Alan Baker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Alan Baker
Nascimento 19 de agosto de 1939
Londres
Morte 4 de fevereiro de 2018 (78 anos)
Cambridge
Residência Reino Unido
Cidadania Reino Unido
Alma mater
Ocupação matemático, professor universitário
Prêmios
Empregador Universidade de Cambridge
Orientador(es) Harold Davenport
Orientado(s) John Coates, Roger Heath-Brown, David Masser, Yuval Flicker
Tese 1964: Some Aspects of Diophantine Approximation
Causa da morte doença cerebrovascular

Alan Baker, FRS (Londres, 19 de agosto de 1939Cambridge, 4 de fevereiro de 2018) foi um matemático inglês,[1] conhecido por seu trabalho sobre métodos efetivos em teoria dos números, em particular aqueles da teoria dos números transcendentais. Foi eleito membro da Royal Society em 1973. Recebeu o Prêmio Adams de 1972. Em 2012 foi eleito fellow da American Mathematical Society.[2]

Realizações[editar | editar código-fonte]

Baker generalizou o teorema de Gelfond-Schneider, ele próprio uma solução para o sétimo problema de Hilbert.[3] Especificamente, Baker mostrou que se são números algébricos (além de 0 ou 1), e se  são números algébricos irracionais, de modo que o conjunto  são linearmente independentes sobre os números racionais, então o número  é transcendental.

Publicações selecionadas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) matemático(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Precedido por
Michael Atiyah, Paul Cohen, Alexander Grothendieck e Stephen Smale
Medalha Fields
1970
com Heisuke Hironaka, Sergei Novikov e John Griggs Thompson
Sucedido por
Enrico Bombieri e David Mumford