Kenneth Anger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kenneth Anger
Nome completo Kenneth Wilbur Anglemeyer
Nascimento 3 de fevereiro de 1927
Santa Mônica, Califórnia
Nacionalidade Estados Unidos estadunidense
Ocupação Cineasta, autor, ator
Principais trabalhos Fireworks (1947)
Scorpio Rising (1964)

Kenneth Anger (nascido Kenneth Wilbur Anglemeyer, em 3 de fevereiro de 1927) é um cineasta underground, autor e ator. Célebre por seus filmes experimentais, sem tentativa de alcançar sucesso comercial, ele se especializou apenas em curta metragem - sendo que, desde 1937, ele fez mais de quarenta filmes, fazendo com que ele ganhasse fama de um dos mais influentes cineastas de filmes independentes na história do cinema.

Muito frequentemente, os seus filmes misturam elementos do surrealismo com homoerotismo e ocultismo. Os seus filmes também já foram descritos como "conteúdos de erótica, documentário, psicodrama e espetáculo." Anger descreveu a si mesmo como sendo "um dos primeiros cineastas homossexuais dos Estados Unidos, e, certamente, o primeiro a trabalhar com a homossexualidade de forma nada discreta. Alguns de seus principais filmes homoeróticos, tais como Fireworks (1947) e Scorpio Rising (1964), foram produzidos em pró da legalização da homossexualidade nos Estados Unidos. Ele também se concentrou bastante em temas do ocultismo, tornando-se obcecado pelo famoso ocultista inglês Aleister Crowley (como se não bastasse, ele, mais tarde, tornaria-se também seguidor da Thelema, a religião de Aleister Crowley). Esta influência é bastante evidente em filmes como Inauguration of the Pleasure Dome (1954), Invocation of My Demon Brother (1969) e, principalmente, Lucifer Rising (1972).

Anger disse que os cineastas franceses Auguste e Louis Lumière e Georges Méliès são suas influências, e disse também que eles foram uma forte influência nos trabalhos de cineastas contemporâneos, como Martin Scorsese, David Lynch e John Waters. Ele disse também que causou "um impacto profundo no trabalho de muitos cineastas e artistas."

Durante os anos 60 e 70, ele trabalhou e se associou com diversos famosos da cultura popular e do ocultismo, incluindo Anton LaVey (o fundador da Igreja de Satã), o sexologista Alfred Kinsey, o artista Jean Cocteau, o roteirista Tennessee Williams e músicos como Mick Jagger, Keith Richards, Jimmy Page e Marianne Faithfull.

Kenneth Anger é também o autor de best-sellers controversos como Hollywood Babylon (1959) e sua sequência Hollywood Babylon II (1986), no qual ele expõe vários rumores e segredos sobre as celebridades de Hollywood.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Kenneth Anger gosta de privacidade e sempre foi extremamente individual, porém isso não o impediu de conceder entrevistas no decorrer dos anos. Em 2008, um entrevistador chamado David Wingrove, o descreveu como sendo "uma diversão. Gentil, de fala mansa, impecavelmente bronzeado, e que ele se parece duas décadas mais novo, e não um homem de 78 anos". Por outro lado, em algumas entrevistas, ele se recusou a dar algumas informações pessoais, como, por exemplo, revelar porque ele mudou o seu nome de Anglemeyer para Anger. Ele disse ao entrevistador: "Você está sendo impertinente. O meu passaporte diz Anger, e isso é tudo que você precisa saber. Eu ficaria longe disso se fosse você."

Anger é homossexual assumido. Ele também brincou dizendo que achava que era a favor da KKK, o que levantou um tópico de racismo. Ele também suporta o Movimento para a independência do Tibete.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título Duração Outras Informações
1937 Ferdinand the Bull Filme perdido.
1941 Who Has Been Rocking My Dreamboat 7 mins. Um filme mudo e preto-e-branco, no qual Anger filmou doze crianças em Santa Mônica, na Califórnia, intercalando imagens de guerra e destruição à filmagem, que termina quando uma névoa preenche todo o cenário e todas elas caem, aparentemente mortas.
1941–42 Tinsel Tree 3 mins. Um filme mudo e preto-e-branco, no qual Anger, pessoalmente, aparece.
1942 Prisoner of Mars 11 mins. Um filme mudo e preto-e-branco, que mistura ficção científica com o antigo mito grego do Minotauro.
1943 The Nest 20 mins. Um filme mudo e preto-e-branco, no qual um irmão (interpretado por Bob Jones) e uma irmã (interpretada por Jo Whittaker) estão examinando espelhos quando uma terceira pessoa (Dare Harris) aparece, fazendo eles reagirem violentamente um com o outro.
1944 Demigods (Escape Episode) 35 mins. Um filme mudo e preto-e-branco, baseado no antigo mito grego de Andrômeda, no qual uma garota (Marilyn Granas) é aprisionada nas ruínas de uma igreja neogótica, vigiado por diversos fanáticos religiosos, até que ela é salva por um garoto (Bob Jones), que representa Perseu.
1945 Drastic Demise 5 mins. Um filme mudo e preto-e-branco, no qual Kenneth Anger, em Hollywood, filma o Dia V-J.
1946 Escape Episode 27 mins. Uma versão encurtada de Demigods (Escape Episode), que mostra um poema de Alexander Scriabin sobre o Ecstasy, sobreposto ao barulho de pássaros, vento e mar.
1947 Fireworks 15 mins. Filmado em preto-e-branco, este filme é um trabalho homoerótico visto através dos olhos do protagonista, interpretado pelo próprio Kenneth Anger.
1949 Puce Moment 6 mins. Filmado em cores, o filme mostra Yvonne Marquis em sua casa, no papel de uma celebridade. A música é de Jonathan Halper, e o filme termina com Yvonne Marquis experimentando perfumes e vestidos.
1949 The Love That Whirls Desconhecido Influenciado pelo texto antropológico de James Frazer, o filme se concentra na civilização asteca, e mostra um jovem que é escolhido para ser rei por um ano antes de ser sacrificado em um ritual. Devido ao seu tema e conteúdo explícito, que mostra nudez, o filme foi destruído pela Eastman-Kodac.
1950 Rabbit's Moon 16 mins (1972) e 7 mins (1979) Filmado em 35 mm, o filme mostra uma pequena clareira arborizada, onde vive um palhaço. Esse palhaço decide então ir para a lua, onde vive um coelho.
1951–52 Les Chants de Maldoror Desconhecido Filme baseado na novela Le Comte de Lautreamont, de Isidore Ducasse.
1953 Eaux d'Artifice 12 mins.
1953 Le Jeune Homme et la Mort Desconhecido Baseado numa peça de Jean Cocteau, este filme mudo e preto-e-branco traz Jean Babilee (no papel do jovem), e Nathalie Philipart (no papel da morte). Foi filmado em 16 mm, pois os produtores queriam conseguir fundos para versão uma versão colorida em 35 mm. Entretanto, esta idéia nunca se concretizou.
1954 Inauguration of the Pleasure Dome 38 mins.
1955 Thelema Abbey 10 mins. Um documentário sobre o mosteiro de Thelema de Aleister Crowley, em Sicília.
1961 L'Histoire d'O 20 mins. Baseado na novela A História de O, de 1954, escrita por Pauline Réage.
1963 Scorpio Rising 29 mins.
1965 Kustom Kar Kommandos 3 mins. Filme colorido.
1969 Invocation of My Demon Brother 12 mins.
1970–1980 Lucifer Rising 29 mins.
1976 Senators in Bondage Filme perdido.
1977 Matelots en Menottes Filme perdido.
1979 Denunciation of Stan Brakhage 7 mins. Filme perdido.
2000 Don't Smoke That Cigarette!
2002 The Man We Want to Hang 12 mins.
2004 Anger Sees Red 4 mins.
2004 Patriotic Penis
2005 Mouse Heaven 11 mins. Uma montagem de memorabilia de Mickey Mouse, dos anos 20 aos anos 30, acompanhado por uma música de jazz.
2007 Elliott's Suicide 15 mins.
2007 I'll Be Watching You 5 mins.
2007 My Surfing Lucifer 4 mins. Filme colorido, porém sem áudio.
2008 Death 42 secs.
2008 Foreplay 7 mins.
2008 Ich Will! 35 mins.
2008 Uniform Attraction 21 mins.
2010 Missoni 2 mins. 32 secs.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.