Regente Feijó (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura regente-uno do Império Brasileiro, veja Diogo Antônio Feijó.
Município de Regente Feijó
"Cidade melhor e Da Alta Sorocabana"
Bandeira de Regente Feijó
Brasão de Regente Feijó
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 28 de junho
Fundação Predefinição:Ani28|idade}}
Gentílico regentense
Lema Paulista por mercê de Deus
Prefeito(a) Marco Antonio Pereira da Rocha (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Regente Feijó
Localização de Regente Feijó em São Paulo
Regente Feijó está localizado em: Brasil
Regente Feijó
Localização de Regente Feijó no Brasil
22° 13' 15" S 51° 18' 10" O22° 13' 15" S 51° 18' 10" O
Unidade federativa São Paulo
Mesorregião Presidente Prudente IBGE/2008[1]
Microrregião Presidente Prudente IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Indiana, Martinópolis, Presidente Prudente, Anhumas e Taciba.[2]
Distância até a capital 547 km[3]
Características geográficas
Área 265,087 km² [4]
População 19 860 hab. (SP: 257°) –  Estimativa: IBGE/2016[5]
Densidade 74,92 hab./km²
Altitude 504 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,797 elevado PNUD/2000[6]
PIB R$ 248 179,582 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 14 044,46 IBGE/2008[7]

Regente Feijó é um município brasileiro do estado de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

A história do município paulista de Regente Feijó está intimamente ligada à Estrada de Ferro Sorocabana, que inaugurou sua estação em Memória (nome primitivo do lugar, em alusão ao ribeirão Memória) em 1919, e possui como principais fundadores: Capitão Francisco Witaker, Augusto Vieira, Antônio Vieira e Joaquim Lúcio Fortunato.

A fundação do município deu-se em 1922 (95–96 anos) quando a Companhia São Paulo-Mato Grosso, com a liderança de Francisco Witaker, separou uma gleba de 10 alqueires, dividiu-as e vendeu-as, formando o Patrimônio Memória, justamente onde localizava-se um pouso de descanso e alimentação para peões e boiadas transportadas do Mato Grosso. Em 1925, o vilarejo, que até então possuía 30 casas, foi elevado a Distrito de Paz de Presidente Prudente. A emancipação político-administrativa deu-se em 28 de junho de 1935 por decreto do então governador Armando de Salles Oliveira e o Coronel Augusto César Pires foi nomeado o primeiro prefeito. É assim batizado em homenagem a Diogo Feijó, primeiro regente uno do Império do Brasil.

Após a criação do município de Regente Feijó, houve a incorporação do distrito de Espigão, antiga Mandaguari (1948) ,bairro (patrimonio) São Sebastião ( pito aceso) e os desmembramentos dos seguintes distritos que obtiveram emancipação política: Martinópolis, antiga José Teodoro (1938); Indiana (1948); Caiabu (1953) e Taciba, antiga Formiga (1953).

Religião[editar | editar código-fonte]

73,5% Católicos Romanos

20,1% Protestantes

1,8% Espíritas

0,2% Testemunhas de Jeová

0,3% Outras Religiosidades Cristãs

0,3% Espiritualistas

0,1% Novas Religiões Orientais

0,1% Budistas

0,0% Umbanda

0,0% Não Sabem

0,2% Ateus

0,0% Agnósticos

3,4% Sem Religião

Fonte [8]

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

Pontos de destaque[editar | editar código-fonte]

  • Fonte Luminosa
  • Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida
  • Praça Luiz Buzinari
  • Praça dos Pioneiros
  • Anfiteatro Municipal
  • Centro Esportivo Zé do Prato
  • Igreja São Braz
Fonte Luminosa.
Anfiteatro e Prefeitura Municipal.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 22º13'17" sul e a uma longitude 51º18'10" oeste, estando a uma altitude de 504 metros. Sua população estimada em 2016 era de 19.860 habitantes. Possui uma área de 265,087 km².

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 16.998

  • Urbana: 15.266
  • Rural: 1.732
  • Homens: 8.504
  • Mulheres: 8.494

Densidade demográfica (hab./km²): 64,12

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 12,17

Expectativa de vida (anos): 73,32

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,00

Taxa de alfabetização: 88,98%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,797

  • IDH-M Renda: 0,722
  • IDH-M Longevidade: 0,805
  • IDH-M Educação: 0,865

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. «mapas» 
  3. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 27 de janeiro de 2011. 
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  5. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  8. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/regente-feijo/pesquisa/23/22107?detalhes=true

Ligações externas[editar | editar código-fonte]