Augusto Nunes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Augusto Nunes
Augusto Nunes no Roda Viva
Nome completo Augusto Nunes da Silva
Nascimento 25 de setembro de 1949 (70 anos)
Taquaritinga, São Paulo, Brasil
Ocupação Jornalista e apresentador
Nacionalidade brasileiro

Augusto Nunes da Silva (Taquaritinga, 25 de setembro de 1949) é um jornalista, escritor e comentarista brasileiro. Atualmente é colunista da Revista VEJA, colunista da Record TV no Jornal da Record, trabalha também na rádio Jovem Pan, sendo comentarista do Jornal da Manhã e do programa Os Pingos nos Is.

Biografia

Augusto Nunes começou a escrever no jornal Nosso Jornal, em Taquaritinga. Mais tarde, estudou na Faculdade Nacional de Direito, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas não concluiu o curso, mudando em 1970 para Jornalismo, na USP, o qual também não concluiu.[1]

Em 1971, ingressou nos Diários Associados como revisor e, no ano seguinte, foi contratado como repórter no jornal O Estado de S. Paulo. Em junho de 1973, Augusto foi contratado pela Revista VEJA, onde permaneceu até 1986. Em agosto de 1987, assumiu a mediação do programa Roda Viva, na TV Cultura. Ali permaneceu até agosto de 1989. Depois disso iria dirigir as revistas Veja, Época e Forbes (edição brasileira) e os jornais O Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e Zero Hora.[2] Entre setembro de 2010 e agosto de 2011, voltou à equipe do Roda Viva, desta vez como debatedor fixo do programa.[1]

Vencedor do Prêmio Esso de Jornalismo quatro vezes, Nunes foi incluído numa seleção dos seis mais importantes jornalistas do Brasil, feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).[2] Foi um assíduo crítico do governo Lula, acusando-o de prática de corrupção, tentativa de controle da imprensa e de cerceamento da democracia.[3][4][5]

Desde abril de 2009, Augusto Nunes mantém uma coluna na VEJA.[6]

Em agosto de 2013, o jornalista voltou a ser mediador do programa Roda Viva, da TV Cultura, substituindo o jornalista Mário Sérgio Conti.[7] Nunes ficaria no comando do programa até 26 de março de 2018, substituído pelo jornalista Ricardo Lessa.[8][9] Augusto Nunes encerrou sua participação no Roda Viva com uma entrevista com o juiz Sérgio Moro.[10]

Em 13 setembro de 2016, estreou na TV Bandeirantes Mato Grosso (TV Cidade Verde) o programa O Livre, sendo o governador Pedro Taques seu primeiro convidado.[11]

Em dezembro de 2016, foi contratado pela Rádio Jovem Pan para ser colunista do Jornal da Manhã e do Jovem Pan Morning Show.[12]

Em 10 de outubro de 2017, Augusto Nunes trocou de programa na Rádio Jovem Pan: deixou Jovem Pan Morning Show e assumiu Os Pingos nos Is no lugar de Claudio Tognolli, que reassumiu sua participação no elenco do Jovem Pan Morning Show.[13]

Em 2019, foi entrevistado por Leonardo Oliverio no programa Debate Aberto. Na ocasião tratou de temas relacionados ao desenvolvimento das cidades do interior de São Paulo, em especial Taquaritinga, sua terra natal.[14]

Em 14 de outubro de 2019, foi anunciado como colunista do Jornal da Record.[15]

Agressão a Glenn Greenwald

Em 7 de novembro de 2019, Nunes compareceu ao programa de rádio Pânico da emissora Jovem Pan, com o intuito de participar da entrevista ao jornalista norte-americano Glenn Greenwald. Crítico contumaz de Greenwald, Augusto Nunes proferira a seguinte declaração dois meses antes, no programa Os Pingos nos Is, da mesma emissora: “O Glenn Greenwald passa o dia dando chiliques no Twitter, ou trabalhando de receptador de mensagens roubadas. Esse David fica em Brasília lidando com rachadinhas, que essa é a suspeita aí, que isso dá trabalho. Quem é que cuida das crianças que eles adotaram? Isso aí o juizado de menores devia investigar”. O jornalista americano, que não fora informado previamente da participação do brasileiro no programa,[16] questionou-o ao vivo sobre os ataques pessoais envolvendo seus filhos, dizendo "o que ele fez foi a coisa mais feia e suja que eu vi na minha carreira como jornalista". Nunes defendeu-se dizendo que se tratava de ironias e de "ataque bem-humorado", mas Greenwald respondeu chamando-o covarde por diversas vezes. Então, Nunes disse que "Se falar em covarde, eu vou te mostrar" e, após novamente ser chamado de covarde, desferiu dois tapas na cara do americano, dos quais só um acertou. O americano tentou revidar, mas foi contido por André Marinho, filho do suplente do senador Flávio Bolsonaro.[17] Após uma pausa técnica, o quadro continuou sem a presença de Augusto Nunes.[18][19]

Logo após o episódio, a Rádio Jovem Pan emitiu um comunicado lamentando a agressão do jornalista Augusto Nunes, bem como pedindo desculpas ao convidado Glenn Greenwald e aos ouvintes.[20] O próprio Augusto Nunes também publicou nota através das redes sociais, lamentando o ocorrido e explicando as agressões como produto de comportamento instintivo em "defesa da honra ferida".[21] Após o incidente, Greenwald alegou que o tapa fora mais fraco que os de seu filho de dez anos. O youtuber Olavo de Carvalho e os deputados Filipe Barros e Bia Kicis, do Partido Social Liberal, celebraram a agressão. O deputado federal e filho do Presidente da República, Eduardo Bolsonaro, saiu em defesa de Augusto Nunes. A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo condenou a agressão e a incitação ocorrida por pessoas ligadas ao governo como ataque à liberdade de expressão.[22]

Referências

  1. a b «AUGUSTO NUNES». Terceiro tempo. Uol. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  2. a b APMP em Reflexão. Ano II, número 13.
  3. «Lula mente até quando diz uma verdade». VEJA. Abril. 19 de setembro de 2016. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  4. «Lula só esqueceu de combinar com o destino». VEJA. Abril. 16 de outubro de 2016. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  5. «"[Lula] está condenado a se defender sem álibis" diz Augusto Nunes». Jovem Pan. UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  6. «Coluna Augusto Nunes». VEJA. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  7. «Roda Viva entrevista Miguel Reale Júnior». TB Brasil. EBC. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  8. «Augusto Nunes deixa o 'Roda Viva' a partir de abril - Telepadi». Telepadi. 16 de fevereiro de 2018 
  9. «TV Cultura anuncia Ricardo Lessa como novo apresentador do "Roda Viva"». Na Telinha - UOL. 19 de março de 2018. Consultado em 19 de março de 2018  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  10. «Augusto Nunes deixará o 'Roda Viva' após entrevistar Sérgio Moro - Emais - Estadão». Estadão 
  11. «Augusto Nunes passa atuar em MT». FolhaMaX. 8 de setembro de 2016. Consultado em 2 de janeiro de 2017 
  12. «Jovem Pan anuncia a contratação de Augusto Nunes». Radio Litoral JP News. 19 de dezembro de 2016. Consultado em 20 de dezembro de 2016 
  13. «Os Pingos nos Is - Edição de 10/10/2017». Jovem Pan Online. 10 de outubro de 2017 
  14. «Entrevista Especial com Augusto Nunes». Debate Aberto com Leonardo Oliverio. 20 de fevereiro de 2019 
  15. «Jornalista Augusto Nunes é o novo contratado da TV Record». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  16. Braziliense, Correio; Braziliense, Correio (7 de novembro de 2019). «Entenda o motivo da briga entre Augusto Nunes e Glenn Greenwald». Correio Braziliense. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  17. Braziliense, Correio; Braziliense, Correio (7 de novembro de 2019). «Augusto Nunes dá tapa na cara de Greenwald após ser chamado de covarde». Correio Braziliense. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  18. Kaiser, Anna Jean (7 de novembro de 2019). «Rightwing columnist smacks journalist Glenn Greenwald on Brazil radio show». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  19. «Jornalista Augusto Nunes agride Glenn Greenwald, que revida; assista». Folha de S. Paulo. 7 de novembro de 2019 
  20. «Rádio Jovem Pan lamenta agressão e pede desculpas a Glenn Greenwald». Isto É. 8 de novembro de 2019. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  21. «Em nota, Augusto Nunes diz: 'Cedi à voz dos instintos e à honra ferida'». R7. 8 de novembro de 2019. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  22. «'Esse tapa foi mais fraco que o do meu filho de 10 anos', diz Glenn sobre agressão de Nunes - Telepadi». telepadi.folha.uol.com.br. 7 de novembro de 2019. Consultado em 8 de novembro de 2019 
Precedido por
Rodolpho Gamberini
Apresentação do Roda Viva
19861989
Sucedido por
Jorge Escosteguy
Precedido por
Mario Sergio Conti
Apresentação do Roda Viva
20132018
Sucedido por
Ricardo Lessa