Apocalipse 15

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"As sete taças do Apocalipse"
Iluminura da Bíblia de Ottheinrich (1530-1532).

Apocalipse 15 é o décimo-quinto capítulo do Livro do Apocalipse (também chamado de "Apocalipse de João") no Novo Testamento da Bíblia cristã.[1][2] O livro todo é tradicionalmente atribuído a João de Patmos, uma figura geralmente identificada como sendo o apóstolo João.[3]

Este capítulo é um prelúdio à narrativa das sete taças.

Texto[editar | editar código-fonte]

O texto original está escrito em grego koiné e contém 8 versículos. Alguns dos mais antigos manuscritos contendo porções deste capítulo são:

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Este curtíssimo capítulo pode ser dividido em duas seções distintas:

  • "O Cântico do Cordeiro" (versículos 1-4)
  • "Prelúdio ao Julgamento das Taças" (versículos 5-8)

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Este capítulo serve de prelúdio para a narrativa das sete taças, as "sete últimas pragas" segundo João, que "consumam a ira de Deus", cada uma delas nas mãos de um anjo. Os que venceram a besta em Apocalipse 14 entoam o "cântico de Moisés" e o "cântico do Cordeiro" enaltecendo Deus (Apocalipse 15:1-4). Depois dos cânticos, as quatro criaturas viventes deram aos anjos "sete taças de ouro cheias da ira de Deus". O santuário de Deus se fechou e ninguém mais pôde entrar enquanto não se cumprissem as pragas (Apocalipse 15:5-8).

Referências

  1. Halley, Henry H. Halley's Bible Handbook: an abbreviated Bible commentary. 23rd edition. Zondervan Publishing House. 1962.
  2. Holman Illustrated Bible Handbook. Holman Bible Publishers, Nashville, Tennessee. 2012.
  3. Evans, Craig A (2005). Craig A Evans, ed. Bible Knowledge Background Commentary: John, Hebrews-Revelation. Colorado Springs, Colo.: Victor. ISBN 0781442281 

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]