Lisa Nowak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lisa Nowak

Lisa em foto da STS-121, 2005
Astronauta da NASA
Nacionalidade Estados Unidos norte-americana
Nascimento 10 de Maio de 1963 (51 anos)
Washington, Estados Unidos
Tempo no espaço 12 d 18 h 36 min
Missões STS-121
Insígnia
da missão
Insígnia da STS-121

Lisa Marie Caputo Nowak (Washington, 10 de maio de 1963) é uma ex-astronauta e oficial naval norte-americana que foi ao espaço no ônibus espacial Discovery em julho de 2006, em missão de teste de espaçonave, no segundo vôo do programa do ônibus espacial após a tragédia com a nave Columbia, em 2003.

Lisa começou a se interessar pelo programa espacial norte-americano desde os seis anos de idade, quando acompanhou a descida do homem na Lua e enquanto crescia seguiu com interesse a implantação do ônibus espacial, principalmente a introdução de mulheres astronautas no programa espacial, formando-se como engenheira aeroespacial em 1985. Após isso, graduou-se como piloto da marinha, acumulando mais de 1500 horas de vôo em trinta aeronaves diferentes antes de entrar para a NASA.

Em 1996 foi selecionada para ser astronauta ela NASA e qualificada como especialista de missão e foi ao espaço em 4 de julho de 2006, no retorno do ônibus espacial às viagens orbitais, missão esta que incluiu uma estadia na Estação Espacial Internacional e diversas atividades extra-veiculares. Como primeira norte-americana de ascendência italiana a ir ao espaço, Nowak levou no peito um broche de ouro da Organização Nacional de Mulheres Ítalo-Americanas.

Seqüestro[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2007, Lisa Nowak - casada e mãe de tres filhos - foi acusada de tentativa de sequestro, roubo de carro e destruição de evidências, em Orlando (Flórida). A astronauta foi atrás de Colleen Shipman, engenheira da agência, por estar namorando William Oefelein, astronauta e piloto da missão STS-116 da nave Discovery, que foi ao espaço em dezembro de 2006 e vértice do triângulo amoroso.

Quando foi presa, Nowak portava uma faca, uma marreta de aço, luvas pretas, sacos plásticos, uma pistola de chumbinho e tubos plásticos. Em seu carro a polícia também encontrou cartas de amor dela para Oefelein e mensagens eletrônicas entre ele e Shipman.

Caso seja declarada culpada pela corte americana por tentativa de sequestro, a astronauta poderá ser condenada à prisão perpétua. Seu caso ainda não foi julgado.

Pós-NASA[editar | editar código-fonte]

Nowak teve seu contrato como oficial naval com a NASA extinto em 7 de março de 2007 pela Agência. Continua em atividade na Marinha em Corpus Christi, Texas, onde está envolvida num projeto de treinamento de vôo para uso a bordo dos navios da Marinha dos Estados Unidos.

O comando naval aguarda que seu caso com a Justiça seja resolvido para que ela seja nomeada para outras tarefas internas.

Referência[editar | editar código-fonte]

  • Out There: The In-Depth Story of the Astronaut Love Triangle Case that Shocked America - Diane Fanning - St. Martin's Paperbacks - 2007 - ISBN 0312949308

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Lisa Nowak