Geoffrey Wilkinson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Geoffrey Wilkinson
Nascimento 14 de julho de 1921
Springside
Morte 26 de setembro de 1996 (75 anos)
Londres
Nacionalidade Reino Unido Britânico
Alma mater Imperial College London
Prêmios Nobel prize medal.svg Nobel de Química (1973), Medalha Real (1981), Medalha Davy (1996)
Orientador(es)(as) Henry Vincent Aird Briscoe
Instituições Universidade da Califórnia em Berkeley, Universidade Harvard, Imperial College London
Campo(s) Química inorgânica, química orgânica

Geoffrey Wilkinson (Springside, 14 de julho de 1921Londres, 26 de setembro de 1996) foi um químico britânico.

Conjuntamente com Ernst Otto Fischer, foi agraciado com o Nobel de Química de 1973 devido ao "seu trabalho pioneiro, conduzido de forma independente, sobre a química dos organometálicos, designados por compostos sanduíche[1]".

Desenvolveu o catalisador de Wilkinson.

Carreira e pesquisa[editar | editar código-fonte]

Em 1942, o professor Friedrich Paneth estava recrutando jovens químicos para o projeto de energia nuclear. Wilkinson juntou-se e foi enviado para o Canadá, onde ficou em Montreal e mais tarde em Chalk River Laboratories até que pudesse sair em 1946. Nos quatro anos seguintes, ele trabalhou com o professor Glenn T. Seaborg na Universidade da Califórnia, Berkeley , principalmente em taxonomia nuclear.[2] Ele então se tornou um Pesquisador Associado no Instituto de Tecnologia de Massachusetts e começou a retornar ao seu primeiro interesse como estudante - complexos de metais de transição de ligantes como o monóxido de carbono e olefinas .

Ele esteve na Universidade de Harvard de setembro de 1951 até retornar à Inglaterra em dezembro de 1955, com uma pausa sabática de nove meses em Copenhague. Em Harvard, ele ainda fazia alguns trabalhos nucleares em funções de excitação de prótons no cobalto, mas já havia começado a trabalhar em complexos de olefinas.

Estrutura do ferroceno Fe(C5H5)2

Em junho de 1955, ele foi nomeado para a cadeira de Química Inorgânica no Imperial College London, e a partir de então trabalhou quase que inteiramente nos complexos de metais de transição.

Wilkinson é bem conhecido por sua popularização do uso do catalisador de Wilkinson RhCl (PPh3)3 na hidrogenação catalítica e pela descoberta da estrutura do ferroceno. O catalisador de Wilkinson é usado industrialmente na hidrogenação de alcenos em alcanos.[3][4]

Referências

  1. «Chemistry Laureates: Fields». www.nobelprize.org. Consultado em 9 de agosto de 2018 
  2. «Sir Geoffrey Wilkinson | British chemist» 
  3. Jardine, F.H. (1996). «The Contributions of Sir Geoffrey Wilkinson, F.R.S., (1921–1996) to Rhodium Chemistry». Rhodium Express. 16: 4–10. ISSN 0869-7876 
  4. Osborn, J. A.; Jardine, F. H.; Young, J. F.; Wilkinson, G. (1966). «The Preparation and Properties of Tris(triphenylphosphine)halogenorhodium(I) and Some Reactions Thereof Including Catalytic Homogeneous Hydrogenation of Olefins and Acetylenes and Their Derivatives». Journal of the Chemical Society A: 1711–1732. doi:10.1039/J19660001711 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Christian Boehmer Anfinsen, Stanford Moore e William Howard Stein
Nobel de Química
1973
com Ernst Otto Fischer
Sucedido por
Paul John Flory
Precedido por
John Paul Wild, Henry Harris e Denys Wilkinson
Medalha Real
1981
com Ralph Riley e Marthe Louise Vogt
Sucedido por
César Milstein, William Hawthorne e Richard Dalitz


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) químico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.