Quarto Concílio de Latrão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Quarto Concílio de Latrão
Data 1215
Aceite por Catolicismo
Concílio anterior Latrão III
Concílio seguinte Lyon I
Convocado por Papa Inocêncio III
Presidido por Papa Inocêncio III
Afluência 71 patriarcas e metropolitanos,
412 bispos,
900 abades e priores
Tópicos de discussão Declaração dogmática da transubstanciação e da confissão.
Documentos setenta decretos reformatórios
Todos os Concílios Ecuménicos Católicos
Portal do Cristianismo


O Quarto Concílio de Latrão (também conhecido como Quarto Concílio Laterano) foi convocado pelo Papa Inocêncio III pela bula "Vineam Domini Sabaoth" de 19 de abril de 1213, tendo o concílio se reunido em 15 de novembro de 1215. Devido à grande distância de tempo entre a convocação do concílio e sua reunião, um grande número de bispos tiveram a oportunidade de participar dele. Contou com a presença de 71 patriarcas e bispos metropolitanos, 412 bispos, 900 abades e priores, representando mais de oitenta províncias eclesiásticas, não apenas da Europa Ocidental, mas também das Europa Central e Oriental. Também estiveram presentes autoridades laicas da Sicília, de Constantinopla, da França, da Inglaterra, da Hungria, de Jerusalém, de Chipre e do Reino de Aragão. O Quarto Concílio de Latrão é considerado o concílio ecumênico mais importante da Idade Média1 e um dos três concílios fundamentais na Igreja Católica.2 Com a sua conclusão, foram emitidos setenta decretos reformatórios.

História[editar | editar código-fonte]

Diante das diversas heresias que contestavam doutrinas cristãs fundamentais, tais como o catarismo e o valdismo, o concílio proclamou dogmaticamente doutrinas sobre os sacramentos, como a transubstanciação e a confissão dos pecados anualmente. Foram emitidos procedimentos detalhados para a eleição dos bispos, e a corrupção clerical foi combatida. Entre outras coisas, o concílio incentivou a criação de escolas e uma formação mais elevada do clero. O concílio também ordenou que os judeus usassem marcações especiais de identificação em suas roupas - um sinal da crescente hostilidade sentida pelos cristãos contra os judeus na região.3

Os trabalhos decorreram em três sessões plenárias, além das cerimônias litúrgicas. Deles resultaram setenta cânones, que conhecemos por uma cópia de 1216, das atas originais.

Principais cânones[editar | editar código-fonte]

Os principais cânones definidos pelo concílio foram:

  • Cânon 1. Exposição da fé, do dogma da Trindade e da Transubstanciação;
  • Cânones 3-4. Estabelecidos procedimentos e penalidades contra os hereges e os seus protectores
  • Cânon 5. Primazia papal proclamado como estabelecida por vontade divina, e estabeleceu a ordem de precedência das igrejas patriarcais: depois de Roma, segue-se Constantinopla, Alexandria, Antioquia e Jerusalém;4
  • Cânon 13. A fundação de novas ordens religiosas foi proibida;
  • Cânones 14-18. Regras de conduta do clero, proibindo e combatendo a vida não-celibatária, embriaguez, frequência à tavernas, caça, ou participação em combates;
  • Cânon 21. Reafirmou a exigência de que todos os cristãos que tenham atingido a idade da razão (7-8 anos) devem confessar os seus pecados e receber a Sagrada Comunhão, pelo menos uma vez por ano.
  • Cânones 67-70. Regulamentado o relacionamento judaico-cristão, e estabelecidas restrições sobre as comunidades judaicas.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Notas

  1. Brenda Bolton. A Reforma na Idade Média. Lisboa: Edições 70, 1985, p.126.
  2. Os outros dois foram o Primeiro Concílio de Niceia (325) e o Concílio de Trento (1545-1563).
  3. Civilization in the West,” Kishlansky, Geary, O’Brien, Volume A to 1500, Seventh Edition, pg. 277 e 278.
  4. (The Canons of the Fourth Lateran Council, 1215).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.