Deficiência de zinco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Deficiência de zinco
Zinco
Classificação e recursos externos
CID-10 E60
CID-9 269.3
DiseasesDB 14272
Star of life caution.svg Aviso médico

Deficiência de zinco ou hipozincemia é uma deficiência nutricional muito comum e perigosa, porém pouco diagnosticada. Apenas 2g de zinco já são suficientes para um adulto de 60kg. Recomenda-se uma dieta com 10mg diários para adultos e 12mg para grávidas e lactantes. [1]

O zinco é essencial na composição ou como cofator para diversas enzimas envolvidas no metabolismo de carboidratos, proteínas, lipídeos e ácidos nucleicos. Dessa forma, é essencial para uma boa cicatrização, divisão celular, crescimento e imunidade. Além disso é importante para o paladar e olfato. [2]

Causas[editar | editar código-fonte]

Além de uma dieta pobre em zinco, existem diversas outras causas envolvendo má absorção ou excreção excessiva, especialmente doenças gastrointestinais e renais. Dificilmente é diagnosticada sozinha. Frequentemente está associado a[3] :

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Enquanto uma deficiência moderada pode ser assintomática, os sintomas de uma deficiência severa e prolongada são[4] [5] :

Durante a gravidez pode causar má formação do feto (inclusive anencefalia), hemorragia, abrupção da placenta, obstrução do útero e aborto.[6]

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

Atinge cerca de 17% da população mundial, a maioria em países subdesenvolvidos, sendo especialmente comum na América central, no Sudeste asiático e na África subsaariana onde afetam mais de 25% da população.[7] [8]

Animais e plantas também sofrem com falta de zinco. Plantas sem zinco crescem menos e produzem menos.[9] Animais não-humanos sem zinco também tem problemas imunes, metabólicos e reprodutivos.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Star of life caution.svg
Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.
Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

Fontes de zinco[editar | editar código-fonte]

Suplementos de zinco por via oral ou intravenosa e uma mudança na dieta para incluir alimentos ricos em zinco como[3] :

Pessoas saudáveis não devem exceder 25mg de consumo diário, para não sofrer com excesso de zinco (hiperzincemia).

Alimentos que prejudicam sua absorção[editar | editar código-fonte]

Para melhorar a absorção devem ser EVITADOS:

Esses fatores que dificultam absorção do zinco podem estar envolvidos na causa do déficit.

Referências

  1. Zinc - Fact Sheet for Health Professionals; Office of Dietary Supplements, National Institutes of Health, June 2013.
  2. http://www.patient.co.uk/doctor/zinc-deficiency-excess-and-supplementation
  3. a b http://www.healthstatus.com/health_blog/wellness/the-effects-of-zinc-deficiency-on-human-health/
  4. http://www.patient.co.uk/doctor/Zinc-Deficiency.htm
  5. http://www.healthstatus.com/health_blog/wellness/the-effects-of-zinc-deficiency-on-human-health/
  6. Shah D, Sachdev HP (2006). "Zinc deficiency in pregnancy and fetal outcome". Nutr. Rev. 64 (1): 15–30. doi:10.1111/j.1753-4887.2006.tb00169.x. PMID 16491666.
  7. http://www.plosone.org/article/info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pone.0050568
  8. Maret W, Sandstead HH (2006). "Zinc requirements and the risks and benefits of zinc supplementation". J Trace Elem Med Biol 20 (1): 3–18. doi:10.1016/j.jtemb.2006.01.006. PMID 16632171.
  9. Alloway, Brian J. (2008). "Zinc in Soils and Crop Nutrition , International Fertilizer Industry Association, and International Zinc Association".