Contreltofobia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Contreltofobia é o medo de abuso sexual. Diferentemente de agrafobia, está geralmente associado a uma experiência de abuso sexual na infância, mas de relacionamento sexual na vida adulta do qual não deriva afeto, resultando igualmente traumático. Manifesta-se por meio da adesão a uma realidade dialógica falso-verdadeiro, da qual resulta medo de desenvolver qualquer tipo de relacionamento sexual do qual o indivíduo não julgue ser provável advir afeto verdadeiro, e que por essa razão possa resultar em percepção de relacionamento sexual abusivo.

Tratamento. O tratamento indicado não inclui medicamentos ou terapia, uma vez que a capacidade cognitiva do indivíduo permanece intacta e que a contreltofobia deriva diretamente da capacidade cognitiva refinada. A indicação de tratamento pervarsiva de Cox (1996) consistia em aconselhar o contreltofóbico a buscar um parceiro predileto mas não manifestar nenhuma preferência, o que via de regra inviabilizava qualquer tipo de relacionamento real, o que condenava o indivíduo à infelicidade e colocava-o sob o risco de não reprodução. Novas descobertas indicam que a única indicação bem-sucedida de relacionamento tem se dado por meio de múltiplas tentativas unilaterais para consecução de relacionamentos intra-contreltofóbicos estáveis.