Universidade Candido Mendes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Universidade Cândido Mendes)
Universidade Candido Mendes
UCAM
Lema Diploma de valor desde 1902
Fundação 1902 (120 anos)
Tipo de instituição Privada
Mantenedora Sociedade Brasileira de Instrução
Localização Brasão da cidade do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro, {{{país}}}
Docentes 400
Total de estudantes 15 000
Edifício da Universidade Cândido Mendes no Rio de Janeiro

A Universidade Candido Mendes (UCAM) é uma instituição privada de ensino superior do Brasil, com sede na cidade do Rio de Janeiro. Sua atual reitora é Andreya Candido Mendes de Almeida Navarro (professora com pós-doutorado em direitos humanos, psicanalista e bacharel em Direito). A Universidade Cândido Mendes destaca-se das suas congêneres por ser uma instituição historicamente comprometida com a excelência nas atividades de graduação. Distribuída por um total de 11 unidades com 21 cursos de graduação e diversos outros nas modalidades sequencial, reúne mais de 15 mil estudantes e 400 professores.

História[editar | editar código-fonte]

A Universidade Cândido Mendes foi fundada em 1902, com o nome de "Escola Técnica de Comércio Candido Mendes", por iniciativa do advogado e político maranhense Candido Mendes de Almeida, primeiro Conde Mendes de Almeida, com a colaboração de seu irmão Fernando Mendes de Almeida, do Visconde de Ouro Preto, de Afonso Celso, de Nerval de Gouveia e de Conrado Niemeyer. Nessa escola se aprendia as habilidades básicas de administração, como contabilidade. Em 1919, transformou-se na Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro.

Nos anos 1950 a Cândido Mendes amplia em vários cursos superiores e a partir dos anos 1960 já caracteriza-se como universidade. O IUPERJ consolidou-se a partir de meados da década de 1970 como uma instituição de ponta na pesquisa e no ensino de Ciências Sociais no Brasil.

Em 22 de junho de 2010, após uma crise institucional, os vinte professores do IUPERJ demitiram-se[1], e após negociação com o Governo do Estado, migraram, em sua maioria, para a UERJ.[2]

Em 1 de setembro de 2010, iniciou-se uma reestruturação do Instituto, criando condições para a retomada das atividades acadêmicas do IUPERJ. Em dezembro de 2011, foi constituído um novo corpo docente para os dois programas de graduação e, em fevereiro de 2012, lançado o Edital para novas turmas de graduação.

No final de 2016, após vários meses de atraso no pagamento de salários, o reitor declarou aos professores e funcionários a impossibilidade de honrar com os compromissos, usando como justificativa a crise econômica no país.[3] Em 2017, a instituição teve sua sede leiloada, para poder pagar uma divida de 42 milhões de reais com a Microsoft, devido a um processo iniciado no ano 2000 por uso de cópias piratas do Windows 98 em máquinas da universidade.[4][5][6]

Desde 2019, a instituição passa por uma reestruturação para tentar evitar o atraso de salários de professores e funcionários, greves, paralisações e evasão de alunos e professores. Em 2020, com uma dívida de R$ 400 milhões, a universidade pediu recuperação judicial.[7][8]

Atualmente, a Universidade Candido Mendes vem se recuperando com a ampliação de sua grade de cursos de graduação e pós-graduação, presenciais e à distância.

Centros de estudos e institutos[editar | editar código-fonte]

  • Instituto de Humanidades - Humanidades
  • Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro - IUPERJ
  • Instituto para o Desenvolvimento Empresarial e Acadêmico - IDEA-Gávea
  • Instituto de Pesquisas Data Brasil - DATABRASIL
  • Instituto de Turismo e Entretenimento - ITE
  • Instituto do Pluralismo Cultural - IPC
  • Centro de Estudos Afro-Asiáticos - CEAA
  • Centro Avançado de Estudos e Pesquisas em Direito e Processo do Trabalho - CENTRAB
  • Centro de Estudos das Américas - CEAS
  • Laboratório de Estudos Experimentais - LEEX
  • Centro de Estudos Avançados em Pesquisas Éticas - CEAPE
  • Centro de Estudos de Segurança e Cidadania - CESeC
  • Centro de Estudos e Pesquisas em Educação- CEPED
  • Centro de Pós-Graduação em Direito da Faculdade de Direito - CPGD

Ensino[editar | editar código-fonte]

Os segmentos de cursos que são oferecidos na Universidade Candido Mendes estão distribuídos entre as 11 unidades educacionais pertencentes à UCAM em todo o estado do Rio de Janeiro. A instituição nasceu como Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro, ainda no ano de 1919 e desde então oferece cursos em diferentes segmentos. A estrutura da universidade é composta por bibliotecas, sendo uma central na unidade localizada no bairro de Ipanema e abriga um acervo com um extenso material para todos os segmentos. Também conta com cinema, teatro e um canal universitário que desenvolve atividades na área de comunicação e expõe demais propostas da instituição, que mantém, ainda, uma companhia de teatro e uma orquestra. Todos os cursos contam com uma sólida estrutura docente e física, com o objetivo de oferecer aos alunos a possibilidade de atuar também fora das salas de aula.

Graduação[editar | editar código-fonte]

Campi[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. «Folha Online - Saber - Todos os professores do Iuperj se demitem - 22/06/2010». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  2. «Professores da Iuperj pedem demissão e serão incorporados à Uerj». Radar Politico. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  3. Francisco, Diego. «Crise da Ucam é debatida na Alerj». Opinólogo - Jornalismo Opinativo. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  4. «Prédio da Candido Mendes em Ipanema vai a leilão por dívida». O Globo. 3 de dezembro de 2016. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  5. «Por dívida com Microsoft, prédio de universidade carioca vai a leilão». Valor Econômico. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  6. «Universidade será leiloada para pagar dívida por cópia pirata do Windows». br.financas.yahoo.com. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  7. Dia, O. «Com crise agravada na pandemia, Universidade Candido Mendes pede recuperação judicial | Rio de Janeiro | O Dia». odia.ig.com.br. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  8. «Plano de recuperação da Cândido Mendes prevê venda de imóveis e desconto em dívida trabalhista - Economia». Estadão. Consultado em 25 de agosto de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]