Quatro elementos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Os quatro elementos em de responsione mundi et de astrorum ordinatione de Isidoro de Sevilha.

Os quatro elementos - água, terra , fogo e ar - são uma referência em várias obras de expressão literária, plástica e filosófica. Os antigos filósofos da natureza acreditavam que esses eram os elementos básicos na constituição de matéria. A origem da teoria dos quatro elementos, ao menos no ocidente, está na Grécia, entre os filósofos pré-socráticos. Entre eles, a origem da matéria era atribuída a um elemento diferente: ora o fogo, ora a água.

No entanto, é provável que essa discussão tenha vindo do Oriente, onde encontramos, na China, a Teoria dos Cinco Elementos. Estes são, na verdade, elementos sutis, ou melhor, estados de mutação da matéria-energia.

Os escritos dos filósofos da Renascença, porém, levam a supor que o ocidente também via os elementos como forças sutis que se manifestariam através de transformações recíprocas. É o que se depreende do texto enciclopédico de Cornelius Agrippa, De occulta philosophia. Esta forma de ver os elementos justifica a ligação entre astrologia e alquimia, que ocorria naquela época.

Também na Índia se vê a aplicação deste conceito de elementos que entram em partes equilibradas na composição da matéria, quando a medicina aiurvédica tenta equilibrar os três humores: vento, fogo e terra.

Esses humores formaram a base da medicina de Hipócrates, e ainda fazem parte da psiquiatria, onde se sabe que certas doenças mentais graves, como a esquizofrenia, está associada a certos tipos físicos (como longilíneo, brevilíneo, etc.) A predominância de certo elemento, ou humor, determina o tipo físico da pessoa, segundo os médicos de Cós.

A astrologia, quando usada para estudar aspectos médicos das doenças, investigava se a pessoa era do tipo sanguíneo (ar), fleumático (água), colérico (fogo) ou bilioso (terra, também chamado nervoso). A cada um desses biotipos corresponde, de acordo com a medicina antroposófica, o seguinte órgão:

  • colérico: coração
  • fleumático: fígado
  • sanguíneo: rins
  • bilioso: pulmões

Cada um desses tipos teria então um órgão indicativo de seu estado de relativa saúde ou doença, e durante determinada estação do ano estaria mais propenso a desequilibrios.

Os elementos da natureza podem ser associados aos estados físicos da matéria:

Visões[editar | editar código-fonte]

Visão Natural[editar | editar código-fonte]

Os 4 elementos é a expressão utilizada para referir-se aos elementos naturais: Água, Terra, Fogo e Ar. Essa expressão refere-se ao que seria essencial à vida humana no planeta. Se considerarmos como tipos de matéria que formam a natureza, a expressão está errada pois fogo não pode ser considerado uma matéria natural, pois trata-se do resultado de uma reação química.Também o conceito de elemento foi mudado pela Química e Física modernas. Considera-se como elemento os diferentes tipos de átomos que formam moléculas, tanto naturais como artificiais (reações induzidas pelo Homem). A água, por exemplo, se constitui na verdade em uma molécula resultante da ligação natural de dois elementos químicos: o oxigênio e o hidrogênio.

Visão Astrológica[editar | editar código-fonte]

Em Astrologia, cada elemento influencia um grupo de três signos astrológicos. O ar, por exemplo, influencia os signos Aquário, Gêmeos e Libra.

A expressão serve de inspiração para várias obras literárias, desenhos animados, etc.

Exemplos: Avatar: The Last Airbender, Avatar: The Legend of Korra, Duelo Xiaolin, Quarteto Fantástico, witch entre outros.

Visão Filosófica[editar | editar código-fonte]

A ideia dos 4 Elementos Básicos provém dos primórdios da Filosofia. No Ocidente, foi ensinada no período pré-socrático, perdurou na Idade Média e chegou até o Renascimento. Mas o conceito é antigo no Oriente, tendo sido disseminado na Índia e na China, onde encontra-se na base do Budismo e Hinduísmo, principalmente no contexto esotérico. Hoje em dia há quem corresponda os 4 elementos clássicos com os 4 estados da matéria: Sólido, Líquido, gasoso e Plasma.

Sob certos aspectos, Parmênides e Heráclito pensavam de maneira totalmente oposta. A razão de Parmênides deixava claro que nada pode mudar. Mas as experiências sensoriais de Heráclito deixavam igualmente claro que a natureza está em constante transformação. Qual dos dois tinha razão? Será que devemos confiar no que nos diz a razão, ou será que devemos confiar nos sentidos? Ele achava que tanto Parmênides e Heráclito tinham razão numa de suas afirmações. Mas estavam totalmente enganados quanto à outra.

Para Empédocles a grande discórdia estava no fato que ambos os filósofos tinham assumido com ponto de partida o fato quase inquestionável que haveria apenas um elemento básico. Se isso fosse verdade o abismo entre o que a razão nos diz e o que nossos sentidos percebem seria intransponível.

Precisamos acreditar no que vemos e o que vemos é justamente o fato de que a natureza está em constante transformação.

Para a natureza, portanto, seria impossível produzir alguma coisa a partir de um único elemento básico.

Empédocles acreditava que a natureza possui ao todo 4 elementos básicos também chamado por ele de “raízes”. Estes quatro elementos eram a terra, o ar, a água e fogo.

Água[editar | editar código-fonte]

Ocupa 70% da superfície da Terra e é essencial para a vida, a qual sem água não existe

O Elemento[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal-Água (elemento)

Os Signos[editar | editar código-fonte]

Câncer ♋ (21 de Junho - 22 de Julho): Natureza: Cardial e feminino aquático. Características :Afeituoso,sensível, irritadiço e tenaz. Planeta regente: a lua. Cartão de Tarot: O Chariot. Tradicionalmente associado com o Deus Hermes

Escorpião ♏(23 de outubro a 21 de Novembro): Natureza :Fixa e feminino aquático. Característica: Leal,misterioso , rancoroso e dedutivo. Planeta regente: Plutão. Planeta co-regente: Marte. Cartão de Tarot: Morte. Associado com Deus Ares .

Peixes ♓ (20 de Fevereiro - 20 de Março): Natureza: Mutável e feminino aquático. Características: Poético, sonhador, irresponsável e misterioso. Planeta regente: Netuno. Planeta co-regente: Júpiter. Cartão de Tarot: A Lua. Associado tipicamente com Deus Poseidon .

Explicação Científica[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal - Água

Terra[editar | editar código-fonte]

A terra representa nós, seres terrestres, pessoas, animais, plantas; seres humanos e animais, a terra seria vazia e sem sentido algum.

O Elemento[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal-Terra (elemento)

Os Signos[editar | editar código-fonte]

Touro ♉(21 de Abril - 20 de maio): Natureza: fixa e feminino terrestre. Características :Prático, bondoso, teimoso e amante do luxo. Planeta regente: Vênus. Planeta especial: Terra. Cartão de Tarot: O Hierofante. Também tradicionalmente associado com a Deusa Afrodite.

Virgem ♍ (23 de Agosto - 22 de Setembro): Natureza: Mutavel e feminino terrestre. Caracteristicas:Centrado, organizado , perfeccionista e inteligente. Planeta regente: Mercúrio . Cartão do Tarot: O eremita. Associado com a Deusa Demeter.

Capricórnio ♑ (22 de dezembro - 20 de janeiro): Natureza Cardial e feminino terrestre. Caracteristica: Ambicioso, trabalhador, frio e confiável. Planeta regente: Saturno. Cartão de Tarot: O Diabo. Associado classicamente com a Deusa Hestia

Explicação Científica[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal-Terra

Fogo[editar | editar código-fonte]

O Elemento[editar | editar código-fonte]

O fogo somos nós, visto que é uma mistura de substâncias, o fogo é conhecido por sua energia, nós somos compostos de energia. O fogo também pode ser visto como o Sol, que nos aquece e sem sol não há vida. Ver artigo principal-Fogo (elemento)

Os Signos[editar | editar código-fonte]

Áries ♈ (21 de Março - 20 de Abril): Natureza: Cardinal e masculino ígneo. Característica: Brincalhão, impulsivo, prestativo e dinâmico. Planeta regente: Marte. Planeta co-regente: Plutão. Cartão de Tarot: O Imperador. Tradicionalmente associado com Atenas .

Leão ♌ (23 de julho - 22 de agosto): Natureza: fixo e masculino ígneo. Caracteristica: Dramático, corajoso, arrogante e carismático. Planeta regente: O Sol. Cartão de Tarot: Força. Associado com Deus Zeus

Sagitário ♐ (22 de Novembro a 21 de Dezembro): Natureza: mutável e masculino ígneo. Característica : Amoroso, sábio, imprudente e aventureira. Planeta regente: Júpiter. Cartão de Tarot: Temperança. Associado tradicionalmente com a Deusa Artemis

Explicação Científica[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal-Fogo

Ar[editar | editar código-fonte]

O Elemento[editar | editar código-fonte]

O ar é o que a gente respira, caso façamos algum mal ao meio ambiente, o mesmo refletirá no oxigenio e sem oxigenio não há vida terrestre, muito menos humana.

Os Signos[editar | editar código-fonte]

Gêmeos ♊ (21 de maio - 20 de Junho): Natureza: Mutável e masculino aéreo .Características: Inteligente, versátil,perspicaz e comunicativo. Planeta regente: Mercúrio. Cartão de Tarot: Os Amantes. Tradicionalmente ligado a Deus Phoebos.

Libra ♎ (23 de Setembro - 22 de outubro): Natureza: Cardinal e masculino aéreo. Características :Encantador, diplomático, vacilante, apreciante da beleza e obsessivo com a justiça. Planeta regente: Vénus. Cartão de Tarot: Justiça. Associado com Deus Hephaestus

Aquário ♒ (21 de Janeiro - 19 de Fevereiro): Natureza:Fixo e masculino aéreo. Característica: Progressivo, amigável, frio e idealista. Planeta regente: Urano. Planeta co-regente: Saturno. Cartão de Tarot: A Estrela. Associado originalmente com Hera.

Explicação Científica[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal-Ar

O Quinto Elemento[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Éter (elemento)

Para os gregos que seguiam a tradição pitagórica e aristotélica, o "quinto elemento" era chamado de "quinta-essência" ou quintessência, o elemento "perfeito" e que existiria no plano cósmico ou não-terrestre, formador da lua, do sol, do céu e das estrelas. Geralmente é correspondido com a ideia do Éter, que representa a negação lógica do vácuo. A teoria da quinta-essência foi adotada pelos Escolásticos da Igreja Católica e começou a sofrer forte ataque principalmente quando Galileu observou a existência de relevo na Lua, o que provava a "imperfeição" cósmica.

Na linha mais exotérica há autores ainda que consideram o quinto elemento como o relâmpago, sendo relacionado com a vida; outros consideram o metal ou o aço e outros dizem que existem apenas 4 elementos. Há ainda aqueles que dizem que o quinto elemento é o Gelo, que é considerado por eles diferente da Água.[carece fontes]

O Sol também poderia ser considerado o Quinto elemento, já que também é essencial para a vida na Terra.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal do Ocultismo