Encratismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os Encratitas ("auto-controlados") eram uma seita cristã ascética do século II d.C. que proibia o casamento e que aconselhava a abstinência de carne. Eusébio afirma que Tatiano era o criador desta heresia[1] . Supõe-se que sejam estes os gnósticos encratitas que foram admoestados por Paulo em 1 Timóteo 4:1-4[a][2] .

História[editar | editar código-fonte]

A primeira menção de uma seita cristã com este nome ocorre em Ireneu[3] . Eles foram mencionados mais de uma vez por Clemente de Alexandria[4] , que afirma que eles são assim chamados por sua "temperança". Hipólito se refere a eles como "reconhecendo o que é de Deus e de Cristo de maneira similar à Igreja. Porém, sobre seu estilo de vida, eles passam os dias inflados com orgulho."; "se abstendo de comida animal, bebendo apenas água e proibindo o casamento"; "estimados cínicos ao invés de cristãos". Baseando-se nestas afirmações, supõe-se que os encratitas fossem ortodoxos na doutrina e que eles erraram apenas na prática. Orígenes diz que eles não reconheciam as epístolas de Paulo[5] .

Encratitas severianos[editar | editar código-fonte]

Um pouco depois desta época, a seita recebeu nova energia com a ascensão de um tal Severus[6] , em cuja homenagem os encratitas muitas vezes são chamados de "severianos". Estes encratitas severianos aceitavam a Lei, os Profetas, os Evangelhos, mas rejeitavam os Atos dos Apóstolos e amaldiçoavam Paulo e suas epístolas. Porém, o relato dado por Epifânio sobre os severianos mostra uma tendência gnóstica siríaca ao invés de tendências judaicizantes. Em seu ódio ao casamento, eles chegaram a declarar que as mulheres seriam a obra de Satã, e por seu ódio aos intoxicantes, eles chamaram o vinho de "gotas de veneno da grande Serpente"[7] . Epifânio afirma ainda que estes encratitas eram muito numerosos na Ásia menor, em Pisídia, na Frígia, em Selêucia Isáuria, em Panfília, Cilícia e na Galácia. Em Antioquia e no restante da província romana da Síria eles também eram encontrados de forma esparsa. Eles se dividiram em diversas pequenas seitas, das quais os apostolici se destacaram por sua condenação à propriedade privada e os aquarii, que substituíam o vinho pela água durante a Eucaristia. Num édito em 382, Teodósio declarou a sentença de morte para todos os que tomassem o nome de encratitas e aquarianos, e ordenou que Florus, o magister officiarum, realizasse extensivas buscas por estes heréticos, considerados maniqueístas disfarçados.

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ «Mas o Espírito diz expressamente que nos últimos tempos alguns apostatarão da fé, atendendo a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, mediante a hipocrisia de homens mentirosos, que têm a consciência cauterizada, que proíbem o casamento e ordenam a abstinência de alimentos, que Deus criou para serem usados com gratidão pelos que crêem e conhecem bem a verdade. Pois toda a criatura de Deus é boa, e nada deve ser rejeitado, se é recebido com gratidão;» (I Timóteo 4:1-4)

Referências

  1. Eusébio de Cesareia. História Eclesiástica: Musanus and His Writings. (em ). [S.l.: s.n.]. Capítulo 28. vol. IV.
  2. Joseph Mitsuo Kitagawa, Frank E. Reynolds, Theodore M. Ludwig. Transitions and Transformations in the History of Religions (em ). [S.l.: s.n.]. 208 pp.
  3. Ireneu. Adversus Haereses: Doctrines of Tatian, the Encratites, and others. (em ). [S.l.: s.n.]. Capítulo 28. vol. I.
  4. Clemente de Alexandria. Stromata: The Greek Philosophy in Great Part Derived from the Barbarians (em ). [S.l.: s.n.]. Capítulo 15. vol. I. e Clemente de Alexandria. Stromata: The Tradition of the Church Prior to that of the Heresies (em ). [S.l.: s.n.]. Capítulo 17. vol. VII. ; Clemente de Alexandria. Paedagogus: On Drinking (em ). [S.l.: s.n.]. Capítulo 2, 33. vol. II.
  5. Orígenes. Contra Celsum (em ). [S.l.: s.n.]. Capítulo 65. vol. V.
  6. Eusébio de Cesareia. História Eclesiástica: The Heresy of Tatian. (em ). [S.l.: s.n.]. Capítulo 29. vol. IV.
  7. Epifânio de Salamis (Epif)Panarion, 14

Ligações externas[editar | editar código-fonte]