Capra aegagrus hircus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cabras)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Bode e Cabra redirecionam para este artigo. Para a cidade estadunidense, veja Bode (Iowa). Para outros significados, veja Cabra (desambiguação).
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Como ler uma infocaixa de taxonomiaCabra
Ocorrência: .01–0 Ma

Neolítico – Recente

Domestic Goat Portrait (aka).jpg
Estado de conservação
Não avaliada: Domesticado
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Bovidae
Subfamília: Caprinae
Género: Capra
Espécie: C. aegagrus
Subespécie: C. a. hircus
Nome trinomial
Capra aegagrus hircus
Lineu, 1758

A Cabra (ou Bode, no masculino)(nome científico:Capra aegagrus hircus) é um animal herbívoro pertencente ao gênero Capra.[1] [2] A cabra-doméstica é considerada uma subespécie da cabra-selvagem que habita o sudoeste da Ásia e Europa Oriental.[3]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Cabra" se originou do latim capra[4]

Características[editar | editar código-fonte]

O caprino é um dos menores ruminantes domesticados. As cabras foram um dos primeiros animais a serem domesticados, por volta do ano 7000 a.c. no Oriente Médio, a partir das cabras-selvagens. Talvez a sua resistência natural e capacidade de adaptação a condições extremas tenha chamado a atenção dos povos nómadas da região para este animal e para a possibilidade de o domesticar.[5][6]

Na maioria das raças de caprinos, os dois sexos têm cornos e barba. Os cornos podem ser curvos ou em forma de espiral, mas muitos têm um lado interno afiado. O pelo pode ser comprido ou curto, macio ou áspero, dependendo do habitat e do controle da criação.[5][6]

A cabra fornece couro, carne, leite e, às vezes, estrume e (em algumas variedades, como na cabra-angorá). O esgotamento de pastos pelas cabras se tornou, onde não há um manejo adequado dos animais, um problema ambiental em muitas partes do mundo.

O habitat natural dos bodes são as montanhas, geralmente nas zonas temperadas. A alta altitude, aliada aos pulmões desenvolvidos dos bodes e à grossa pelagem que os protege do frio, permite a sobrevivência em um local protegido de qualquer tipo de predador.

As crias — popularmente chamadas de cabritos — nascem após uma gestação de cerca de 150 dias. Têm uma expectativa de vida de cerca de vinte anos e emitem um som chamado de "balido". O substantivo coletivo para grupos de cabras é "fato".[5][6]

Os caprinos recebem diferentes denominações de acordo com seu gênero e fase de vida. Ao nascer, machos e fêmeas são denominados cabriteiros até o fim da fase de lactação. Da fase de lactação à maturidade sexual, são denominados cabritos. A partir da maturidade sexual, as fêmeas são denominadas cabras e os machos, bodes.

Anatomia e saúde[editar | editar código-fonte]

Coração caprino. Em exposição no MAV/USP.
Esqueleto (Capra hircus)
Cabrito

As cabras são consideradas animais pequenos, com variação entre raças que variam de mais de 140 kg para bodes das raças maiores, como a raça boér, a 20 a 27 kg para cabras menores.[7] Em cada raça, diferentes estirpes ou linhas de sangue podem ter diferentes tamanhos. No extremo inferior da escala estão as raças diminutas tais como o pigmeu africano, com 41 a 58 cm de altura.[8]

A maioria das cabras naturalmente têm chifres, a menos que sejam colhidas (ou seja, geneticamente sem corno) ou os chifres tenham sido removidos, tipicamente logo após o nascimento.[9] Houve incidentes de cabras de policarato (tendo até oito chifres), embora esta seja uma raridade genética que se pensa ser herdada. [9]Os chifres são mais tipicamente removidos em rebanhos comerciais de cabras leiteiras para reduzir as lesões.[10]

As cabras são ungulados ruminantes, com um estômago de quatro câmaras que consiste no rúmen, no retículo, no omasum e no abomaso. As fêmeas têm um úbere consistindo de duas tetas.[11] Uma excepção a esta é a cabra boér, que às vezes pode ter até oito tetas. [12][13][14]

Leite, carne e pele[editar | editar código-fonte]

O leite de cabra pode ser contaminado com toxoplasma e infectar humanos pela penetração dos taquizoítos pelas mucosas da boca e faringe, o que leva à toxoplasmose.[15] A carne tem grandes apreciadores. A pele é usada na produção de calçado, vestuário e ainda artigos de decoração.[5][6]

Raças portuguesas[editar | editar código-fonte]

Portugal conta com a presença de 6 raças autóctones de cabras[16]:

  • Algarvia
  • Bravia
  • Preta Montesinho
  • Charnequeira
  • Serpentina
  • Serrana

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Em fazendas é muito comum a utilização de artifícios, como a inseminação artificial, para que se obtenha um rebanho com o menor número de indivíduos fisiologicamente deficientes. Com esta seleção artificial é possível se obter uma prole mais resistente a doenças e com porte que torna viável a comercialização de derivados caprinos.

A inseminação artificial ou inseminação intrauterina é uma técnica de reprodução medicamente assistida que consiste na deposição artificial do sêmen nas vias genitais da fêmea.[17] Utiliza-se em casos em que os espermatozoides não conseguem atingir as trompas ou simplesmente por escolha do proprietário do animal. Consiste em transferir, para a cavidade uterina, os espermatozoides previamente recolhidos e processados, com a seleção dos espermatozoides morfologicamente mais normais e móveis.

Além de populações selvagens cruzadas por conta própria com raças importadas de cabras, as primitivas raças britânicas têm sido usadas em cruzamentos seletivos e intencionais de gado por humanos.

A antiga estirpe inglesa, em particular, está entre as bases de algumas raças modernas padronizadas. Por exemplo, o anglo-nubiano popular (chamado frequentemente por Nubian na America do Norte) originou-se na Inglaterra nos anos 1920-1930, resultado de um cruzamento entre as cabras milch inglesas e os bucks importados,[18] incluindo Zariby e Nubian original (africano), da Índia, Rússia e Egito.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Capra aegagrus hircus

Referências

  1. Cabra (Gênero Capra) - visitado em Outubro de 2016
  2. Cabra e Bode - Site visitado em Outubro de 2016)
  3. Bioenciclopédia - Cabra (em espanhol) - Site visitado em Outubro de 2016
  4. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.303
  5. a b c d «Capra hircus». Consultado em 9 de março de 2012. 
  6. a b c d «Cabra (Gênero Capra)». Consultado em 9 de março de 2012. 
  7. Taylor, R.E. and Field, T.G., "Growth and Development" Scientific Farm Animal Production: An Introduction to Animal Science, 6th Ed. Prentice-Hall (1999) Upper Saddle River pg 321-324.
  8. Belanger, J & Bredesen, S. T, "Basic Information about Goats" Storey's Guide to Raising Dairy Goats, 2nd ed. Storey Publishing (2010) North Adams, pg 14
  9. a b American Goat Society:Polled Genetics, americangoatsociety.com.
  10. Smith, Mary C; Sherman, David M. (1994). Goat Medicine. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-8121-1478-2 
  11. Taylor, R.E., Scientific Farm Animal Production: An Introduction to Animal Science, 6th ed, Upper Saddle River (Prentice Hall) 1998
  12. Kocourek, Christine (1 de junho de 2011). «Common Myths/Facts about Boer Goats». Floppy Ear Farm. Consultado em 12 de novembro de 2014. 
  13. Bowman, Gail. «What is a Genetic Flaw in a Boer Goat?». Boer Goats Home. Consultado em 12 de novembro de 2014. 
  14. «Choosing Your Boer Goat- How Do I Know What to Look For?». Rooster Ridge Boer Goats. Consultado em 12 de novembro de 2014. 
  15. «TOXOPLASMOSE HUMANA ADQUIRIDA ATRAVÉS DA INGESTÃO DE LEITE DE CABRA» (PDF). Memorial Instituto Oswaldo Cruz. Scielo. 1984. 339 páginas. Consultado em 5 de janeiro de 2012.. A contaminação de leite de [...] cabras com Toxoplasma já foi constatada [...]. Apesar dos taquizoitos serem rapidamente destruídos pelo suco gástrico [...] foi demonstrado que pode ocorrer a infecção por via oral através da penetração dessas formas pelas mucosas da boca e faringe [...]. 
  16. Portaria n.º 55/2015, Diário da República n.º 41/2015, Série I de 2015-02-27.
  17. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 950.
  18. «Breeds reported by United Kingdom». Domestic Animal Diversity Information System. Food and Agriculture Organization of the United Nations. 2015. "English Goat" and "Nubian & Anglo-Nubian" entries. Consultado em 1 de junho de 2015. 
Ícone de esboço Este artigo sobre artiodáctilos, integrado no Projeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.