Hermann Blumenau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hermann Blumenau
Nascimento 26 de Dezembro de 1819
Hasselfelde
Morte 30 de Outubro de 1899 (79 anos)
Braunschweig
Nacionalidade Alemanha Alemão

Hermann Bruno Otto Blumenau (Hasselfelde no Harz, 26 de Dezembro de 1819Braunschweig, 30 de Outubro de 1899) foi um filósofo, administrador e químico farmacêutico alemão e o fundador da cidade brasileira de Blumenau, situada no vale do Rio Itajaí-Açu no estado de Santa Catarina.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Ele foi o sexto filho de um inspector florestal. Entre 1836 (tinha 15 anos) e 1840 fez os estudos secundários na área da farmacêutica, com a perspectiva de estudar química na universidade.

Em 1840 e 1841 trabalhou numa farmácia em Hasselfelde. Trabalhou depois em uma farmácia em Erfurt. Conheceu ali Alexander von Humboldt e Justus von Liebig, por intermédio de conhecidos. Neste intermédio viajou a Londres, onde conheceu o Cônsul-Geral do Brasil, o Sr. Sturz. Hermann Blumenau vislumbrou então a perspectiva da emigração para o Brasil.

Voltou no entanto à Alemanha, onde se inscreveu em 1844 na Universidade de Erlangen-Nürnberg, onde cursaria química. Concluiu o doutorado em 1846.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Viajou pela primeira vez para o Brasil em 1846, onde ficou inicialmente apenas dois anos. Retornou em 1850 fundou a colônia São Paulo de Blumenau.

Entre 1850 e 1859 trabalhou na colónia cuja licença de exploração ele obtivera.

Em 1860 o regime brasileiro tomou conta do município. Hermann Blumenau tornou-se o primeiro director oficial da colônia, pago pelo estado. A população de Blumenau em 1860 seria de 947 habitantes. Blumenau cresceu, escolas e hospitais foram criados.

Em 1880 seriam já 15 000, na maioria de origem alemã.

Em 1884 Hermann Blumenau regressou para a Alemanha, sem levar grandes posses.

Regresso à Alemanha[editar | editar código-fonte]

Sepultura de Hermann Blumenau no Hauptfriedhof Braunschweig

Após o seu regresso à Alemanha, viveu em Braunschweig, no actual estado alemão da Baixa Saxônia, com a mulher com quem casara em 1867 e os seus três filhos, que estudaram na Alemanha. Ele morreu em Braunschweig, em 30 de Outubro de 1899. Sua sepultura está no cemitério central (Hauptfriedhof) de Braunschweig, Helmstedter Straße 38.

Seus restos mortais, bem como os de sua esposa, foram transladados para Blumenau, onde repousam no mausoléu construído especialmente para esta finalidade.

Legado[editar | editar código-fonte]

A cidade que fundou e que leva o seu nome tem cerca de 310 000 habitantes em 2012. É uma cidade que possui um alto IDH, dentre os melhores do Brasil, com forte indústria têxtil e eletroeletrônica. A cultura alemã foi preservada. Escolas alemãs, igrejas - católicas e luteranas - e mesmo festividades típicas da Alemanha (festa da cerveja, por exemplo, a Oktoberfest de Blumenau) prevalecem ainda hoje.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. Procedência dos alemães que emigraram para o Brasil (Deutsche Welle em Português)