Starship Traveller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de A Nave Espacial Traveller)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Starship Traveller
A Nave Perdida (PT)
A Nave Espacial Traveller (BR)
Autor (es) Steve Jackson
País Reino Unido
Género ficção científica
Série Fighting Fantasy
Ilustrador Peter Andrew Jones
Arte de capa Peter Andrew Jones e Chris Moore (Reino Unido)
Richard Corben (Estados Unidos
Editora Puffin Books e Wizard Books
Lançamento 1983
Edição portuguesa
Editora Editorial Verbo
Edição brasileira
Editora Marques Saraiva
Cronologia
Último
Último
The Forest of Doom
Deathtrap Dungeon
Próximo
Próximo

Starship Traveller (A Nave Perdida (título no Brasil) ou A Nave Espacial Traveller (título em Portugal)) é o quarto livro-jogo da coleção Fighting Fantasy (que no Brasil e em Portugal recebeu o nome de Aventuras Fantásticas), escrito por Steve Jackson e ilustrado por Peter Andrew Jones publicado originalmente em 1983 pela Puffin Books, em 2002, foi republicado pela Wizard Books. Foi o sexto livro-jogo da série a ser publicado no Brasil pela editora Marques Saraiva,[1] em Portugal foi publicado pela Editorial Verbo.

História[editar | editar código-fonte]

O livro-jogo rompe com os anteriores da série por não ter uma temática de fantasia, e sim de ficção científica.

Em um futuro distante, a tripulação da nave exploratória Traveller se vê em apuros quando sua nave é sugada por um buraco negro que, na verdade, mostra ser uma passagem para um local desconhecido da galáxia. O leitor assume o papel do capitão da Traveller, e deve explorar mundos estranhos e enfrentar alienígenas hostis em busca de um caminho para casa.

Novidades e referências[editar | editar código-fonte]

O livro-jogo é único na série, uma vez que o leitor não deve apenas manter registros das características de seu personagem, o capitão, mas também de diversos membros da tripulação e da própria nave. O inovador sistema de combate entre naves também é um atrativo. Como atrativo principal ele é impossível de ser terminado.

O livro apresenta inúmeras referências a Star Trek como, por exemplo, o teletransporte.

Referências

  1. Marcelo Cassaro. (1994). "Aventuras Fantásticas" (em português). Dragão Brasil (4). São Paulo, Brasil: Trama.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências