Propranolol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Propanolol)
Estrutura química de Propranolol
Propranolol
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
(RS)-1-(isopropylamino)-
3-(naphthalen-1-yloxy)propan-2-ol
Identificadores
CAS 525-66-6
ATC C07AA05
PubChem 4946
DrugBank APRD00194
Informação química
Fórmula molecular C16H21NO2 
Massa molar 259.34 g/mol
Farmacocinética
Biodisponibilidade 26%
Metabolismo Hepático
Meia-vida 4-5 horas
Excreção Renal
Considerações terapêuticas
Administração Oral e intravenoso(IV)
DL50 ?

Propranolol é um fármaco anti-hipertensivo indicado para o tratamento e prevenção do infarto do miocárdio, da angina, de arritmias cardíacas, bem como da enxaqueca. Pode ser utilizado associado ou não a outros medicamentos para o tratamento da hipertensão. É um bloqueador-beta adrenérgico.

Propranolol é um bloqueador-beta adrenérgico não-seletivo usado principalmente no tratamento da hipertensão. Foi o primeiro beta bloqueador de sucesso desenvolvido. Propranolol está disponível em forma genérica de cloridrato de propranolol, assim como um produto da AstraZeneca e a Wyeth sob os nomes comerciais Inderal, Inderal LA, Avlocardyl (também disponível em forma de absorção prolongado chamado "Avlocardyl Retard"), Deralin, Dociton, Inderalici, InnoPran XL , Sumial, Anaprilinum (dependendo da taxa de mercado e lançamentos), Bedranol SR (Sandoz). Pode ser também utilizado no tratamento de Tremor Essencial e Feocromocitoma.

O propranolol é também hoje o tratamento mais eficaz para o hemangioma infantil.[necessário esclarecer] A descoberta da sua ação deu-se em 2008, por médicos franceses. Foi sintetizado por Sir. James Whyte Black, também descobridor da cimetidina.[1] Após inúmeras pesquisas, constatou-se que o propranolol tem uma ação específica sobre a biologia das células que compõe o hemangioma infantil.[2][3]

Propranolol é uma das substâncias proibidas nos Jogos Olímpicos, provavelmente para a sua utilização no controle de tremores. Ela foi tomada por Kim Jong Su, um atirador norte-coreano que ganhou duas medalhas nos Jogos Olímpicos de 2008. Ele foi o primeiro atirador olímpico a ser desclassificado por uso de drogas.[4][5]

É usado, há várias décadas, no tratamento de hipertensão arterial, insuficiência cardíaca e arritmias. É um betabloqueador não seletivo antagonista dos receptores beta1 e beta2, causando a bradicardia, a hipotensão e a hipoglicemia.

Indicações[editar | editar código-fonte]

Contraindicações[editar | editar código-fonte]

Este fármaco é contraindicado em casos de:

Referências

  1. Medicining: Webster's Quotations, Facts and Phrases
  2. Hiraki, Patricia; Goldenberg, Dov (2010). Diagnóstico e tratamento do hemangioma infantil. Revista Brasileira de Cirurgia Plástica 25.2: 388-397.
  3. O Fluminense (11 de junho de 2017). "Você sabe o que é hemangioma infantil?". Visitado em 21 de julho de 2017.
  4. «Atirador norte-coreano e ginasta vietnamita são expulsos por doping». GloboEsporte. 15 de Agosto de 2008. Consultado em 17 de Maio de 2012 
  5. «Atirador norte-coreano pego no doping tem medalhas cassadas». Estadão. 15 de Agosto de 2008. Consultado em 17 de Maio de 2012