Praia de Boa Viagem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vista da Praia de Boa Viagem no Recife, capital do estado de Pernambuco, Brasil.

A Praia de Boa Viagem é a praia urbana mais famosa da cidade do Recife, capital do estado de Pernambuco. Tendo aproximadamente sete quilômetros (7 km) de extensão e estando situada no bairro de Boa Viagem (Zona Sul da capital pernambucana), é delimitada pela Praia do Pina em um lado e pela Praia de Piedade do outro. A maior parte da praia de Boa Viagem é protegida por uma barreira de recifes naturais, os quais deram nome à cidade.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Na maré baixa formam-se várias piscinas naturais rasas, com águas mornas e transparentes, ao longo da praia. Também durante a maré baixa é possível andar sobre os recifes, que são relativamente planos e largos (mas escorregadios). Quando a maré sobe, os arrecifes ficam completamente cobertos pela água. Na Praia de Boa Viagem há quiosques padronizados, ciclovia, pista de cooper, chuveiros, quadras de vôlei e tênis e equipamentos para musculação.

Ataques de tubarão[editar | editar código-fonte]

Placas de sinalização sobre o risco de ataque de tubarão na Praia de Boa Viagem.

A maior parte da praia de Boa Viagem é protegida por uma barreira de recifes naturais, e as autoridades não recomendam o banho além dos recifes, para evitar ataques de tubarões. Além disso, o surfe atualmente é proibido, embora o antigo governador do estado tenha autorizado, no início do ano de 2006, a instalação de uma rede de proteção contra os tubarões. Em 2007, o Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit) iniciou o processo de instalação, nos tubarões capturados, de sensores que possibilitam a monitoração via satélite, visando identificar o momento de aproximação dos animais da costa, numa área que compreende a Praia do Paiva até o Pina, para então retirar os tubarões da localização de risco. Hoje em dia os ataques são mais raros, porém as restrições permanecem.[1]

Segundo especialistas, os ataques de tubarão no litoral recifense são resultado do impacto ambiental provocado pela construção do Porto de Suape, que exigiu o aterramento de dois estuários onde os tubarões-touro davam à luz.[2] Outros fatos contribuem para o aparecimento de tubarões na área da Praia de Boa Viagem: as correntes marinhas direcionam os animais para esse trecho de 20 quilômetros; e nesse ponto os animais encontram dois canais de águas profundas, e quando o tubarão se desvia da rota migratória comum e entra nesses canais, há grande risco de contato com pessoas. Como o ser humano não faz parte do cardápio alimentar dos tubarões, a maior parte dos ataques acontece por engano: quando a água está turva, o tubarão que está à caça por alimento não consegue perceber a diferença entre uma pessoa e um peixe grande.[3]

O banho é seguro nas muitas piscinas naturais que se formam ao longo da Praia de Boa Viagem durante a maré baixa, porém não é recomendado ultrapassar os recifes.

Uma das praias mais perigosas do mundo, Boa Viagem reúne condições ideais à presença do tubarão mais agressivo do planeta, o tubarão-touro (bull shark). Ser vivo com o maior índice de testosterona da Terra, o tubarão-touro tem preferência por áreas de estuários com águas quentes, caso do Recife. Outra espécie muito agressiva presente na Praia de Boa Viagem é o tubarão-tigre.[4] [5] [6] [7]

Foram contabilizados 59 ataques de tubarão desde o ano de 1992, com 24 mortes, no trecho contínuo entre as praias do Carmo e do Paiva, no qual está inserida Boa Viagem. A última vítima fatal foi a estudante paulista Bruna Gobbi, mordida por um tubarão em julho de 2013 na Praia de Boa Viagem ao ser arrastada pela correnteza e sofrer princípio de afogamento: apesar de a praia possuir 88 placas de advertência, alguns banhistas insistem em entrar no mar mesmo sob condições que favorecem os ataques, como maré alta, lua cheia e a água turva devido às chuvas no mês de julho.[8] [9] [10] [11]

Recife torna o Brasil o quarto país do mundo em número de vítimas fatais por ataques de tubarão, atrás somente da Austrália, dos Estados Unidos e da África do Sul.[12]

Os muitos ataques de tubarão na capital pernambucana fizeram com que Recife ganhasse um personagem na HQ Wolverine and the X-Men, publicada pela Marvel: a "mutante" Iara dos Santos — ou Garota Tubarão (Shark Girl).[13]

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Cemit vai monitorar tubarões no litoral do Recife
  2. Por que ocorrem tantos ataques de tubarão em Recife?. Página visitada em 23 de julho de 2013.
  3. Construção de porto em Recife (PE) pode ter relação direta com ataques de tubarões R7. Página visitada em 25 de julho de 2013.
  4. Tubarões e correnteza: site lista as praias mais perigosas do mundo Terra Brasil. Página visitada em 24 de julho de 2013.
  5. Tubarão com mais de 200kg é capturado por pescador no Recife NE10. Página visitada em 24 de julho de 2013.
  6. Os 10 Tubarões Mais Perigosos Discovery Brasil. Página visitada em 24 de julho de 2013.
  7. Tudo sobre tubarões HDO. Página visitada em 24 de julho de 2013.
  8. Fantástico mostra novas imagens do ataque de tubarão no Recife G1. Página visitada em 29 de julho de 2013.
  9. Bruna Gobbi foi a 1ª mulher morta em ataque de tubarão em Pernambuco G1. Página visitada em 23 de julho de 2013.
  10. PE: Morre estudante que foi atacada por um tubarão em praia do Recife G1. Página visitada em 24 de julho de 2013.
  11. Shark attack claims Brazilian teen's life CNN. Página visitada em 24 de julho de 2013.
  12. 1580-2012 Map of World's Confirmed Unprovoked Shark Attacks (N=2,569) Florida Museum of Natural History, University of Florida. Página visitada em 24 de julho de 2013.
  13. Nova personagem da HQ 'X-Men' é brasileira; conheça a Garota Tubarão G1. Página visitada em 25 de julho de 2013.