Arquidiocese de Valência

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Arquidiocese de Valência
Archidiœcesis Valentinus
Catedral de Valência
Localização
País Espanha
Dioceses Sufragâneas Ibiza
Mallorca
Menorca
Orihuela-Alicante
Segorbe-Castellón de la Plana
Estatísticas
Área 13 060 km²
Informação
Rito romano
Criação da Diocese 527
Elevação a Arquidiocese 9 de julho de 1492
Padroeiro Nossa Senhora dos Reis
Governo da Arquidiocese
Arcebispo Carlos Osoro Sierra
Jurisdição Arquidiocese Metropolitana
Contatos
Endereço Palau 2, 46003
Página Oficial http://www.archivalencia.org/
Divisão territorial da arquidiocese.

A Arquidiocese de Valência (Archidiœcesis Valentinus) é uma arquidiocese da Igreja Católica situada em Valência, na Comunidade Valenciana. É fruto da elevação da diocese de Valência, criada em 527, depois suprimida em 1100 mas recriada depois da Reconquista, em 10 de outubro de 1238. Seu atual arcebispo é Carlos Osoro Sierra. Sua é a Catedral Basílica Metropolitana de Santa Maria.

Território[editar | editar código-fonte]

Possui 652 paróquias, tendo 1538 padres[1] contando com 96,9% da população jurisdicionada batizada. Sua jurisdição se estende por toda a Província de Valência.

História[editar | editar código-fonte]

A diocese de Valência foi fundada em 527. Foi originalmente sufragânea da Arquidiocese de Tarragona. Valência caiu nas mãos dos muçulmanos em 712, assim viu parar a sucessão de bispos, quando em 1102 foi suprimida. A diocese foi restaurada em 10 de outubro de 1238, logo após a Reconquista da cidade.

Em 11 de outubro de 1470 o Papa Paulo II torna a diocese imediatamente sujeita à Santa Sé e, em 9 de julho de 1492, foi elevada à categoria de arquidiocese metropolitana pelo Papa Inocêncio VIII.

Um momento especial de glória foi a diocese em meados do século XVI, os arcebispos São Tomás de Villanueva e São João da Ribera, que aplicaram os decretos do Concílio de Trento, deixando um traço profundo e duradouro na vida religiosa da Arquidiocese, confirmadas as obras dos santos que viveram na época em Valência: Francisco de Borja, Luis Beltrán e Pascoal Baylón e os beatos Andrés Hibernón e Gaspar Bono.

O século XIX viu em Valência, um abundante florescimento de santos: Maria Miguelina do Santíssimo Sacramento, Teresa Jornet e Ibars e a Beata Inês de Benigánim.

Na segunda metade do século XIX e primeiro terço do século passado, a Arquidiocese de Valência foi incomodada por fortes tensões políticas e sociais, incluindo as posições anticlericais surgidas, o que resultou, durante a guerra civil em uma perseguição aberta contra a Igreja, centenas de mártires, muitos dos quais foram beatificados pelo Papa João Paulo II em 11 de março de 2001. De fato, os 233 mártires beatificados nesse momento vieram principalmente da arquidiocese de Valência.

Prelados[editar | editar código-fonte]

Bispos de Valência[editar | editar código-fonte]

Suprimida (1102 - 1238)

Arcebispos de Valência[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Segundo números de 2005.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arquidiocese de Valência