Apocalipse de Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Apocalipse de Paulo é um texto do século IV dC que é dos apócrifos do Novo Testamento [1] . Existe também uma versão etiópica do Apocalipse, na qual é a Virgem Maria ao invés de Paulo que recebe a visão e, por isso, chamado de Apocalipse da Virgem. O texto não deve ser confundido com o gnóstico Apocalipse Copta de Paulo, com o qual provavelmente não tem nenhuma relação.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Paulo, num ícone russo do século XVIII

O texto parece ser uma elaborada expansão e rearranjo do Apocalipse de Pedro e é essencialmente a descrição de uma visão do Céu e, em seguida, do Inferno - embora também contenha um prólogo descrevendo toda a criação e apelando a Deus contra os pecados dos homens, nada disto presente no Apocalipse de Pedro. Ao final do texto, Paulo (ou Maria) conseguem persuadir Deus a dar a todos no Inferno um dia de folga aos domingos.

O texto estende o Apocalipse de Pedro estruturando as razões para as visitas ao Céu e o Inferno como sendo o testemunho da morte e julgamento de um homem mau e um homem bom. O texto é fortemente moralista e acrescenta ao texto anterior, além disso, os seguintes conceitos:

  • Orgulho é a raiz de todo o mal
  • O Céu é a terra de leite e mel
  • O Inferno tem rios de fogo e gelo (para os de coração gelado)
  • Alguns anjos são maus - os Anjos caídos do Inferno - incluindo Temeluchus, o tartaruchi

Versões[editar | editar código-fonte]

Cópias gregas do texto são raras e aqueles que existem contém muitas omissões. Das versões orientais - siríaco, copta, etiópica - a siríaca é considerada a mais confiável. Também há várias versões latinas resumidas, fonte de muitas das versões modernas nas línguas européias.

James também enxerga influência na Divina Comédia (ii. 28[2] ), quando Dante menciona a visita do vaso escolhido («Mas o Senhor disse-lhe: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido para levar o meu nome perante os gentios e os reis, bem como perante os filhos de Israel» (Atos 9:15)).

Referências

  1. Ehrman, Bart. Lost Christianities: The Battles for Scripture and the Faiths We Never Knew. [S.l.]: Oxford Press, 2003. xiv pp. ISBN 9780195141832.
  2. Diversas versões e comentários em Inferno, Canto II, 28 (em inglês). Visitado em 22/08/2010.. Pietro Alighieri acredita que é uma alusão a 2 Coríntios 12:1.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • James, M.R.. Apocalypse of Paul: translation and commentary (em inglês). Oxford: Clarendon Press, 1924.
  • Theodore Silverstein and Anthony Hilhorst (ed.), Apocalypse of Paul (Geneva, P. Cramer, 1997).
  • J. van Ruiten, "The Four Rivers of Eden in the Apocalypse of Paul (Visio Pauli): The Intertextual Relationship of Genesis 2:10-14 and the Apocalypse of Paul 23:4," in García Martínez, Florentino, and Gerard P. Luttikhuizen (edd), Jerusalem, Alexandria, Rome: Studies in Ancient Cultural Interaction in Honour of A. Hilhorst (Leiden, Brill, 2003).
  • Lenka Jiroušková, Die Visio Pauli: Wege und Wandlungen einer orientalischen Apokryphe im lateinischen Mittelalter unter Einschluß der alttsechischen und deutschsprachigen Textzeugen (Leiden, Brill, 2006) (Mittellateinische Studien und Texte, 34).
  • Jan N. Bremmer and Istvan Czachesz (edd). The Visio Pauli and the Gnostic Apocalypse of Paul (Leuven, Peeters, 2007) (Studies on Early Christian Apocrypha, 9).