Francisca Maria de Bourbon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Françoise-Marie de Bourbon, Légitimée de France, 'duchesse de Chartres' par Pierre Gobert.jpg
Arms of Françoise Marie de Bourbon, Légitimée de France as Duchess of Orléans.png

Francisca Maria de Bourbon, nasceu em 25 de maio de 1677 e morreu em 1 de fevereiro de 1749, chamada segunda "Mademoiselle de Blois", ao casar-se adquiriu o titulo de duquesa de Chartres (1692), depois foi duquesa de Orleans (1701), era a segunda filha de Luís XIV e Madame de Montespan.

Legitimada em 1681, seu pai a casou, em 19 de janeiro de 1692, com seu primo Filipe de Orleans, duque de Chartres, de Orléans e futuro regente. Seu pai lhe concedeu um grande dote: dois milhões de libras que, ainda assim, não foram suficientes para cobrir as prevenções da Casa de Orleães, particularmente as da Princesa Palatina, que ficou escandalizada por esta aliança. O casamento não foi muito feliz. Tiveram nove filhos:

Filipe teve várias amantes, mas isto não pareceu irritar muito Francisca. Em 1701, a morte de Monsieur, a elevou à classe das primeiras damas da corte, imediatamente atrás da Duquesa da Borgonha. A duquesa de Orléans foi sempre uma mulher que passava seus dias prazerosamente, rodeada por suas damas de companhia, feias e dóceis.

As relações com sua irmã mais velha, Duquesa de Bourbon, não eram precisamente cordiais. Em 1710 ambas brigaram por causa do casamento do Duque de Berry, último filho do Grande Delfim. Ambas as duquesas teriam duas filhas por casar, mas a duquesa de Orleães conseguiu manejar melhor a questão: ganhou a simpatia da Duquesa de Borgonha e, sobretudo, de Madame de Maintenon, esposa secreta do rei; assim ela conseguiu que o Duque de Berry se casasse com sua filha, Maria Luísa Isabel d’Orleães.

Em 1715 depois da morte de seu pai, o rei Luís XIV, Felipe, seu marido, se converteu em Regente de França durante a menoridade de Luis XV. Em 1721, Francisca teve a satisfação de casar suas filhas com os Infantes de Espanha. Depois da morte de seu marido em 1723, Francisca se retirou para Saint-Cloud, onde morreu em 1749.