Bola Tinubu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 Nota: Se procura a advogada corporativa e fundadora da Cere Yara, veja Bola Tinubu (advogada).
Bola Tinubu
Bola Tinubu
Bola Tinubu
16.º Presidente da Nigéria
Período 29 de maio de 2023 até a atualidade
Antecessor(a) Muhammadu Buhari
12.º Governador de Lagos
Período 29 de maio de 1999
a 28 de maio de 2007
Antecessor(a) Buba Marwa
Sucessor(a) Babatunde Fashola
Senador por Lagos Ocidental na Assembleia Nacional da Nigéria
Período 5 de dezembro de 1992
a 17 de novembro de 1993
Dados pessoais
Nome completo Bola Ahmed Adekunle Tinubu
Nascimento 29 de março de 1952 (71 anos)
Lagos, Nigéria colonial
Alma mater Chicago State University
Cônjuge Oluremi Tinubu
Partido SPD (1992–1993)
AD (1998–2006)
ACN (2006–2013)
APC (2013–presente)
Religião Islamismo
Profissão Contador e político

Bola Ahmed Adekunle Tinubu (Lagos, 29 de março de 1952), mais conhecido como Bola Tinubu, é um contador e político nigeriano, é o atual presidente da Nigéria, bem como o líder nacional do Congresso de Todos os Progressistas (APC).[1] Ele serviu como governador do estado de Lagos por 2 mandatos consecutivos entre 1999 e 2007.[2]

Em junho de 2022, após vencer as primárias internas, tendo derrotado 13 pré-candidatos, Tinubu foi escolhido para ser o candidato oficial do APC à presidência da Nigéria na eleição presidencial de 2023.[3] No início da manhã de 1º de março, o presidente do INEC, Mahmood Yakubu, declarou Tinubu como o vencedor das eleições e novo presidente do país após a comparação de todos os resultados estaduais.[4]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Nascido em 29 de março de 1952[5] na cidade de Lagos, antiga capital da Nigéria, Tinubu frequentou a Aroyola St. John's Primary School de Lagos e a Children's Home School de Ibadã, no sudoeste do país. Posteriormente, imigrou para os Estados Unidos em 1975, onde estudou primeiro no Richard J. Daley College em Chicago, Illinois, e depois na Chicago State University, formando-se bacharel em Ciências Contábeis em 1979.

Tinubu trabalhou para as empresas americanas Arthur Andersen, Deloitte, Haskins, & Sells e GTE Services Corporation.[6] Depois de retornar à Nigéria em 1983, ingressou na Mobil Oil e, posteriormente, tornou-se executivo da empresa.[7]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Sua carreira política começou em 1992, quando se juntou ao Partido Social Democrata (SPD), onde foi membro da ala interna denominada Frente Popular, liderada por Shehu Musa Yar'Adua e composta por outros políticos como Umaru Yar'Adua, Atiku Abubakar, Baba Gana Kingibe, Rabiu Kwankwaso, Abdullahi Aliyu Sumaila, Magaji Abdullahi, Dapo Sarumi e Yomi Edu. Ele foi eleito para o Senado da Nigéria, representando o distrito de Lagos Ocidental durante a brevíssima Terceira República da Nigéria.[8]

Depois que os resultados da eleição presidencial de 1993 foram anulados, Tinubu tornou-se um membro fundador da Coalizão Democrática Nacional, movimento político pró-democracia que mobilizou apoio para a restauração da democracia e o reconhecimento de Moshood Abiola como vencedor do pleito presidencial. Após a golpe de Estado na Nigéria em 1993, liderado pelo general Sani Abacha, exilou-se em 1994, retornando ao país somente em 1998 após a morte de Abacha, período que marcou a transição política para a Quarta República da Nigéria.[9]

Na corrida para as eleições regionais de 1999, Bola Tinubu era um dos principais líderes da Aliança para a Democracia (AD), ao lado de Abraham Adesanya e Ayo Adebanjo.[10] Ele venceu as primárias internas do AD para as eleições regionais desse mesmo ano, derrotando Funsho Williams e Wahab Dosunmu, ex-ministro de Obras e Habitação.[11] Tinubu acabou eleito governador de Lagos em 1999 após obter 841 732 votos (81,99% dos votos válidos)[12] e foi reeleito para um segundo mandato consecutivo nas eleições regionais de 2003.[13]

Referências

  1. Onyirioha, Nnamdi. «This is Tinubu's place in APC - Presidency makes clarification». Legit.ng. Consultado em 4 de junho de 2020 
  2. «Asiwaju Bola Ahmed Tinubu-1999-2007 – BabaJide Sanwo-Olu – Governor of Lagos State» (em inglês). Consultado em 26 de maio de 2020 
  3. «Nigeria: Machine politics trump policy as APC picks Tinubu». The Africa Report.com (em inglês). 8 de junho de 2022. Consultado em 3 de julho de 2022 
  4. «INEC declares APC's Bola Tinubu winner of Nigeria's presidential election». Premium Times. Consultado em 1 de março de 2023 
  5. Bolashodun, Oluwatobi (29 de março de 2021). «Bad weather disrupts Tinubu's 69th birthday, forces Gbajabiamila, Aregbesola, others to make U-turn». Legit.ng. Consultado em 17 de julho de 2022 
  6. «My Profile». Asiwaju Bola Tinubu. Consultado em 24 de dezembro de 2009. Cópia arquivada em 23 de julho de 2011 
  7. Barnaby Phillips (20 de fevereiro de 1999). «Lagos hopes for change». BBC News. Consultado em 24 de dezembro de 2009 
  8. «YORUBA LEADERSHIP: THE CAP AND THE SHOES FIT ASIWAJU BOLA TINUBU». NigeriaWorld. 4 de maio de 2008. Consultado em 24 de dezembro de 2009 
  9. Jide Ajani (10 de outubro de 2009). «They labelled me military mole in NADECO for nothing — Bucknor Akerele». Vanguard. Consultado em 24 de dezembro de 2009 
  10. Duro Onabule (14 de março de 2008). «Acceptable face of godfatherism?». Daily Sun. Consultado em 24 de dezembro de 2009. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2010 
  11. DURO ADESEKO (20 de dezembro de 2008). «Why the military toppled Shagari». Daily Sun. Consultado em 24 de dezembro de 2009. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2009 
  12. Olusola Balogun (25 de outubro de 2009). «PDP's insatiable thirst». Daily Sun. Consultado em 24 de dezembro de 2009. Cópia arquivada em 28 de novembro de 2010 
  13. «Reuters Archive Licensing». Reuters Archive Licensing. Consultado em 3 de julho de 2022