Estado tampão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Estado tampão é um termo em geografia política que designa um país situado entre duas grandes potências previsivelmente hostis, e que, pela sua própria existência, poderá prevenir algum conflito entre as mesmas.[1] Geralmente, quando um estado tampão é realmente independente, a sua política externa tem uma orientação neutral.

O conceito de estado tampão formou-se nos meios diplomáticos da Europa do século XVII, embora em retrospetiva se possam encontrar exemplos de tais estados em todas as épocas.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Estado-tapón. Claseshistoria.com.
  2. País nasceu no século 19 como Estado-tampão. Folha de S. Paulo (14 de setembro de 2007).
  3. Uruguai independente: Província da Cisplatina deixou de ser brasileira. Uol Educação.
  4. Michel Jacq-Hergoualch, Le Siam, Guide Belles Lettres des Civilisations, Les Belles Lettres 2004, ISBN 2-251-41023-6, p. 54.
  5. Christian Taillard, Laos, stratégies d'un État-tampon, Reclus, 1989, 200 p. ISBN 2869120264

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • (em inglês) Michael Greenfield Partem, The Buffer System in International Relations, The Journal of Conflict Resolution, Vol. 27, No. 1 (Mars 1983), pp. 3-26.
  • (em inglês) Barnett R. Rubin, The Search for Peace in Afghanistan: From Buffer State to Failed State, Yale University Press, 1995, 190 p. ISBN 0300063768