Boaventura de Sousa Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Boaventura de Sousa Santos no 6°Fórum Mundial de Juízes. Porto Alegre, 2010.

Boaventura de Sousa Santos GO SE (Penacova, Quintela, 15 de Novembro de 1940) é doutor em sociologia do direito pela Universidade de Yale, professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Distinguished Legal Scholar da Faculdade de Direito da Universidade de Wisconsin-Madison e Global Legal Scholar da Universidade de Warwick. É também director do Centro de Estudos Sociais e Coordenador Científico do Observatório Permanente da Justiça Portuguesa1 - ambos da Universidade de Coimbra. Foi fundador e director do Centro de documentação 25 de Abril entre 1985 e 2011.2

Participa da coordenação científica dos seguintes Programas de Doutoramento:
- Direito, Justiça e Cidadania no Século XXI
- Democracia no Século XXI
- Pós-Colonialismos e Cidadania Global

Dirige as seguintes colecções:

  • Saber imaginar o social3
  • A sociedade Portuguesa perante os desafios da globalização4
  • Reinventar a emancipação social: para novos manifestos5

Tem trabalhos publicados sobre globalização, sociologia do direito, epistemologia, democracia e direitos humanos. Os seus trabalhos encontram-se traduzidos em espanhol, inglês, italiano, francês e alemão.6

É internacionalmente reconhecido como um intelectual importante da área de ciências sociais, e tem especial popularidade no Brasil, onde participou de três edições do Fórum Social Mundial em Porto Alegre.

Seus escritos dedicam-se ao desenvolvimento de uma Sociologia das Emergências, que segundo ele procuraria valorizar as mais variadas gamas de experiências humanas, contrapondo-se a uma "Sociologia das Ausências", responsável pelo desperdício da experiência - como exposto em seus livros Renovar a Teoria Crítica e Reinventar a Emancipação Social, que apresente idéias elaboradas anteriormente em Um Discurso sobre as ciências. A herança contratualista é bem marcada em suas obras e seus textos se remetem à organização de contratos sociais que sejam verdadeiramente capazes de representar valores universais.

Também é poeta, autor do livro Escrita INKZ: antimanifesto para uma arte incapaz.

Uma de suas preocupações é aproximar a ciência do senso comum, com vista a ampliar o acesso ao conhecimento. Por isso, é acusado por alguns sociólogos ortodoxos de integrar o campo dos que capitularam a uma espécie de demagogia sociológica, como Jacques Rancière, Luc Boltanski e outros. Como afirma em Um discurso sobre as ciências, a ciência pós-moderna deve voltar-se ao senso comum e inclusive tornar-se senso comum - sendo decorrentes dessa afirmação, as divergências dos diferentes cientistas.

Defensor da ideia de que movimentos sociais e cívicos fortes são essenciais ao controlo democrático da sociedade e ao estabelecimento de formas de democracia participativa, foi inspirador e sócio fundador em 1996 da Associação Cívica Pro Urbe (Coimbra).

Sua trajetória recente é marcada pela proximidade com os movimentos organizadores e participantes do Fórum Social Mundial e pela participação na coordenação de uma obra coletiva de pesquisa denominada Reinventar a Emancipação Social: Para Novos Manifestos.

Algumas obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • 1988: O Social e o Político na Transição Pós-moderna
  • 1989: Introdução a uma ciência pós-moderna
  • 1990: O Estado e a Sociedade em Portugal (1974-1988). Porto: Afrontamento.
  • 1993 (org.): Portugal: um retrato singular, Porto: Afrontamento.
  • 1994:"Pela mão de Alice - o social e o político na pós-modernidade". Porto: Afrontamento.
  • 2000 Para uma concepção pós-moderna do direito. Acrítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência, Porto: Afrontamento.
  • 2001 (org.): Globalização: Fatalidade ou Utopia?, Porto: Afrontamento.
  • 2004 : Escrita INKZ, Rio de Janeiro: Aeroplano.
  • 2005: " A Universidade do Século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade". 2.ed. São Paulo: Cortez Editora, 2005. (Coleção questões de nossa época; v.120).
  • 2005: O Fórum Social Mundial: manual de uso. São Paulo: Cortez Editora.
  • 2006 : Viagem ao centro da pele. Rio de Janeiro: Revista Confraria do Vento 7
  • 2006 : A gramática do tempo: para uma nova cultura política, S. Paulo, Porto : Cortez Ed., Afrontamento.
  • 2006 : The Heterogeneous State and Legal Pluralism in Mozambique, Law & Society Review, 40, 1: 39-75.
  • 2007: La Reinvención del Estado y el Estado Plurinacional. Cochabamba: Alianza Internacional CENDA-CEJIS-CEDIB, Bolívia
  • 2007: El derecho y la globalización desde abajo. Com Rodriguez Garavito, César A. (Orgs), México: Anthropos.
  • Cognitive Justice in a Global World: Prudent Knowledge for a Decent Life (Org.). Lanham: Lexington,
  • 2007: Para uma revolução democrática da justiça. São Paulo: Cortez Editora
  • 2008 Conocer desde el Sur: Para una cultura política emancipatoria. La Paz: Plural Editores.
  • 2008: Diritto ed emancipazione sociale. Troina: Città Aperta Edizioni
  • 2008: As Vozes do Mundo (Org.). Porto: Edições Afrontamento.
  • A universidade no século XXI. Para uma universidade nova (com Naomar de Almeida Filho). Coimbra: Edições Almedina, 2008.
  • 2009: Epistemologias do sul. Com Maria Paula (Orgs.) Coimbra: Edições Almedina.
  • 2009: Sociología Jurídica crítica: Para un nuevo sentido común del derecho. Madrid: Trotta.

Prêmios e honrarias[editar | editar código-fonte]

  • 1994 - Prémio Pen Club Português 1994 (Ensaio).
  • 1996 - Grande Oficial da Ordem Militar de Sant'iago de Espada, concedido pelo Presidente da República Portuguesa.
  • 1996 - Grande Oficial da Ordem de Rio Branco, concedido pelo Presidente da República Federativa do Brasil.
  • 1996 - Prêmio Gulbenkian de Ciência 1996.
  • 2001 - Prémio Jabuti (Brasil) - Área de Ciências Humanas e Educação.
  • 2005 - Prêmio “Reconocimiento al Mérito”, concedido pela Universidade Veracruzana, México.
  • 2006 - Prêmio de Ensaio Ezequiel Martínez Estrada 2006, da Casa de las Américas, Cuba.
  • 2007 - Menção honrosa do "Prémio Libertador ao Pensamento Crítico - 2006", Venezuela.
  • 2009 - Prêmio Adam Podgórecki, atribuído pela Associação Internacional de Sociologia.
  • 2012 - Título doutor honoris causa atribuído pela Universidade de Brasília Brasil.
  • 2013 - Prémio Nacional de Poesia da Vila de Fânzeres, com a obra "Pomada em Pó" Portugal.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.