Agrale

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Agrale S.A.
Fundação 14 de dezembro de 1962 (53 anos)
Sede Caxias do Sul, Brasil Brasil
Empregados 1.823
Produtos Caminhões, Tratores, Chassis, Motores, Utilitários
Faturamento Aumento R$ 924,6 milhões (2011)[1]
Página oficial http://www.agrale.com.br

A Agrale é uma empresa automotiva brasileira, com sede em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul.

Produz motores a diesel, tratores, caminhões leves, chassis para ônibus e utilitários para uso esportivo e militar.

Nos anos 1980, montou motocicletas em uma unidade na Zona Franca de Manaus, hoje desativada.

É a única fabricante de caminhões e tratores de capital brasileiro.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A Agrale foi fundada como Agrisa - Indústria Gaúcha de Implementos Agrícolas SA, no município de Sapucaia do Sul, Rio Grande do Sul, em 14 de dezembro de 1962. Inicialmente montava pequenos tratores e cultivadores mecânicos, sob licença da marca alemã Bungartz.[3]

No entanto, a Agrisa não consegue se firmar economicamente e entra em processo de falência. Em outubro de 1965, o empresário industrial Francisco Stédile adquire seu controle acionário e transfere a produção para Caxias do Sul, alterando o nome para Agrale Tratores e Motores SA.[4]

Atualmente conta com quatro plantas fabris no Brasil, sendo três em Caxias do Sul, onde monta caminhões leves e pesados, tratores, micro-ônibus e chassis, e outra em São Mateus, no Espírito Santo, responsável pela montagem de caminhões médios.[5]

Na Argentina mantém uma unidade na cidade de Mercedes, onde produz tratores, além de uma divisão administrativa em Buenos Aires.[6]

Produtos[editar | editar código-fonte]

O segmento mais tradicional de atuação da Agrale é a fabricação de pequenos tratores com potência a partir de 14,7 cv, destinado principalmente para parreirais da região vinícola do estado do Rio Grande do Sul, nas proximidades da sede da empresa.

Porém conta com uma linha de tratores com potência de até 168 cv, caminhões para até 22 toneladas de peso bruto total, motores diesel estacionários e chassis para ônibus.

Tratores[editar | editar código-fonte]

Série 400[editar | editar código-fonte]

Trator Agrale modelo 4300

Os primeiros tratores produzidos pela Agrale foram os modelos 415, 416 e 420. O 420 deu origem ao modelo 4100 nas séries seguintes, sendo produzido até os dias de hoje com diversas alterações, principalmente estéticas.

Série 4000[editar | editar código-fonte]

A série 4000 era composta pelos modelos 4100, 4200 e 4300.

Atualmente o 4100, refrigerado a ar, 14,7cv, continua em produção, com muitas inovações, quando comparado à versões anteriores, e o modelo 4230,efrigerado a ar, 30cv, dispondo de versões 4X2, 4X4 e industrial, esta última com opção de motor a Gás Natural no trator 4100. Também fazem parte da linha, o trator 4118, refrigerado água, com 18cv, apenas na versão 4x4, e os tratores de carga derivados do modelo 4230.4 (versão 4x4 do modelo 4230).

Série 5000[editar | editar código-fonte]

Série 6000[editar | editar código-fonte]

É composta por tres modelos com tração 4X4:[7]

  • BX6110 equipado com motor de 4 cilindros, MWM TD229 EC4 turbo, com potência de 77kw (105 cv).
  • BX6150 equipado com motor de 6 cilindros, MWM TD229 EC6 turbo, com potência de 103 kw (140 cv).
  • BX6180 equipado com motor de 6 cilindros MWM TD229 EC6 turbo, com potencia de 126 Kw (168 cv)

Série BX[editar | editar código-fonte]

A Série BX foi produzida a partir dos anos 1990 e deu origem à atual série 6000.

Caminhões[editar | editar código-fonte]

Caminhão Agrale 8500

Os primeiros caminhões foram os modelos TX-1100, TX-1200 e TX-1600, equipados com motores MWM 229.3 de três cilindros, ou Agrale M-790 de dois cilindros. Esse caminhões também foram fabricados na versão álcool e gasolina, utilizando o motor GM 4 cilindros do Opala.

Atualmente, produz caminhões que variam seu PBT de 6000 à 20000 kg, mais recentemente com o CA13000 6x2. Produzidos em cabines de fibra, garantem resistência, durabilidade, isolamento térmico e acústico, muitas vezes superior às cabines de aço.

Também faz montagem de caminhões da marca International, marca adquirida pela Grupo NC2. Atualmente a Agrale monta caminhões pesados e leves para International, uma parceria que começou em 1998, onde foi montado o primeiro caminhão 4700 da marca.[8]

Desde março de 2016, a Agrale assinou com a Foton um acordo de cooperação para a montagem de caminhões leves da marca chinesa na planta fabril. [9]

Utilitários[editar | editar código-fonte]

Utilitário Marruá

Utilitário Marruá, veículo de tração 4x4, cujos direitos de produção foram adquiridos junto à massa falida da Engesa. É fabricado nas versões jipe, camionete e caminhão leve, para uso civil e militar.[10]

Chassis[editar | editar código-fonte]

Chassis de Micro ônibus[editar | editar código-fonte]

Micro Ônibus Agrale no Chile
  • MA 5.5 T
  • MA 7.5
  • MA 7.9
  • MA 8.5
  • MA 8.5 T
  • MA 8.5 super
  • MA 8.7 euro V
  • MA 9.2
  • MA 9.2 euro V
  • MA 9.2 green E-tronic
  • MA 10.0
  • MA 10.0 euro V

Chassis para midi e ônibus[editar | editar código-fonte]

  • MA 12.0
  • MA 12.0 euro V
  • MA 15.0
  • MA 15.0 euro V
  • MA 17.0 euro V
  • MT 12.0 LE
  • MT 12.0 LE euro V
  • MT 12.0 SB
  • MT 15.0 Buggy
  • MT 15.0 LE
  • MT 15.0 LE euro V
  • MT 15.0 SB
  • MT 27.0 Chassi articulado fabricado na planta argentina.

Motocicletas[editar | editar código-fonte]

A Agrale assinou parceria em 1984 com a MV Agusta, uma fabricante italiana de motos. Produziu motocicletas entre 1984 e 1987 na planta de Manaus, hoje desativada.[11]

Os modelos fabricados foram:

  • City 50
  • City 90
  • SXT 16.5
  • Elefant 16.5
  • SXT 27.5
  • Elefant 27.5
  • Dakar 30.0
  • Explorer, SST,
  • Elefantre.

Empresas do grupo[editar | editar código-fonte]

A Agrale faz parte do grupo Francisco Stédile, que conta com as seguintes empresas:

  • Lintec, fabricante de motores e acoplados (motobombas, rocadeiras e grupos geradores), além de comercializar motores das marcas Agrale, Ruggerini e Lombardini;
  • Agritech Lavrale, especializada em material agropecuário, como tratores e implementos agrícolas;
  • Fundituba, metalúrgica especializada em fabricação de blocos de motores e cabeçotes para compressores;
  • Germani Alimentos, fabricante de biscoitos, doces e massas, detentora das marcas Germani, Filler, Coroa, Sulina e Corsetti;
  • Fazenda Três Rios, produtora de Milho, soja e trigo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=89622
  2. «Agrale - Institucional». Consultado em 14/11/2016. 
  3. (2014-04-27) "AGRISA". Lexicar Brasil.
  4. (2014-04-27) "AGRALE". Lexicar Brasil.
  5. Torre, Luísa. . "Agrale começa a funcionar no próximo mês em São Mateus" (em pt-BR). Gazeta online.
  6. «Conheça as Unidades Agrale de Fabricação, Montagem e Distribuição». www.agrale.com.br. Consultado em 2016-11-12. 
  7. «Agrale destaca sua participação na história da mecanização agrícola». 4 de maio de 2012. Consultado em 12 de maio de 2012. 
  8. «Agrale e International completam uma década de parceria». Terra. 4 de junho de 2008. Consultado em 12 de maio de 2012. 
  9. Comércio, Jornal do. . "Foton assina acordo com Agrale até março". Jornal do Comércio.
  10. «Agrale Marruá». 
  11. http://www.moto.com.br/Agrale/historia.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]