Carlos César (político)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carlos César
Carlos César
Vida
Nascimento 30 de Outubro de 1956 (58 anos)
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Jornalista e político
Barack Obama (esq.) encontra-se com Carlos César (dir.) durante visita aos Açores em 19-20 de novembro de 2010. Ao fundo, está presente o ex-primeiro-ministro José Sócrates.

Carlos Manuel Martins do Vale César GCC (Ponta Delgada, 30 de outubro de 1956) é um jornalista e político português açoriano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É sobrinho neto de Manuel Augusto César, jornalista da Primeira República Portuguesa, que foi director dos jornais O Proletário, o Protesto e o Protesto do Povo, todos publicados em Ponta Delgada.

A sua formação cívica, nos anos imediatamente anteriores à Revolução dos Cravos (25 de abril de 1974), está influenciada pelo irmão, Horácio do Vale César, jornalista, e a outras figuras da época nos meios estudantis da oposição em Ponta Delgada, como Jaime Gama, Mário Mesquita e Medeiros Ferreira, todos eles estudantes no Liceu Nacional Antero de Quental. Foi membro da Cooperativa Cultural Sextante, depois encerrada pela PIDE/DGS e, em 1973, passou a integrar a Comissão Dinamizadora da Comissão Democrática Eleitoral, também em Ponta Delgada. A 26 de abril de 1974 fundou a Associação de Estudantes do Liceu Antero de Quental e, um mês depois, a Juventude Socialista nos Açores. Foi membro do primeiro Secretariado eleito da Secção de Ponta Delgada do Partido Socialista, integrou a delegação dos Açores ao I Congresso Nacional do Partido Socialista e ao I Congresso Nacional da Juventude Socialista.

Em 1975 iniciou os estudos de Direito, na Universidade de Lisboa, nunca concluídos. Integrou a Direcção da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa e trabalhou como coordenador de uma cooperativa de documentação e cultura, à medida que se destacava como dirigente nacional da Juventude Socialista, de que é, hoje, membro honorário nacional. Foi adjunto do secretário de Estado da Administração Pública do II Governo Constitucional, em 1978.

Regressou aos Açores para exercer o cargo de deputado à Assembleia Legislativa Regional, em janeiro de 1981. Integrou, pouco tempo depois, a Direcção do Grupo Parlamentar do Partido Socialista e várias comissões parlamentares, presidindo à Comissão dos Assuntos Económicos. Mais tarde foi eleito vice-presidente da Assembleia Regional. Foi eleito presidente do Partido Socialista nos Açores, cargo que exerceu de 1983 a 1985. Voltou a Lisboa, como deputado à Assembleia da República, entre 1987 e 1989. Foi membro da Assembleia Municipal de Ponta Delgada e presidente da Assembleia de Freguesia da Fajã de Baixo. Em 1994 regressou à liderança do Partido Socialista nos Açores.

Nas eleições regionais de 13 de outubro de 1996, como candidato dos socialistas açorianos à presidência do Governo Regional, anulou uma diferença de mais de 20% que separava o Partido Socialista do Partido Social Democrata, vencendo com 46% dos votos expressos. A 9 de novembro de 1996 tomou posse como presidente do VII Governo Regional dos Açores, cargo em que se manteve até 6 de novembro de 2012, e para o qual foi sempre eleito com maioria absoluta.

Foi membro do Conselho de Estado, do Conselho Superior de Defesa Nacional, do Conselho Superior de Segurança Interna e do Conselho Superior de Protecção Civil. Foi Presidente da Conferência de Presidentes das Regiões Ultraperiféricas da União Europeia, de 2003 a 2004, e membro titular permanente do Comité das Regiões da União Europeia, do Congresso dos Poderes Regionais e Locais do Conselho da Europa, e da Assembleia das Regiões da Europa.

A 19 de Fevereiro de 2013 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[1]

Carlos César é casado com Luísa Maria Assis Vital Gomes do Vale César, licenciada em História e pós-graduada em Ciências Documentais, desde 1977. Tem um filho, Francisco, nascido a 11 de Novembro de 1978.

Em abril de 2013, o ex-presidente do Governo Regional dos Açores reformou-se. Carlos César, aos 56 anos, é declarado reformado recebendo quase 2 mil euros mensais pelo cargo de deputado na Assembleia Legislativa Regional[2] .

Referências

  1. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas Presidência da República Portuguesa. Visitado em 2013-03-08. "Resultado da busca de "Carlos Manuel Martins do Vale César"."
  2. Carlos César reforma-se com 1.897 euros por mês.