Mikoyan-Gurevich MiG-31

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
MIG-31 Foxhound
Um Mig-31 da Força Aérea Russa
Descrição
Fabricante Mikoyan-Gurevich
Entrada em serviço 1982
Missão Caça interceptor
Tripulação 2
Dimensões
Comprimento 22,69 m
Envergadura 13,46 m
Peso
Tara 21,890 kg
Peso bruto máximo 46,200 kg
Performance
Velocidade máxima 3 030 km/h (Mach 2.85)
Alcance bélico 1,400 km
Alcance 2,850 km
Teto máximo 21,000 m
Notas
Consultar a secção Especificações

O Mikoyan-Gurevich MiG-31 (designação NATO: Foxhound) é um caça de alta performance, capacitado para interceptar e destruir múltiplos alvos aéreos a altitudes entre os 50 e os 28 000 metros, em todas as condições atmosféricas de dia e de noite.[1]
O desenvolvimento deste interceptor começou em 1970, baseado na célula do MIG-25 Foxbat, voou pela primeira vez em 16 de Setembro de 1975 e terão sido construídos desde 1979 505 exemplares nas suas várias versões.[2]
Fez a sua apresentação mundial, quando apareceu em público pela primeira vez, no Salão Aeronáutico de Paris em Julho de 1991 participando tanto na exibição estática como na aérea,[3]

Origens do projecto / Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A génese do MIG-25 e do seu derivado MIG-31, têm origem num memorando secreto, que o então Presidente dos Estados Unidos, Dwight D. Eisenhower assinou em Novembro de 1954 autorizando voos de reconhecimento a grande altitude, sobre o território da ex-União Soviética dirigidos pela CIA. Inicialmente executados por aeronaves de reconhecimento Lockheed U-2 mas interrompidos pelo abate da aeronave pilotada por Francis Gary Powers no dia 1 de Maio de 1960 por acção de um míssil terra-ar, e continuados com o uso de balões estratosféricos, até ao aparecimento do avião de reconhecimento estratégico de alta altitude e velocidade mach 3 Lockheed SR-71, que nem sequer necessitava de sobrevoar o território alvo para executar a missão, devido a elevada altitude a que operava e a sofisticação dos meios ao dispor.[nota 1]
Nasce assim o projecto de um caça interceptor de elevadas performances destinado a manter invioladas as fronteiras domésticas. Designado Ye-155, voa pela primeira em 6 de Março de 1964 na versão de reconhecimento Ye-155R-1, devido a problemas de desenvolvimento no armamento especifico da versão de intercepção Ye-155P-1, a qual só faz o primeiro voo seis meses depois a 9 de Setembro de 1964.
Dez anos mais tarde as ameaças são originadas pela penetração a baixa altitude de bombardeiros e ou de mísseis de cruzeiro lançados por estes[nota 2] . O MIG-25 está longe de ser a resposta adequada, devido às suas severas limitações a baixa altitude, a solução veio novamente do gabinete de projectos aeronáuticos Mikoyan-Gurevich que apresentou o Ye-155MP embrião do MIG-31 o qual faz o seu voo inaugural a 16 de Setembro de 1975.[4] [5]
Uma das suas características mais marcantes e que o tornam um dos mais sofisticados caças em actividade é a capacidade de agir como um mini AWACS. Funcionando em conjunto com outros três Mig-31 cobrem sob a direcção do avião líder, 1,000 Km de espaço aéreo, ou o avião líder pode pode orientar outros caças mais vocacionados para o combate aéreo, como o MIG-29 ou o Sukhoi Su-27, fornecendo toda a informação necessária, substituindo com vantagem o controlo aéreo terrestre.[4]

Mig-31 em exposição estática no museu técnico de Moscovo, Russia

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • 24 de Maio de 1968 - Directiva governamental dando início aos estudos preliminares para a substituição do MIG-25.
  • 1972 - Início do projecto detalhado do MiG-31
  • Setembro de 1975 - É revelado ao Ocidente a existência de um "MIG-25" avançado, pelo Tenente Viktor Ivanovich Belenko que desertou com um MiG-25 de Vladivostok para Hokkaido, no Japão, referindo-se ao protótipo do futuro Mig-31 que ele designou "super Foxbat".
  • Dezembro de 1976 - Construído o primeiro MiG-31 de pré-produção.
  • 15 de Fevereiro de 1978 - O radar Zaslan que equipará o MIG-31 mostrou as suas qualidades ao rastrear simultâneamente 10 alvos voando a 5,0000 metros de altitude.
  • 1986 - Primeiro voo do MIG-31D.
  • 1990 - O MiG-31B substitui o MiG-31 na linha de produção.
  • Outubro de 1993 -Primeiro lançamento com sucesso do míssil R-37 por um MIG-31M Foxhound B.
  • Abril de 1994 - Sai da linha de produção o último exemplar.

Projecto[editar | editar código-fonte]

  • Cockpit - Com uma configuração de dois lugares em habitáculos separados, o da frente destinado ao piloto e o posterior destinado ao operador de armas e radar, pressurizados e equipados com ar-condicionado. Os controles de voo são os tradicionais manche e pedais accionados por cabos com auxílio de um sistema hidráulico. Ambos os tripulantes usam uma cadeira de ejecção zero-zero[nota 3] modelo Km-1, a instrumentação é essencialmente analógica e convencional.[6]
  • Asas - Relativamente fina e trapezoidal, com uma envergadura de 13.45 m e uma área total incluindo a secção central de 61.6 m2. São unidas à fuselagem em seis pontos rígidos principais, possuem três longarinas e três mastros feitos de aço de alta resistência entre os quais existem dois tanques de combustível integrais, são ainda revestidas também de aço de alta resistência e titânio nos bordos de ataque. Na parte inferior estão localizados dois suportes para fixação de cargas externas, o interior têm a dupla função depósitos de combustível/armamento e o exterior apenas admite mísseis de curto alcance.
  • Trem de aterragem - Hidráulico tipo triciclo retráctil. A unidade do nariz com duas rodas KT-176 (tamanho 660 x 200mm) e guarda-lamas que recolhe no sentido posterior. As unidades principais, não convencionais possuem duas rodas opostas e desfasadas, KT-175 (tamanho 950 x 300mm). que recolhem girando em torno do pé ficando na posição horizontal quando alojadas na fuselagem. Todas as rodas possuem freios accionados por ar comprimido.
  • Depósitos de combustível - O combustível é transportado em sete depósito integrais na fuselagem, mais quatro nas asas e mais dois nos estabilizadores horizontais da estrutura, junto às células dos motores. A capacidade máxima interna é de 18,500 litros, mas normalmente a aeronave transporta internamente apenas 13.700 litros de combustível. Dois depósitos externos de 2.500 litros cada podem se necessário ser transportados sob as asas, elevando a capacidade máxima total para

23,500 litros.[7]

Diagrama demonstrativo do funcionamento do Mig-31 em modo de controlo aéreo
  • Aviónicos - Equipado com o primeiro radar de fase a ser utilizado por um caça o RP-31 (zaslon), é capaz de rastrear dez alvos, e disparar contra quatro simultaneamente, com um alcance de busca em modo normal até 180 Km, possui uma abertura horizontal de 140º (240º em alguns modos de busca) e uma abertura vertical de +70º e -60º, o que lhe confere capacidade de disparo para baixo. O conjunto de aviónicos inclui ainda, controlo de voo automático SAU-155M, computador central Argon-K, rádio UHF e HF, sistema de alerta passivo, interrogador IFF, gravador de vozes no cockpit, rádio-bússola, data link BAN-75 que permite a troca de dados em modo seguro com outros aviões num raio de 200 Km, transmitindo os dados da situação táctica obtidos pelos seus sensores, possui ainda uma grande resistência a contra medidas electrónicas.[8]

Produção[editar | editar código-fonte]

Um Mig-31 russo decolando.
Produção do MIG-31 Foxhound.[9]
Quantidade Data
Ye-155MP 2 1972-1976
MiG-31 280 1977-1989
MiG-31DZ 45 1990-1991
MiG-31B 162+ 1990-1994
MiG-31E 1+ 19??
MiG-31M 7 1985-1995
MiG-31D 2 1987
MiG-31FE 1 19??


Variantes[editar | editar código-fonte]

  • Ye-155MP
Protótipo baseado no avião de teste (MiG-25MP Izdelye 83) Ye-155M.[10]
  • MiG-31 (Izdelye 01)
Primeira versão de produção final.
  • MiG-31В (Izdelye 01B)
Primeira actualização efectuada a partir do final de 1990, devido a uma importante e detalhada fuga de informação sobre o armamento e os Aviónicos.[nota 4] Esta actualização incidiu essencialmente sobre o radar, as contra medidas electrónica e contra-contra medidas electrónicas, um novo processador digita mais rápido e com mais memória. Segundo os especialistas Russos o potencial de combate foi aumentado em 30%.[11]
  • MiG-31BS (Izdelye 01BS)
Designação dada a cerca de 320 MiG-31В (Izdelye 01B), que sofreram uma segunda actualização.[12]
  • MiG-31 (Izdelye OlDZ)
Versão equipada com sonda de reabastecimento, eliminando assim um dos pontos fracos, a inadequada capacidade de escoltar aeronaves em patrulha marítima ou bombardeiros por falta de endurance. Quarenta e cinco foram construídos de raiz, a maioria das unidades operacionais foi contemplada com esta actualização.[12]
  • MiG-31M Foxhound B (Izdelye 05)
Versão muito modificada, para intercepção de longo alcance equipada de mísseis ar-ar. As suas especificações são classificadas e pouco se sabe sobre ele. Desenvolvido a partir de 1983, com especial ênfase no radar, que com um diâmetro maior e outros melhoramentos é agora capaz de controlar mais alvos simultaneamente e de dirigir o míssil R-37 até (no limite do alcance do míssil e do radar) 300 Km. Sete protótipos foram construídos, o primeiro dos quais voou pela primeira vez a 21 de Dezembro de 1985. Nenhum foi encomendado (até 2005) devido a problemas de financiamento, se alguma vez adquirir capacidade operacional, capacitará a Força Aérea Russa para lidar com ameaças de alta tecnologia como os aviões furtivos. Com um potencial várias vezes superior ao modelo anterior, um punhado deles permitirá uma dfesa eficiente do imenso espaço aéreo Russo.[8]
  • MiG-31D (Izdelye 07)
Versão experimental, duas células reconstruídas em 1987 com os indicativos blue 071 e blue 072. O sistema e as próprias armas foram retirados, foi adicionado um suporte ventral destinado a um único míssil de grandes dimensões. Apesar de intensivos testes realizados principalmente pelo blue 072 o projecto foi abandonado no início de 1990, ainda antes mesmo do míssil planeado ter adquirido capacidade operacional.[12]
  • MiG-31E
Versão de exportação do MIG-31B, com radar contra medidas electrónicas e outros Aviónicos simplificados, os mísseis R-33 são também eles uma versão simplificada. Não têm encomendas. Construído um protótipo (903 branco) em 1997 para realização de ensaios no centro de testes Valeriy P Chkalov in Akhtubinsk.[12]
  • MiG-31F
Versão projectada para um caça bombardeiro táctico, desvendada pela primeira vez no Salão Aeronáutico de Paris em 1995, nunca construído. Capaz de usar a quase totalidade da panóplia de armamento táctico Russo, mantém as mesmas características da versão de intercepção, com excepção do peso máximo admitido à descolagem o qual foi aumentado para 50 toneladas.[12]
  • MiG-31FE
Versão de exportação da versão de caça bombardeiro, planeada para comportar Aviónicos e armamento Ocidental, segundo as preferências do cliente, também nunca construído.[12]

Utilizadores[editar | editar código-fonte]

Utilizadores do MIG-31

No final de Maio de 1992 a Rússia e a República Popular da China acordaram no fornecimento de 24 MIG-31 com capacidade de reabastecimento aéreo, e na sua produção sob licença pela Shenyang Aircraft Industry ao ritmo de quatro exemplares mensais até finais do ano 2000. No entanto todo o negócio foi posto em causa pela parte Chinesa, que preferiu outros modelos da aviação Russa.[13]

A Síria colocou uma encomenda de oito unidades versão de exportação, mas os mesmos nunca foram entregues, devido a pressões de Israel e ou por falta de fundos para pagar a factura.[14]

Em Dezembro de 2010, estavam operacionais 30 aeronaves.[15]
Em Dezembro de 2010, estavam em condições de voo 147 exemplares de todas as versões.[15]

Comparativo MIG-31 Foxhound vs F-14 Tomcat[editar | editar código-fonte]

Segundo fontes Russas fidedignas o potencial de combate do F-14 Tomcat[nota 5] e das suas armas é equivalente a 60 a 70% do potencial do MIG_31. Os restantes aviões de produção Ocidental como o F-15, F-16, F/A-18, Mirage 2000 e Panavia Tornado F-3, ainda segundo os especialistas Russos, é inapropriado compará-los com o MIG-31 em combate (BVR) para além do alcance visual. Embora o MIg-31 não tenha sido desenvolvido para defrontar o F-14 Tomcat, são ambos projectos da mesma época e possuem características que os tornam únicos. Ambos são tripulados por um piloto e um operador de radar/armas, ambos foram pensados e desenvolvidos segundo o mesmo conceito, a intercepção de alvos a muito longa distância.[16]

Especificações comparativas[16]
MIG-31 Foxhound F-14 Tomcat
Propulsão 2x Soloviev D-30F6 2x P&W TF30-P-412A
Potência normal 9,500 Kgf 5,600 Kgf
Potência c/ pós combustão 15,500 Kgf 9,480 Kgf
Combustível interno 15,500 Kg 7,460 Kg
Máximo peso bruto à descolagem 43,000 Kg 33,000 Kg
Relação peso potência 0.76 0.72
Velocidade máxima ao nível do mar 1,450 Km/h 1,450 Km/h
Velocidade máxima em altitude 3,000 Km/h 2,350 Km/h
Velocidade mínima (antes de cair) 450 Km/h 400 Km/h
Tecto de serviço 20,600 m 18,500 m
Limite da força de gravidade 5 G's 7,5 G's
Alcance de intercepção c/ pós combustão 720 Km 250 Km
Alcance de intercepção c/ potência militar 1,250 Km 800 Km
Sistema de controlo de armas RP-31 (zaslon) AN/AWG-9
Antena de radar Phased Array[nota 6] Doppler, Banda X
Alvos controlados ao mesmo tempo 10 24
Alvos atacados ao mesmo tempo 4 6
Alcance de detecção modo normal 120-130 Km 130-140 Km[nota 7]
'Alcance de detecção modo perseguição 45-60 Km 60 Km
Sistema de alerta radar Beryoza-ML AN/ALR-45
Dispensadores Chaff/flare APP-50 AN/ALE-39
Interferidor (Jammer) activo - - AN/ALQ-126
Mísseis de longo alcance 4x R-33 6x AIM-54 Phoenix
Mísseis de médio alcance 2x R-40TD 6x AIM-7F Sparrow
Mísseis de curto alcance 4x R-60M 2x AIM-9 Sidewinder
Canhão GSh-6-23 Vulcan M-61A1
Bombas - - 14x Mk-82

Especificações[editar | editar código-fonte]

Compilação de dados referentes aos modelos MIG-31B e MIG-31BS Foxhound A (Izdeliye 01/01DZ).[13] [17]

MiG-31.svg
  • Performance
    • Velocidade máxima ao nível do mar - 1,500 km/h
    • Velocidade máxima acima de 17,000 m - 3,030 km/h
    • Velocidade de cruzeiro supersónica - 2,500 km/h
    • Velocidade de cruzeiro sub sónica - 900 km/h
    • Velocidade máxima, (número mach) - mach 2.85
    • Velocidade de aterragem (a 26,000Kg) - 280-285 km/h
    • Tecto de serviço c/ 4x R-33 e 2600Kg de combustível - 20,600 m
    • Alcance máximo c/ 4x R-33 a mach 2.35 - 1,400 km
    • Alcance máx. veloc. sub sónica e 2x depósitos externos - 2,850-3,000 km
    • Alcance máx. veloc. sub sónica sem depósitos externos - 2,150-2,400 km
    • Alcance de travessia (ferry range) - 3,300 km
    • Alcance de intercepção, velocidade supersónica - 720 Km
    • Alcance de intercepção velocidade sub sónica - 1,200 km
    • Alcance de intercepção veloc. sub sónica 2x depósitos externos - 1,400 km
    • O mesmo que o anterior com um reabastecimento aéreo - 2,000 km
    • Resistência sem reabastecimento aéreo - 2,6 horas
    • Resistência com reabastecimento(s) aéreo(s) - 6 a 7 horas
    • Limite de força G c/ menos de 6,000Kg de combustível - 5 G's
    • Como o anterior à velocidade entre mach 0.8-1.5 - 4,5 G's
    • Como o anterior mas com depósitos externos - 2,5 G's
    • Corrida p/ descolar c/ 37,100Kg de peso bruto - 950 m
    • Corrida de aterragem c/ 26,600Kg de peso bruto e 2x para-quedas de travagem accionados - 800-900 m
    • Tempo máximo de voo permitido a mach 2.35 com 4x R-60 - ≤ 2 minutos
    • Tempo máximo de voo permitido a mach 2.2 com 4x R-60 - ≤ 8 minutos
    • Tempo máximo de voo permitido a mach 0.9 com 4x R-60 - ≤ 60 minutos
    • Ângulo máximo de mergulho - 45º
Mig-31 no salão aeronáutico de Paris exibindo uma das antenas de radar, bem como parte da panóplia de armamento que pode utilizar
  • Dimensões
    • Comprimento (incluindo a sonda no nariz) - 22.67 m
    • Envergadura - 13.45 m
    • Altura no solo - 5.15 m
    • Área das asas incluindo a secção central - 61.6 m2
    • Área das asas excluindo a secção central - 41 m2
  • Pesos e capacidade de combustível
    • Peso vazio - 21,890 Kg
    • Peso à descolagem com o máx. de combustível sem carga externa - 36,700 Kg
    • Peso à descolagem com o máx. de combustível c/ 4x R-33 - 41,000 Kg
    • Peso bruto máximo à descolagem - 46,200 Kg

Motores[editar | editar código-fonte]

Pormenor de um míssil R-40TD, no suporte da asa esquerda de um MIG-31

Armamento[editar | editar código-fonte]

  • Mísseis ar-ar de longo alcance - 4x R-33 (designação NATO: AA-9 Amos)
  • Mísseis ar-ar de médio alcance - 2x R-40TD (designação NATO: AA-6 Acrid) ou
  • Mísseis ar-ar de médio alcance - 4× R-77 (AA-12 'Adder')
  • Mísseis ar-ar de curto alcance - 4x R-60M (designação NATO: AA-8 Aphid) ou
  • Mísseis ar-ar de curto alcance - 4× R-73 (AA-11 Archer)
  • canhão - 1x GSh-6-23 (23 mm)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Também fazem parte da equação que tornou necessário o MIG-25, os projectos cancelados pela USAF, North American XB-70 Valkyrie e North American XF-108 Rapier, bombardeiro e interceptor respectivamente, ambos capacitados para voar a velocidades superiores a mach 3
  2. Também aqui o desenvolvimento do bombardeiro B-1B Lancer ajudou à criação do MIG-31
  3. Capacitado para ejectar a velocidade e altitude zero.
  4. Esta fuga de informação foi considerada ainda mais importante, pela qualidade e detalhe, que a proporcionada quando em 1976 o Tenente Viktor Ivanovich Belenko desertou com um MiG-25 de Vladivostok para Hokkaido, no Japão.
  5. Retirado desde 2006.
  6. Sistema multi canal, composto por duas antenas controladas separadamente em fase, acopladas a um processador digital, funciona por impulsos doppler em banda X.
  7. Algumas fontes referem 240 Km de alcance em modo de pesquisa frontal e 160 Km em mode de perseguição.

Referências

  1. Gerard Frawley and Jim Thorn, The International Directory of Military Aircraft, 1996/97, Aerospace Publications Ltd, ISBN 1 87567120X
  2. Gordon Yefim, Mikoyan MiG-31, Midland Publishing, 2005, pag. 140 ISBN 1857802195
  3. Gordon Yefim, MiG-25 Foxbat and MiG-31 Foxhound: Russia's defensive frontline, Midland Publishing, 1998, pag. 89 ISBN 1857800648
  4. a b Piotr Butowski, OKB MiG: A History of the Design Bureau and Its Aircraft, Midland Publishing, 1991, pag. 107 a 109, ISBN 0904597806
  5. John C. Fredriksen, International Warbirds: An Illustrated Guide to World Military Aircraft, 1914-2000, ABC-Clio, 2001, pag. 224 ISBN 1576073645
  6. a b Piotr Butowski, OKB MiG: A History of the Design Bureau and Its Aircraft, Midland Publishing, 1991, pag. 214 ISBN 0904597806
  7. Gordon Yefim, Mikoyan MiG-31, Midland Publishing, 2005, pag. 173, ISBN 1857802195
  8. a b Gordon Yefim, MiG-25 Foxbat and MiG-31 Foxhound: Russia's defensive frontline, Midland Publishing, 1998, pag.85, ISBN 1857800648
  9. aeroflight. Mikoyan-Gurevitch MiG-31 ‘Foxhound’ 2009. Visitado em Abril 2011.
  10. Roy Braybrook, Russian Warriors: Sukhois, MiGs and Tupoleves, Osprey Publishing, 19933, pag. 42, ISBN 1855322935
  11. Gordon Yefim, MiG-25 Foxbat and MiG-31 Foxhound: Russia's defensive frontline, Midland Publishing, 1998, pag.86, ISBN 1857800648
  12. a b c d e f Bill Gunston e Gordon Yefim, MIG Aircraft Since 1937, US Naval Institute Press, 1998, pag. 229 a 230, ISBN 1557505411
  13. a b Gordon Yefim, MiG-25 Foxbat and MiG-31 Foxhound: Russia's defensive frontline, Midland Publishing, 1998, pag. 90 ISBN 1857800648
  14. Staff Writer. Mikoyan MiG-31 (Foxhound), Long-Range Interceptor Março 2010. Visitado em Abril 2011.
  15. a b FLIGHT INTERNATIONAL, Flightglobal Insight - World Air Forces 2010 (em formato pdf)
  16. a b Gordon Yefim, Mikoyan MiG-31, Midland Publishing, 2005, pag. 156 ISBN 1857802195
  17. Gordon Yefim, Mikoyan MiG-31, Midland Publishing, 2005, pag. 200-201, ISBN 1857802195

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bill Gunston e Gordon Yefim, MIG Aircraft Since 1937, US Naval Institute Press, 1998, ISBN 1557505411
  • Francis Crosby, Modern Fighter Aircraft, Southwater, 2004, ISBN 1842159917
  • Gerard Frawley and Jim Thorn, The International Directory of Military Aircraft, 1996/97, Aerospace Publications Ltd, ISBN 1 87567120X
  • Gordon Yefim, Mikoyan MiG-31, Midland Publishing, 2005, ISBN 1857802195
  • Gordon Yefim, MiG-25 Foxbat and MiG-31 Foxhound: Russia's defensive frontline, Midland Publishing, 1998, ISBN 1857800648
  • John C. Fredriksen, International Warbirds: An Illustrated Guide to World Military Aircraft, 1914-2000, ABC-Clio, 2001, ISBN 1576073645
  • Piotr Butowski, OKB MiG: A History of the Design Bureau and Its Aircraft, Midland Publishing, 1991, ISBN 0904597806
  • Roy Braybrook, Russian Warriors: Sukhois, MiGs and Tupoleves, Osprey Publishing, 19933, ISBN 1855322935

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Mikoyan-Gurevich MiG-31