Discurso Autorizado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Discurso Autorizado (NHC VI, 3) é um tratado gnóstico da Biblioteca de Nag Hammadi pertecente ao Códice VI, o texto é datado para cerca do século III d.C.[1] É também considerado como não gnóstico por alguns pesquisadores, mas sim um tratado sobre o ascetismo da tradição romana,[2] nem um texto claramente cristão ou judaico por não conter menções a Cristo ou às escrituras.[3]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

O tratado é uma exposição da origem, condição e definitiva felicidade da alma, ao descrever a vida da alma, o texto torna-se bastante metafórico. Embora não inclua um misto gnóstico descrevendo a origem do mundo, o texto pressupõe certas ideias gnósticas como de que a alma possui origem celestial e conflita com o mundo material.[4] A alma se distrai e cria apegos terrenos, no entanto, Deus, o pai cuida da alma e a avisa sobre esses apegos que são a luxúria, soberba, avareza, fraude, ignorância, inveja e vaidade.[5]

Ascetismo romano[editar | editar código-fonte]

O tratado é parte da especulação ascética da tradição religiosa romana, embora descoberto como parte de uma coleção de textos produzidos em um monastério cristão, o tratado não sria um texto cristão nem gnóstico mas um dos poucos tratados que inclui uma tradução de uma seleção de Homero e uma seleção da Sentenças de Sexto, por ser parte da chamada biblioteca gnóstica, o Discurso Autorizado tem sido escassamente estudado e nunca fora estudado como parte da tradição asceta romana.[2]

Referências

  1. Roelof van den Broek (2013). Gnostic Religion in Antiquity. Cambridge University Press. p. 33. ISBN 978-1-107-03137-1.
  2. a b Richard Valantasis (2008). The Making of the Self: Ancient and Modern Asceticism. Wipf and Stock Publishers. pp. 261–262. ISBN 978-1-55635-286-7.
  3. "O Discurso Autorizado não é um trabalho claramente gnóstico. (...) Nem um texto claramente cristão ou judaico." Watson E. Mills; Roger Aubrey Bullard (1990). Mercer Dictionary of the Bible. Mercer University Press. p. 76. ISBN 978-0-86554-373-7.
  4. Marvin W. Meyer; James MacConkey Robinson (1977). The Nag Hammadi Library in English. Brill Archive. p. 278. ISBN 90-04-05434-0.
  5. Pheme Perkins. Gnosticism and the New Testament. Fortress Press. p. 173. ISBN 978-1-4514-1597-1.