Atos de Pedro e os 12 Apóstolos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gravura de John Everett Millais sobre a Parábola da pérola preciosa

Atos de Pedro e os 12 apóstolos é um manuscrito encontrado nos códices da Biblioteca de Nag Hammadi (Códice VI). O texto, escrito provavelmente no século II dC, contém duas partes. Uma alegoria inicial e uma exposição gnóstica explicando seu significado. Acredita-se que a alegoria era originalmente uma obra independente.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

A alegoria descreve uma parábola semelhante à Parábola da Pérola descrita no Evangelho segundo Mateus (Mateus 13:44ss). Aqui ele está vendendo uma pérola de grande valor. O negociante é evitado pelos ricos, mas os pobres vão a ele em grande quantidade, e descobrem que a pérola está guardada na cidade natal do negociante, "Nove Portões", e aqueles que quiserem a pérola deverão empreender a dura viagem até Nove Portões. O nome do negociante é Lithargoel, que é traduzido como "pedra leve e brilhante", ou seja, o próprio negociante é a pérola. Por fim, o negociante se revela como sendo o próprio Jesus.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências