Partido Comunista da Federação Russa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo.
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Editor: considere colocar o mês e o ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo esta predefinição por {{subst:rec}}
Partido Comunista da Federação Russa
Коммунистическая Партия Российской Федерации
КПРФ Logo.svg
Líder Guennadi Ziuganov
Fundação 19 de julho de 1990
Sede Moscou
Ideologia Comunismo, marxismo-leninismo, neo-stalinismo, patriotismo, internacionalismo
Ala Jovem União «Lenin» da Juventude Comunista
Afiliação internacional União dos Partidos Comunistas da URSS
Grupo no Parlamento Europeu Partido da Esquerda Europeia
Cores Vermelho
Site
http://kprf.ru/

O Partido Comunista da Federação Russa (em russo: Коммунистическая партия Российской Федерации) é um partido político russo da esquerda radical. Segundo maior partido da Rússia, é visto como herdeiro histórico do Partido Comunista da União Soviética (PCUS) e de seu antecessor, o Partido Bolchevique. Entretanto, sua estrutura e ideologias, como o abandono do ateísmo, diferem radicalmente do PCUS.

História[editar | editar código-fonte]

O PCFR é liderado por Guennadi Ziuganov, que fundou o partido no início de 1993 com os antigos políticos soviéticos Yegor Ligachev e Anatoly Lukyanov, entre outros. Ziuganov era afilhado político de Alexander Yakovlev, o "avô da glasnost", no Comitê Central da PCUS. Após o colapso da União Soviética em 1991, ele virou membro ativo do movimento nacional-patriótico russo, virando presidente da Frente de Salvação Nacional.

Um novo movimento de esquerda foi formado por iniciativa do PCFR em 7 de agosto de 1996. Foi chamado de União Popular Patriótica da Rússia (UPPR) e consistia de mais de 30 organizações nacionalistas de esquerda e de direita. Em 1996, Ziuganov foi lançado candidato à presidência pelo PCFR e foi apoiado pela UPPR. Ele recebeu apoio do proeminente intelectual Aleksandr Zinovyev (dissidente do regime soviético que virou adepto do comunismo durante a perestroika) e de Zhores Ivanovich Alferov, que venceria o Prêmio Nobel da Física em 2000.

Antigos membros de PCFR incluem políticos famosos que abandonaram o partido após suas idéias colidirem com as de Ziuganov, que tem o apoio da maioria dos membros. Entre os dissidentes mais notáveis estiveram Gennady Seleznev (em 2001), Sergey Glazyev (em 2003) e Gennady Semigin (em 2004).

Ideologia[editar | editar código-fonte]

A ideologia oficial do partido é marxismo-leninismo, comunismo e patriotismo. O PCFR enfatiza sua origem russa e constantemente invoca o patriotismo e o nacionalismo, em adição ao marxismo-leninismo do PCUS. Ao contrário do PCUS após 1956, o PCFR celebra o governo de Josef Stálin. Andrei Brezhnev, neto do líder soviético Leonid Brezhnev, criticou o PCFR por abandonar o ateísmo e pela reaproximação de Ziuganov com a Igreja Ortodoxa Russa.

A maioria dos comentaristas políticos caracterizam a ala dominante de Ziuganov como mais nacionalista (ou "patriótica-popular", como se auto-definem os militantes do partido) do que marxista-leninista. Alguns consideram que a única facção do PCFR que pode ser ideologicamente definida como comunista é aquela ligada a Richard Kosolapov. De fato, essa ala se opôs à decisão do partido de lançar a candidatura de milionários como Sergei Sobko, uma vez que o PCFR possui a eliminação da oligarquia como uma de suas metas.

Trajetória eleitoral[editar | editar código-fonte]

Desde sua fundação até os dias atuais, o PCFR é o segundo maior partido político da Rússia, o maior da oposição.

Em todas as eleições desde o fim da União Soviética, o candidato do PCFR terminou a disputa em segundo lugar. Em 1996, Ziuganov obteve apoio de 32% do eleitorado, contra 32% de Boris Yeltsin. Em 2000, Ziuganov obteve 29% contra 53% de Vladimir Putin. Em 2004, Putin obteve 71% dos votos, contra apenas 14% de Nikolay Kharitonov. Em 2008, Ziuganov obteve quase 18% dos votos. Ele conseguiu até passar Dmitri Medvedev em algumas vilas e cidades pequenas. Após a eleição, Ziuganov afirmou que seus eleitores descobriram vários casos de fraude eleitoral e que ele deveria ter tido pelo menos 30% dos votos. Ele afirmou ainda que iria questionar os resultados na Justiça Eleitoral. Algumas semanas depois, o Comitê Eleitoral Russo admitiu que a maioria das reclamações do PCFR tinham fundamento, mas que não iria questionar o resultado final das eleições.

Eleitorado[editar | editar código-fonte]

O PCFR é mais forte nos grandes centros industriais e científicos e em cidades pequenas e nos municípios ao redor de Moscou. Por exemplo, uma pesquisa de intenção de voto em 2007 indicou que o PCFR obteve o apoio da maioria da população ao redor da Universidade Estadual de Moscou.

O eleitorado do partido é composto principalmente de pensionistas, trabalhadores industriais e empregados de organizações sem fins lucrativos. Nos últimos anos, o partido também teve grande adesão de grupos da juventude de esquerda, como a Vanguarda de Esquerda Vermelha.

De acordo com o Serviço Federal de Registro, 146.546 eleitores se registraram junto ao governo como membros do PCFR.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Partido Comunista da Federação Russa