Noite da agonia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A noite da agonia foi um episódio da história do Brasil Império, ocorrido na madrugada de 12 de novembro de 1823,[1] durante a Assembleia Constituinte de 1823, no Rio de Janeiro, que estava encarregada de redigir a primeira Constituição do Brasil, no qual D. Pedro I mandou o Exército invadir o plenário da Assembleia Constituinte, que resistiu durante horas mas não conseguiu evitar sua dissolução. Vários deputados foram presos e deportados, entre eles os irmãos Andradas, José Bonifácio (o Patriarca da Independência), Martim Francisco e Antônio Carlos.[2] [3]

Em documento assinado pelo Imperador e seus conselheiros em 13 de novembro de 1823, adotou-se, além da expatriação de ex-deputados, outras medidas repressivas — quais sejam, a vigilância policial sigilosa em locais de reunião e a prisão de quem se envolvesse em discussões públicas.[4]

Com a dissolução da Assembleia constituinte, D. Pedro I reuniu dez cidadãos de sua inteira confiança, que a portas fechadas redigiram a primeira constituição do Brasil, outorgada em 25 de março de 1824, e que acabou fortalecendo o Poder Moderador.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. A "Noite da Agonia". Multirio. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  2. Hippolito, Lucia. A noite da agonia. O Globo. Página visitada em 7 de Março de 2013.
  3. Cola da Web. Assembléia Constituinte de 1823. História do Brasil. Página visitada em 7 de Março de 2013.
  4. Atas do Conselho de Estado. Segundo Conselho de Estado, 1823 - 1834. Senado Federal. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  5. Primeira Constituição do Brasil - A Constituição do Império. Portal SAEI/PR. Página visitada em 21 de Março de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.