Vozes da Rádio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vozes da Rádio
Informação geral
Origem Porto
País  Portugal
Gênero(s) A Cappella
Gravadora(s) 1991 - presente
Integrantes Jorge Prendas
Ricardo Fráguas
António Miguel
Rui Vilhena
Tiago Oliveira
Ex-integrantes Mário Alves, Nuno Aragão, Ricardo Abreu e José Fidalgo
Página oficial vozesdaradio.blog

As Vozes da Rádio são um quinteto vocal formado em 1991 na cidade do Porto.

Percurso[editar | editar código-fonte]

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

A 21 de Abril de 1991 as Vozes da Rádio apresentam-se pela primeira vez ao público no Salão Paroquial de Perafita ainda sob o nome de "Ars Vocis". Jorge Prendas, Nuno Aragão, Mário Alves, Ricardo Abreu e José Fidalgo (contrabaixo) eram os membros do quinteto, que no fim desse concerto, resolveram alterar o nome para Vozes da Rádio. Em 1992 saem Ricardo Abreu e José Fidalgo entrando António Miguel, Ricardo Fráguas e Rui Vilhena. O grupo foi sexteto até Abril de 1996.

Em 1994 participaram no disco de tributo a José Afonso "Filhos da Madrugada" com uma versão do tema "Índios da meia-praia". O disco atingiu a platina e permitiu ao grupo um contrato com a multinacional BMG. Ainda em 1994 participaram no álbum de Fernando Girão, com o tema "Highland Gardens".

Com o selo da BMG editaram em 1995 o CD de originais “Bruxas, Heróis e males d’Amor” que recebeu apoio unânime da crítica. Foi considerado pelo jornal Público um dos dez melhores discos desse ano.

No capítulo dos espectáculos o agora quinteto actuou em palcos tão distintos como o Estádio de Alvalade (integrado na apresentação ao vivo do projecto “Filhos da Madrugada”), o C.C.B., Coliseu do Porto e de Lisboa, D.Maria II, Fórum da Maia ou a Queima das Fitas do Porto e deslocou-se a Macau integrando o programa do Festival Internacional de Música daquele território.

Como resultado do trabalho vocal que o grupo foi desenvolvendo foi convidado para participar em espectáculos e edições discográficas de outros artistas. Assim em 1995 é convidado por Ivan Lins para participar em três espectáculos que este cantor brasileiro realizou em Lisboa e Porto. Em 1996 colaboram na gravação de "Alma" da Ala dos Namorados, participam em vários concertos com Rui Veloso, gravando com este uma versão a cappella do tema "Porto Sentido" para o espectáculo de encerramento do Portugal Fashion/97. Cantam com os Delfins no encerramento da tournée destes no Coliseu do Porto e gravam com os Gaiteiros de Lisboa no álbum “Bocas do Inferno”.

As Vozes da Rádio participaram também nos projectos discográficos “Espanta Espíritos” e “Voz e Guitarra” onde estão acompanhados pelos nomes mais conhecidos da música portuguesa.

Em Outubro de 1997 o grupo lança o seu segundo trabalho de originais de título “Mappa do Coração” de onde foi retirado o single "Dunas" que figurou nos tops radiofónicos em finais desse ano. Neste álbum contaram com a colaboração de Rui Veloso, Sara Tavares, Gaiteiros de Lisboa e Manuel Luís Goucha bem como de alguns outros instrumentistas.

Entre 1998 e 1999 as Vozes da Rádio apresentaram o seu “Mappa do Coração” por todo o país, tendo estado presente na Expo’98 por diversas vezes destacando-se a sua participação na homenagem a Amália Rodrigues e nos concertos do Dia de Portugal. Participaram igualmente no “Festival Zeca Afonso” em Coimbra e no espectáculo de São João integrado nessas festividades da cidade do Porto.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

O quinteto continua igualmente a colaborar com outros grupos como é o caso da participação no disco ao vivo da Ala dos Namorados e nos espectáculos que este grupo deu no C.C.B. e no Coliseu do Porto para encerramento da tournée. Em 2000 o quinteto gravou ao vivo na cidade do Porto um trabalho discográfico cujo lançamento se verificou em 2002 e participou nas gravações do álbum “Cristal” da Ala dos Namorados assim como no álbum ao vivo dos Gaiteiros de Lisboa, "Dança Chamas".

Em Dezembro de 2000 as Vozes da Rádio conceberam um espectáculo específico com o título “Mais Perto (uma produção comunicativa)” para a inauguração oficial do Museu dos Transportes e Comunicações onde às 5 vozes juntaram-se 5 instrumentos. O álbum com as músicas deste espectáculo foi editado em Outubro de 2001. Ainda no final de 2000, Tiago Oliveira junta-se ao quinteto substituindo Mário Alves em alguns concertos, passando a fazer parte do grupo definitivamente em 2002.

Em 2001, o quinteto participa em inúmeros concertos que incluíram os Açores e a Madeira destacando-se ainda a participação nas comemorações do dia de Portugal em Macau e no “Porto Cantado”, no âmbito do 2001 Capital Europeia da Cultura, onde partilharam o palco com Manuela Azevedo, Rui Veloso, Rui Reininho e Sérgio Godinho.

Em 2002 as Vozes da Rádio iniciaram a sua experiência na rádio com o programa semanal “O dia dos Senhores” que de Março a Janeiro de 2003 esteve no ar na Rádio Nova. Neste espaço radiofónico de duas horas, em conjunto com o radialista Sérgio Sousa, todo o humor e sadia loucura esteve presente, quer nos originais que criaram para o efeito, quer também nas versões. Neste ano também há a destacar a entrada em funcionamento do primeiro sitio www.vozesdaradio.com (entretanto extinto) onde além de informações sobre o grupo estava também disponível a escuta dos programas de rádio produzidos. Gravaram para a editora Farol dois medleys incluídos no CD “As canções da televisão” com os temas das séries e novelas da TVI.

Ainda em 2002 voltaram a encontrar-se com os Gaiteiros de Lisboa para um concerto que intitularam de P.U.N. – Projecto de Unidade Nacional onde aliado à boa disposição se juntou um repertório especialmente concebido para este espectáculo. Em Novembro foi editado “O som maravilha dos Senhores”, quarto álbum do grupo e primeiro com edição própria. Em 2003 destacam-se os dois meses (Janeiro/Fevereiro) no Wonder Bar do Casino Estoril, animando as noites de sexta-feira, bem assim como o já famoso festival “Marés de Agosto” que decorre anualmente na Ilha de Santa Maria. As críticas mais uma vez enalteceram a qualidade e divertimento que este quinteto revela em palco. Novembro de 2003 fica marcado pela gravação e edição do quinto álbum com o título “Natal” e que como o nome deixa antever é integralmente composto por músicas de Natal. Este disco inclui canções tradicionais de vários países sendo cantado em 7 idiomas diferentes: português, francês, catalão, inglês, alemão, polaco e húngaro. Com este disco as Vozes da Rádio realizaram vários espectáculos de Natal por todo o país e ilhas.

Em 2004 além da regular apresentação por todo o país, de onde se destaca uma passagem por 3 ilhas açorianas, o quinteto grava o álbum “Mulheres”, sexto da sua carreira e que foi editado em Maio de 2005. Este disco tem letras de João Monge e apresenta as Vozes da Rádio acompanhadas por instrumentos num registo pop/rock sem deixar no entanto de privilegiar as harmonias vocais. Ainda em 2004 as Vozes da Rádio participaram no álbum de Manuel Paulo (Ala dos Namorados) “Assobio da Cobra” cantando “Samba do Acento” na companhia de Dany Silva, Carlos Guerreiro e Arnaldo Antunes. No natal deste ano juntam-se a Uxia Senlle e ao grupo galego Malvela e apresentam um espectáculo singular onde invocam os vários natais do mundo. O espectáculo passou por Santiago de Compostela, Pontevedra e Viana do Castelo.

No início de 2005 voltam a São Miguel para a reinauguração do Coliseu de Ponta Delgada. Deslocam-se também à Galiza onde se apresentam em Santiago de Compostela e Porriño. Apresentam o álbum “Mulheres” ao vivo. Regressam a Espanha para mais uma série de concertos e são os convidados especiais do programa de natal da Television de Galicia. Neste ano foi editado pela editora World Connection uma versão de um tema de Amália Rodrigues cantado pelas Vozes da Rádio.

2006 é marcado pelos 15 anos do grupo e pela proposta de um concerto feito essencialmente a cappella onde se reúne o melhor que as Vozes desenvolveram até hoje. No mesmo ano, no dia de São Martinho, participaram no programa dos Gato Fedorento (GF): Diz que é uma espécie de magazine.

O ano de 2007 fica marcado pelo lançamento do álbum "7 e pico, 8 e coisa, 9 e tal", uma homenagem que as Vozes da Rádio quiseram prestar ao Conjunto António Mafra. Este trabalho teve a participação de Rui Reininho, Sérgio Castro, Carlos Tê, Miguel Guedes, Manuela Azevedo, Rui Veloso, Sérgio Godinho, Newmax, Vítor Silva, Sérgio Silva e do próprio Conjunto António Mafra.

Em 16 de Abril de 2008 participam no programa Prós e Contras da RTP. Fazem também o hino para o Capitão Moura do programa Liga dos Últimos. São também convidados a actuar em Inglaterra onde são acompanhados por um ensemble de músicos da Royal Philarmonic Orchestra.

Em 2009 é lançado o álbum "Pérolas e Porcos", um disco não planeado de todo, como os próprios afirmam. Incluí momentos do programa "Dia dos Senhores" da Rádio Nova, jingles, maquetes, genéricos, participações em programas de televisão e também algumas canções originais feitas para o Vozes no Rádio, espaço diário que as Vozes da Rádio tiveram no Rádio Clube Português. Neste mesmo ano gravam o DVD e CD "Ora Vejam Lá", um concerto partilhado com o Conjunto António Mafra, Newmax e Sérgio Castro. Também neste ano gravam "Radioterapia", um DVD gravado ao vivo, no Teatro Helena Sá e Costa, no Porto, mas que nunca foi editado.

Participam no filme "O Barão" de Edgar Pêra estreado em 2011. O ano de 2011 é marcado pelos 20 anos do quinteto e pelo concerto "Vintage", composto por 20 canções sugeridas pelos seguidores do grupo. A digressão "Vintage" passou por Porto, Lisboa, Aveiro, Guimarães e Espinho.

Em 2013 voltam à Casa da Música, desta vez para actuarem com a Banda Sinfónica Portuguesa, num espectáculo original e feito a partir das canções do grupo. No final deste ano as Vozes comunicam uma paragem.

2016 é marcado pelo regresso das Vozes da Rádio com o lançamento de "Canções do Homem Comum", um conjunto grande de canções que as Vozes da Rádio nunca tinham antes gravado ou mesmo cantado ao vivo. O volume 1 destas canções sai em Abril. A digressão dos 25 anos é baseada nos dois volumes que as Vozes registaram no final de 2015 e início de 2016.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Ricardo Fráguas, Jorge Prendas, António Miguel, Rui Vilhena, Tiago Oliveira

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns Originais[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Colaborações[editar | editar código-fonte]

ao vivo
  • Ivan Lins
  • Rui Veloso
  • Delfins

Referências[editar | editar código-fonte]