Fraude jornalística

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde setembro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Uma fraude jornalística é uma caso de fraude pela qual um jornalista, seja ele repórter ou apresentador de televisão, passa uma informação falsa para o público como verdadeira, mesmo tendo ciência disso.

Um caso de fraude jornalística que foi revelada e teve grande repercussão no Brasil foi o Escândalo Gugu-PCC [1] [2] [3]  : a produção do programa Domingo Legal, de Gugu Liberato, da emissora SBT, exibiu uma entrevista com supostos membros do PCC, que na verdade eram atores.

Referências

  1. Alberto Pereira Jr. (9 de setembro de 2011). «Oito anos depois, repórter do caso PCC é demitido do 'Domingo Legal'». F5 / Folha de S.Paulo. Consultado em 14 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 5 de junho de 2014 
  2. Aloizio Júnior (13 de abril de 2015). «SBT e Gugu terão que indenizar apresentador por conta da farsa do PCC». TV Foco / IG. Consultado em 14 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 13 de março de 2016 
  3. Arthur Vivaqua (14 de abril de 2015). «SBT e Gugu são condenados a indenizar ex-apresentador do "Cidade Alerta"». RD1 / IG. Consultado em 14 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 14 de abril de 2015 


Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação ou jornalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.