Luís I de Espanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luís I
Rei da Espanha
Reinado 15 de janeiro de 1724
a 31 de agosto de 1724
Predecessor Filipe V
Sucessor Filipe V
Esposa Luísa Isabel de Orleães
Nome completo
Luís Filipe Fernando José
Casa Bourbon
Pai Filipe V de Espanha
Mãe Maria Luísa de Saboia
Nascimento 25 de agosto de 1707
Palácio do Bom Retiro, Madrid, Espanha
Morte 31 de agosto de 1724 (17 anos)
Palácio do Bom Retiro, Madrid, Espanha
Enterro San Lorenzo de El Escorial,
El Escorial, Espanha
Religião Catolicismo

Luís I (Madrid, 25 de agosto de 1707Madrid, 31 de agosto de 1724) foi o Rei da Espanha durante sete meses em 1724, da abdicação de seu pai Filipe V em janeiro até sua morte prematura em agosto. A breve duração de seu reinado fez com que ele tivesse pouca significância tanto na política interna quanto externa da Espanha.

Luís participou muito pouco dos assuntos de governo; ele não era muito interessado em política e seus pais se intrometiam no governo mesmo estando na aposentadoria. Entretanto, existiram algumas tentativas de ministros para realizar reformas internas com a intenção de emancipar o jovem monarca da supervisão dos pais. Sua vida pessoal foi marcada pelos escândalos de sua esposa Luísa Isabel de Orleães, cujas atitudes eram consideradas pouco dignas para a época.

Ele pegou varíola em julho de 1724 e acabou morrendo no mês seguinte pouco depois de seu aniversário de dezessete anos. Sua morte fez com que seu pai Filipe V reassumisse o trono espanhol, desta vez reinando até sua morte.

Início de vida[editar | editar código-fonte]

Luís em 1712, aos cinco anos, por Miguel Jacinto Meléndez.

Luís nasceu em 25 de agosto de 1707 no Palácio do Bom Retiro, Madrid.[1] Seu nome completo era Luís Filipe Fernando José[2] em homenagem ao pai e aos reis Luís XIV da França e Fernando III de Castela. Era o filho mais velho do rei Filipe V da Espanha e sua primeira esposa Maria Luísa de Saboia, sendo assim neto dos rei Luís XIV da França pelo lado paterno e Vítor Amadeu II de Saboia pelo lado materno.[3]

Foi o primeiro membro da Casa de Bourbon a nascer na Espanha, fazendo com que fosse popular entre o povo espanhol que o via sempre com grande esperança e simpatia. Seu nascimento ocorreu durante a Guerra da Sucessão Espanhola e serviu como propaganda para Filipe e também para Maria Luísa, que às lágrimas exibiu o filho ao povo dizendo: "Este é Luisinho, compatriota de vocês!"[1] Em 7 de abril de 1709, enquanto ainda tinha apenas dois anos de idade, sue pai convocou as cortes para juramentassem Luís como Príncipe das Astúrias e sucessor da coroa.[3]

Sua mãe morreu quando Luís tinha sete anos de idade, acontecimento que fez com que ele e seus irmãos adquirissem vários problemas emocionais. Luís decidiu substituir a figura de Maria Luísa e assumir as responsabilidades dos cuidados dos irmãos, especialmente depois que Filipe se casou com Isabel Farnésio. Ele teve inicialmente a tutela de Maria Ana de La Trémoille, Princesa de Ursins e chegada de sua madrasta. Isabel, apesar de nunca ter maltratado os filhos do primeiro casamento do marido, posteriormente enviou Luís para as mãos do cardeal Giulio Alberoni para não continuar com a atmosfera familiar já existente.[1] [4] Em seguida o príncipe foi instruído pelo jesuíta Ignace de Labrussel, porém sua educação não foi profunda. Ele tinha pouco interesse nos assuntos comuns, más era um amante das artes e gostava muito de música, principalmente daquelas que podiam ser dançadas.[5]

Aos treze anos de idade, Luís combinava a vida palaciana com atividades mundanas. Ele gostava de roubar os pomares próximos do Palácio do Bom Retiro e de sair durante a noite com pessoas de má reputação.[6] O príncipe costumava mandar que seus criados buscassem mulheres nas ruas de Madrid; Luís herdou a natureza sexual de seu pai e sempre saía acompanhado de seu servente Lacotte.[7] Essa prática foi mantida mesmo depois de seu casamento, principalmente para ficar longe da esposa. Isso fez com que ficasse muito popular entre o povo de Madrid, que sempre o viam andando pelas ruas.[8] Nessa época, circulou um comentário anônimo definindo o comportamento de Luís:

Aparência e personalidade[editar | editar código-fonte]

Luís em 1717, aos dez anos, por Michel Ange Houasse.

Luís era alto e magro, tinha cabelos loiros, era considerado feio para os padrões da época e dizia-se que era semelhante em aparência ao seu avô Vítor Amadeu II.[10] Entretanto, tinha era fisicamente delicado, fraco e com pouca força nos braços.[5]

Sabe-se pouco sobre sua personalidade. Vicente Bacallar, Marquês de São Filipe, o descreveu após sua morte como "extremamente liberal, magnânimo e inclinado a agradar todos: nem sua liberdade como Rei contaminou sua vontade", além de "gentilíssimo", também enfatizando sua devoção religiosa.[8] Outros contemporâneos alegaram que Luís havia herdado a inteligência e charme pessoal de sua mãe e a retidão moral de seu pai, que sempre demonstrava uma grande submissão pessoal.[10] Luís de Rouvroy, Duque de São Simão, disse que ele gostava de caçar, porém a verdade era que Luís odiava a prática em geral, particularmente com armas de fogo, pois assistiu desde sua infância as repetidas caças de seus pais.[5]

Por outro lado, afirmou-se que ele tinha herdado o comportamento sexual de Filipe. Dizia-se que Lacotte, o servente que o acompanhava em seus passeios por Madrid e que tinha a reputação de ser um pedófilo, havia sido enviado para seduzir o príncipe convencido que o jovem tinha dificuldades em copular.[7] Por seu casamento nunca ter sido consumado, testemunhos começaram a aparecer mencionando uma ambiguidade sexual por parte de Luís. Como W. Clarke comenta: "... o herdeiro espanhol gostava igualmente de partilhar suas festas com jovens de ambos os sexos, alternando jogos eróticos um com outras". Em suma, Luís era realmente bissexual, tendo sido iniciado na homossexualidade por um criado oriundo de Versalhes, e o próprio não via nenhum problema no fato de gostar dos dois sexos.[11]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Luís era casado com a princesa francesa Luísa Isabel de Orleães , filha de Filipe de Orleans, desde 1722. Quando se casou, ele tinha quinze anos e ela tinha doze anos. Luísa Isabel, como rainha, foi vítima de fortes críticas por seu comportamento bizarro. No entanto, quando o jovem rei caiu doente com varíola , em agosto daquele ano, cuidou dele solicitamente, expondo-se à infeção, como foi o caso, mesmo com um resultado diferente da de seu marido. Sete meses depois de ascender ao trono, o rei morreu de varíola em Madrid em 31 de agosto de 1724, tendo acabado de completar 17 anos.

Este "reinado relâmpago" foi inconsequente por sua brevidade e porque, realmente, não governava em Madrid (corte de Luís I), mas no Palácio Real de La Granja de San Ildefonso, paralelamente à corte de Filipe V e sua esposa Isabel Farnésio, ocupando Luís]só de festas com os seus amigos. Seu pai retornou ao trono após a sua morte e rainha viúva Luísa Isabel foi enviada de volta para a França, já que sua estadia na Espanha era inútil e gozava de pouca simpatia na corte espanhola. Eles não tiveram filhos.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c González Cremona 1998, p. 35
  2. Aquino de Belén, Gaspar. In: Biblioteca Nacional da Espanha. Leales demostraciones, amantes finezas, y festivas aclamaciones de la... Ciudad de Manila... en accion de gracias por el dichoso, y feliz Nacimiento de Nuestro Principe... D. Luis Phelipe Fernando Ioseph. Manila: Imprenta de la Compañia de Jesús, 1709. p. 7.
  3. a b Pérez de Guzmán y Gallo, Juan. El Principado de Asturias: bosquejo histórico-documental. Madri: Imprenta de Manuel G. Hernández, 1880. p. 271.
  4. Vidal Sales 1994, p. 59
  5. a b c González Cremona 1998, p. 36
  6. González Cremona 1998, p. 38
  7. a b Vidal Sales 1994, p. 61
  8. a b González Cremona 1998, p. 41
  9. Vidal Sales 1994, p. 62
  10. a b Martín 1998, p. 1678
  11. Vidal Sales 1994, p. 65
  12. Louis I, King of Spain > Ancestors RoyaList. Visitado em 3 de janeiro de 2015.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • González Cremona, Juan Manuel. Anecdotario Real: de Felipe V a Alfonso XIII. Barcelona: Plaza & Janés, 1998. ISBN 84-01-55019-9.
  • Martín, Ricardo. Historia de España: Del reinado de Felipe V a las reformaciones de Carlos III. Barcelona: Salvat. vol. 9. ISBN 84-345-9922-8.
  • Vidal Sales, José-Antonio. Crónica íntima de los reyes de España. Barcelona: Editorial Planeta, 1994. ISBN 84-08-01139-1.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Luís I de Espanha
Casa de Bourbon
Ramo da Casa de Capeto
25 de agosto de 1707 – 31 de agosto de 1724
Precedido por
Filipe V
Full Ornamented Royal Coat of Arms of Spain (1700-1761).svg
Rei da Espanha
15 de janeiro de 1724 – 31 de agosto de 1724
Sucedido por
Filipe V
Precedido por
Carlos II
Coat of Arms of the Prince of Asturias (1700-1761)-Version with Golden Fleece and Holy Spirit Collars.svg
Príncipe das Astúrias
7 de abril de 1709 – 15 de janeiro de 1724
Sucedido por
Fernando VI


Ícone de esboço Este artigo sobre um Rei da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.