Força de Emergência das Nações Unidas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde março de 2012).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A primeira Força de Emergência das Nações Unidas (UNEF) foi criada pela Assembléia Geral da ONU para garantir um fim à Crise de Suez de 1956 com a resolução 1001 (ES-I) em 7 de novembro de 1956. A força foi desenvolvido em grande parte como resultado dos esforços do Secretário-Geral Dag Hammarskjöld e uma proposta do ministro das Relações Exteriores canadense Lester Pearson. A Assembléia Geral tinha aprovado um plano apresentado pelo Secretário-Geral que previa a implantação da UNEF em ambos os lados da linha de armistício. No entanto, o governo de Israel recusou-se a permitir a implantação da UNEF em seu lado da linha.

História[editar | editar código-fonte]

UNEF foi a primeira força militar das Nações Unidas de seu tipo.

Imagem de Canadenses e Panamenhos membros das tropas de manutenção da paz da ONU (UN Peacekeepers) no Sinai, no decurso de 1974.

Uma vez que as resoluções operatórias da ONU não foram aprovadas no âmbito do Capítulo VII da Carta das Nações Unidas, a implantação prevista de uma força militar teve que ser aprovado pelo Egito e Israel. O Primeiro Ministro de Israel recusou-se a restabelecer as linhas de armistício de 1949 e afirmou que sob nenhuma circunstância Israel concordaria com o estacionamento de forças da ONU no seu território ou em qualquer área que ocupava. Depois de negociações multilaterais com Egito, onze países ofereceram-se para contribuir em uma força no lado egípcio da linha de armistício: Brasil, Canadá, Colômbia, Dinamarca, Finlândia, Índia, Indonésia, Noruega, Polônia, Suécia e Iugoslávia. Foi também prestado apoio por parte dos Estados Unidos, Itália e Suíça. As primeiras forças chegaram pela primeira vez no Cairo em 15 de novembro; a UNEF encontrou seu pleno vigor de 6000 soldados em fevereiro de 1957. A força foi totalmente implantado em áreas designadas em torno do canal, no Sinai e em Gaza, quando Israel retirou suas ultimas forças de Rafah em 08 março de 1957. O Secretário-Geral solicitou estacionar forças da UNEF no lado israelense das linhas do armistício de 1949, mas tal solicitação foi rejeitada por Israel.

Etapas da UNEF I e II

  • 1956 UN Emergency Force I (Força de Emergência das Nações Unidas) (UNEF I), primeira força de paz armada.
    • Objetivo: Supervisionar a retirada de tropas durante a Crise de Suez.
      • Status: Terminou em junho de 1967
  • 1973 UN Emergency Force II (Força de Emergência das Nações Unidas)(UNEF II)
    • Objetivo: Supervisionar a retirada das forças do Sinai após o conflito entre Egito, Síria e Israel.
      • Status: Terminou em julho de 1979

Comandantes da Força[editar | editar código-fonte]

Estacionadas na cidade de Gaza

  • Novembro de 1956 a Dezembro de 1959 Tenente-General E.L.M Burns (Canadá)
  • Dezembro de 1959 a Janeiro de 1964 tenente-general P.S Gyani (Índia)
  • Janeiro de 1964 a Agosto de 1964 Major-General Carlos F. Paiva Chaves (Brasil)
  • Agosto de 1964 a Janeiroago 1965 Coronel Lazar Mušicki (Iugoslávia) (em exercício)
  • Janeiro de 1965 a Janeiro de 1966 Major-General Syseno Sarmento (Brasil)
  • Janeiro de 1966 a Junho de 1967 Major-General Indar J. Rikhye (Índia)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Trecho do Filme Lamarca,filme brasileiro de 1994, em que faz referência de sua participação em Suez como membro das tropas de paz da ONU.
  • (Youtube)- Lamarca (O filme) - Participação em Suez (UNEF)]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]