Neoconservadorismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.

Neoconservadorismo (ou neocon) é uma corrente da filosofia política que surgiu nos Estados Unidos a partir da rejeição do liberalismo social, relativismo moral e da contracultura da Nova Esquerda dos anos sessenta.

O neoconservadorismo influenciou os governos de Ronald Reagan e George W. Bush[1], representando um realinhamento da política estadunidense e a conversão de alguns membros da esquerda para a direita no espectro político.[2]

O neoconservadorismo estadunidense enfatiza a política externa como aspecto mais importante nas responsabilidades de um governo, com o fim de manter o papel dos Estados Unidos como única superpotência, condição indispensável para a manutenção da ordem mundial.[3] O primeiro neoconservador declarado foi Irving Kristol, que explicitou sua condição em um artigo de 1979, intitulado Confessions of a True, Self-Confessed 'Neoconservative' ("Confissões de um Verdadeiro, Confesso Neoconservador").

Ronald Reagan foi uma importante figura do neoconservadorismo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. A influência do pensamento neoconservador na política externa de George W. Bush Unesp
  2. Dionne, E.J., Why Americans Hate Politics. New York, Simon & Schuster, 1991; pp.55-61 ISBN 0-671-68255-5
  3. McGowan, J. American Liberalism: An Interpretation for Our Time. "Neoconservatism" pp.124-133. Chapel Hill. University of North Carolina Press: 2007. ISBN 0-8078-3171-9