Culinária da Índia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Culinária indiana)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A culinária da Índia é o nome genérico da culinária do subcontinente indiano, caracterizada pelo extenso uso de vários tipos de temperos, ervas e outros vegetais, além de frutas locais. Cada família da cozinha indiana possui um extenso sortimento de pratos e técnicas culinárias. Como consequência, ela varia de região para região, refletindo a variedade demográfica e a diversidade étnica do subcontinente.

A crença e a cultura hindu vem mostrando grande influencia na evolução da cozinha indiana. Porém, a culinária indiana é interpretada como resultado das grandes interações regionais do subcontinente desde os mongóis, até a ocupação e saída dosbritânicos fazendo dela uma mistura única de várias cozinhas internacionais[1] .

Cada tempero comercializado entre a Índia e a Europa, as especiarias, como por exemplo, a pimenta, o gengibre, a canela, o cravo e a noz- moscada, teve importância histórica e esse comércio foi o maior catalisador que motivou era dos descobrimentos europeu, iniciada com as tentativas de alcançar a Índia contornando a África pelo mar. A descoberta da rota marítima para a Índia em 1498, por Vasco da Gama, sinalizou o início do estabelecimento de territórios controlados pelas potências européias no subcontinente. Os portugueses constituíram bases em Goa, Damão, Diu e Bombaim, dentre outras. Seguiram-se os franceses e os neerlandeses no século XVII.

Mais tarde no período colonial, com a ocupação inglesa, foi introduzida a culinária européia na Índia, o que diversificou ainda mais a cozinha indiana. A Companhia Inglesa das Índias Orientais estabeleceu uma primeira base em Bengala, em 1757. Na altura dos anos 1850, os britânicos já controlavam quase todo o subcontinente, inclusive o território correspondente aos atuais Paquistão e Bangladesh.

E mais recentemente quando os ingleses após a Segunda Grande Guerra Mundial resolveram deixar e dividir a Índia ( de predomínio hindu ao sul ) criando o Paquistão ( região de maioria muçulmana ) provocou-se maciços deslocamentos humanos de grandes grupos populacionais entre os dois territórios motivados por preconceito de ambas as partes decorrentes de diferença religiosa, também influenciando a cultura culinária local. Tal se deu porque organizações sociais fundadas no final do século XIX e início do século XX para defender os interesses indianos junto ao governo da Índia britânica transformaram-se em movimentos de massa contra a presença britânica no subcontinente, agindo por meio de ações parlamentares e resistência não-violenta. Após a partição da Índia, ou seja, a separação do antigo Raj britânico entre a República da Índia e o Paquistão, em agosto de 1947, o mundo testemunhou a maior migração maciça da história, quando um total de 12 milhões de hindus, siques e muçulmanos cruzaram a fronteira da Índia com o Paquistão Ocidental e a fronteira da Índia com o Paquistão Oriental [2] .

Hoje a cozinha indiana vem influenciando as cozinhas em todo o mundo, especialmente no sudeste da Ásia e no Caribe.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. "Influências na cozinha indiana - em inglês" http://www.indianfoodsco.com/Classes/CulinayHistory.htm
  2. http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_%C3%8Dndia


Ícone de esboço Este artigo sobre culinária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.