Sofia de Jesus Cristo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Sophia de Jesus Cristo é um dos muitos textos Gnósticos nos códices da Biblioteca de Nag Hammadi (códice III), descoberta no Egito em 1945. O título é algo misterioso[carece de fontes?], pois embora "Sophia" seja Sabedoria em grego, num contexto Gnóstico "Sophia" é a sizígia de Cristo [carece de fontes?].

Origem[editar | editar código-fonte]

O manuscrito copta foi datado como sendo do século IV dC, embora tenha sido complementado por uns poucos fragmentos em grego datados do século III dC, implicando numa data anterior. O texto tem forte similaridade com a Epístola de Eugnostos, texto anterior no códice III, mas um pouco expandido e com uma "moldura" mais Cristã.

O debate sobre a data do texto é crítico, pois alguns argumentam que ele reflete o "verdadeiro relato dos ditos de Jesus", o que é possível apenas se o texto for datado no século I dC. Outros argumentam que ele é, de fato, consideravelmente mais novo e constitui uma fonte secundária e não confiável (na melhor das hipóteses um rumor post facto).

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

A maioria dos estudiosos argumenta que o texto é de origem Gnóstica, baseado nas similaridades entre os ensinamentos místicos encontrado no texto e os temas padrão dos Gnósticos. Fortemente místico, o conteúdo deste texto relata a criação de deuses, anjos e o universo com ênfase na verdade infinita e metafísica.[1]

O Salvador perfeito disse: "[Você] Vem das coisas invisíveis até o fim daquelas que são visíveis e a emanação do Pensamento irá revelar a vocês como fé naqueles que são invisíveis foi encontrada naqueles que são visíveis, naqueles que pertencem ao Pai Ingênito [ou Não-Nascido]. Aquele que tiver ouvidos para ouvir, ouça!
 
Desconhecido, Sophia de Jesus Cristo[1].

O texto é composto por treze questões dos discípulos (e de Maria), seguidas por breves discursos de Jesus dados em resposta[1] :

  1. Sobre a vaidade e futilidade da busca de Deus.
  2. Como encontrar a Verdade apenas explicando o que ela não é.
  3. Como a verdade foi revelada aos Gnósticos no início dos tempos.
  4. Como é preciso despertar para ver a Verdade.
  5. Sobre o início de tudo.
  6. Como a humanidade chegou à Gnosis.
  7. Sobre a posição de Jesus.
  8. Sobre a identidade de Jesus.
  9. Como o espírito se conecta ao mundo material.
  10. Sobre o número de espíritos.
  11. Sobre a imortalidade.
  12. Sobre aqueles que são imateriais.
  13. A questão final é sobre a origem da humanidade e qual o seu propósito.

Referências

  1. a b c Robinson, James M. (1990). The Nag Hammadi Library, revised edition. The Sophia of Jesus Christ (Trad. de Douglas M. Parrott) (em inglês). São Francisco: Harper Collins 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]