Oldboy (2003)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Oldboy
Oldboy - Velho Amigo (PT)
Oldboy (BR)
 Coreia do Sul
2003 • cor • 120 min 
Direção Park Chan-wook
Produção Lim Seng-yong
Roteiro Hwang Jo-yun, Park Chan-wook, Lim Chun-hyeong, Lim Joon-hyung, Garon Tsuchiya
Baseado no mangá Old Boy, de Garon Tsuchiya e Nobuaki Minegishi
Elenco Choi Min-sik, Yoo Ji-tae, Kang Hye-jung
Gênero Ação, drama
Idioma Coreano
Música Jo Yeong-wook
Cinematografia Chung Chung-hoon
Edição Kim Sang-bum
Kim Jae-beom
Distribuição Show East
Lançamento 21 de novembro de 2003
Orçamento US$ 3.260.000[1]
Receita US$ 14.980.005[2]
Página no IMDb (em inglês)

Oldboy (em coreano: 올드보이; na romanização revisada, Oldeuboi; McCune-Reischauer: Oldŭboi) é um filme sul-coreano de 2003 dirigido por Park Chan-wook, baseado no mangá japonês de mesmo nome escrita por Nobuaki Minegishi e Garon Tsuchiya. Oldboy é a segunda parte da Trilogia da Vingança, antecedida por Boksuneun naui geot (br: Mr. Vingança) e seguida por Chinjeolhan geumjassi (br: Lady Vingança; pt: Vingança Planeada).

O filme segue a história de um indivíduo chamado Oh Dae-su, que fica trancado num quarto de hotel por 15 anos sem saber o motivo de seus captores. Quando finalmente é libertado, Dae-su se vê preso numa rede de conspiração e violência. Sua busca por vingança acaba se entrelaçando com um romance quando se apaixona por uma atraente chef de sushis.

Um remake americano está planejado para ser lançado em 2013, a ser dirigido por Spike Lee.[3]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A história começa quando o personagem Oh Dae-su é seqüestrado e confinado numa prisão particular, sem que lhe seja dada justificativa alguma sobre o ato.

A clausura se estende por nada menos do que 15 anos, durante os quais o personagem fica sozinho num quarto com banheiro, tendo apenas uma televisão para mantê-lo em contato com as mudanças no mundo exterior. O quarto é impregnado regularmente por um gás sonífero, que precede a entrada dos seqüestradores, que assim limpam o local, cortam-lhe o cabelo ou costuram seus constantes ferimentos, sem que o prisioneiro troque quaisquer palavras com outros humanos. Sua única companhia é a TV.

Depois da libertação, Dae-su concentra-se exclusivamente na vingança. Quer descobrir quem o prendeu e o porquê. Mas a tarefa não é fácil; tem de se adaptar a 15 anos de “solitária” e ainda por cima é suspeito de um homicídio cometido durante o cativeiro. Mi-do, uma cozinheira de sushi de mãos frias vai ajudá-lo a procurar uma resposta para a pergunta que não lhe sai da mente.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Choi Min-sik.
  • Choi Min-sik como Oh Dae-su: para interpretar o personagem, que fica aprisionado por cerca de 15 anos, Choi Min-sik perdeu e ganhou peso de acordo com o calendário de filmagem, além de treinar por seis semanas e fazer a maior parte dos trabalhos de dublê.
  • Yoo Ji-tae como Lee Woo-jin: homem por trás da prisão de Oh Dae-su. A escolha ideal de Park Chan-wook para o papel havia sido inicialmente Han Suk-kyu, que havia já interpretado um rival de Choi Min-sik em Shiri e No. 3. Choi sugeriu então Yoo Ji-tae para o papel, apesar de Park ter algumas reservas quanto à sua pouca idade.[4]
  • Kang Hye-jung como Mi-do: interesse amoroso de Dae-su.
  • Ji Dae-han como No Joo-hwan: amigo de Dae-su, proprietário de um internet café.
  • Kim Byeong-ok como Sr. Han: guarda-costas de Woo-jin.
  • Oh Tae-kyung como o jovem Dae-su.
  • Ahn Yeon-seok como o jovem Woo-jin.
  • Kim Han-joon como o amante de Grace Gee.
  • Woo Il-han como o jovem Joo-hwan.
  • Yoon Jin-seo como Lee Soo-ah: irmã de Woo-jin.
  • Oh Dal-su como Park Cheol-woong: administrador da prisão privada.

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme venceu o Grand Prix na edição de 2004 do Festival de Cannes, e foi muito elogiado pelo presidente do júri naquele ano, o diretor americano Quentin Tarantino. Também recebeu elogios da crítica especializada nos Estados Unidos, conquistando uma qualificação de 81% "Certified Fresh" no site agregador de críticas Rotten Tomatoes.[5] O crítico Roger Ebert afirmou que Oldboy é um "filme poderoso, não devido ao que retrata, mas devido às profundezas do coração humano que ele desnuda."[6] Em 2008, uma votação entre os espectadores da rede de televisão americana CNN colocou o filme entre os dez melhores filmes já feitos no cinema asiático.[7] O filme tem uma avaliação de 8,4 no IMDb, o filme coreano com maior avaliação no site e o 88º melhor do mundo de todos os tempos na lista IMDb Top 250.[8] [9]

Referências

  1. Oldboy KoreanFilm.org.
  2. Oldboy Box Office Mojo.
  3. Spike Lee Confirmed to Direct 'Oldboy' /Film (11 de julho de 2011).
  4. Cine21, entrevista sobre a trilogia da vingança de Park: 27 de abril de 2007.
  5. Consensus of Oldboy reviews Rottentomatoes.com. Visitado em 4-11-2007.
  6. Ebert, Roger. Oldboy Chicago Sun-Times. Visitado em 4-11-2007.
  7. CNN: ‘Himala’ best Asian film in history Inquirer.net. Visitado em 27-3-2010.
  8. Oldboy rating IMDb.com. Visitado em 30-6-2012.
  9. IMDb South Korean Movies IMDb.com. Visitado em 30-6-2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]