Box Office Mojo. Consultado em 18 de agosto de 2013 
  32. Gray, Brandon (22 de novembro de 2004). «'National Treasure,' 'SpongeBob' Clean Up». Box Office Mojo. Consultado em 18 de agosto de 2013 
  33. «SpongeBob squeezed at box office». BBC. 22 de novembro de 2004. Consultado em 18 de agosto de 2013 
  34. Peterson, Todd (22 de novembro de 2004). «Treasure Makes Bank at the Box Office». People. Consultado em 18 de agosto de 2013 
  35. «Cage 'espreme Bob Esponja' na bilheteria». Folha de São Paulo. 23 de novembro de 2004. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  36. «"A Lenda do Tesouro Perdido" continua em 1º nos cinemas dos EUA». Folha de São Paulo. 7 de dezembro de 2004. Consultado em 8 de dezembro de 2019 
  37. Lisa Schwarzbaum (19 de novembro de 2004). «National Treasure». Entertainment Weekly. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  38. Marc Savlov (19 de novembro de 2004). «National Treasure». The Austin Chronicle. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  39. Stella Papamichael (25 de dezembro de 2004). «National Treasure». BBC. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  40. Philip French (26 de dezembro de 2004). «National Treasure». The Guardian. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  41. William Thomas. «National Treasure Review». Empire. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  42. «National Treasure». Rotten Tomatoes. Consultado em 27 de novembro de 2013 
  43. «National Treasure». Metacritic. Consultado em 23 de maio de 2015 
  44. «CinemaScore». cinemascore.com 
  45. Ebert, Roger. «National Treasure». Chicago Sun-Times 
  46. Bordwell, David (5 de janeiro de 2008). «Your trash, my Treasure». Consultado em 27 de novembro de 2013 
  47. Bordwell, David (janeiro de 2008). «The Hook: Scene Transitions in Classical Cinema». Consultado em 27 de novembro de 2013 
  48. «Collectors Edition». dvdmg.com. Consultado em 8 de março de 2018 
  49. «Walt Disney Studios Home Entertainment Announces the Disney Blu-Ray Title Wave Coming 2008». High-Def Digest. 17 de agosto de 2007. Consultado em 27 de setembro de 2007 
  50. Kirkland, Bruce (30 de maio de 2008). «'National Treasure 3' in works». Jam!. Canadá: Canoe 
  51. Sciretta, Peter (1 de fevereiro de 2008). «Disney Plans For National Treasure 3 & 4». SlashFilm. Consultado em 27 de novembro de 2013. Arquivado do original em 7 de julho de 2010 
  52. «National Treasure 3: Page 47». Hits USA. 22 de dezembro de 2007 
  53. Franklin, Garth (22 de outubro de 2013). «A "National Treasure 3" Is On The Way?». Dark Horizons 
  54. «'National Treasure 3': Nic Cage Says the Writers Are Still Fact-Checking». 25 de maio de 2016 
  55. Alyssa Fikse (30 de julho de 2018). «The Director Of 'National Treasure' Explains Why We Haven't Gotten A Third Movie Yet». Uproxx. Consultado em 30 de julho de 2018 
  56. Victor Nascimento (7 de março de 2019). «A Lenda do Tesouro Perdido 3 ainda pode acontecer, diz chefe da Disney». Observatório da Televisão. Consultado em 10 de dezembro de 2019 

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.