Saltar para o conteúdo

Geraldo Majella Agnelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Geraldo Majella Agnelo
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo emérito de Salvador
Info/Prelado da Igreja Católica
Atividade eclesiástica
Diocese Arquidiocese de São Salvador da Bahia
Nomeação 13 de janeiro de 1999
Predecessor Lucas Cardeal Moreira Neves, O.P.
Sucessor Murilo Krieger, S.C.I.
Mandato 19992011
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 29 de junho de 1957
Catedral Metropolitana de São Paulo
por Antônio Maria Alves de Siqueira
Nomeação episcopal 14 de maio de 1978
Ordenação episcopal 6 de agosto de 1978
Catedral Metropolitana de São Paulo
por Paulo Evaristo Cardeal Arns, O.F.M.
Nomeado arcebispo 4 de outubro de 1982
Cardinalato
Criação 21 de fevereiro de 2001
por Papa João Paulo II
Ordem Cardeal-presbítero
Título São Gregório Magno na Via Magliana Nova
Brasão
Lema CARITAS CUM FIDE
Amor com Fé
Dados pessoais
Nascimento Juiz de Fora, Minas Gerais
19 de outubro de 1933
Morte Londrina, Paraná
26 de agosto de 2023 (89 anos)
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Silvia Spagnolo
Pai: Antônio Agnelo
Funções exercidas -Bispo de Toledo (1978-1982)
-Arcebispo de Londrina (1982-1991)
- Secretário da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos (1991-1999)
Sepultado Cripta da Catedral Metropolitana de Londrina
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Geraldo Majella Agnelo (Juiz de Fora, 19 de outubro de 1933Londrina, 26 de agosto de 2023)[1] foi um cardeal brasileiro, arcebispo da Arquidiocese de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil.

Teve papel de destaque na criação da Pastoral da Criança no Brasil, em 1983, ao lado da médica Zilda Arns, em Florestópolis.[1]

Nascido em Juiz de Fora, é o terceiro de oito filhos de Antônio Agnelo e sua esposa, Silvia Spagnolo Agnelo.[2] Iniciou seus estudos aos 12 anos, no Seminário Menor Diocesano Santo Antônio.

Com a saúde agravada desde dezembro de 2022 devido a um acidente vascular cerebral (AVC), estava em internação domiciliar em Londrina, onde faleceu aos 89 anos.[1]

Funções eclesiásticas

[editar | editar código-fonte]

Em 29 de junho de 1957 foi ordenado presbítero, aos 23 anos, por Dom Antônio Maria Alves de Siqueira, na Catedral Metropolitana de São Paulo. Nomeado assistente da Juventude Estudantil Católica Feminina (1958-1959).

Foi docente no Seminário Cura d'Ars (1958-1959), no Seminário Filosófico de Aparecida, São Paulo (1960-1963), no Seminário Teológico, São Paulo (1964-1967). Foi nomeado cânone do capítulo da catedral de São Paulo pelo cardeal Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta, arcebispo da Sé, no início de 1964 a 1978; ele era também ceremoniere da catedral.[2][3]

Foi coordenador da Pastoral Diocesana entre 1970 e 1974. Passou a ser o Diretor da Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção (1975-1978).[2][3]

Em 5 de maio de 1978, aos 44 anos, foi eleito bispo de Toledo, sendo consagrado em 6 de agosto de 1978 por Dom Paulo Evaristo Arns, O.F.M., arcebispo de São Paulo,[2] tendo como co-consagrante Dom Benedito de Ulhôa Vieira, arcebispo de Uberaba e por Dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo-auxiliar de São Paulo.[3][4] Em 10 de setembro de 1978, toma posse na Diocese de Toledo.

Em 4 de outubro de 1982, é eleito Arcebispo de Londrina. Em 31 de janeiro de 1983, toma posse na Arquidiocese de Londrina. Em 16 de setembro de 1991 é designado Secretário da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, na Cúria Romana. Em 13 de janeiro de 1999, é transferido para a Sé de São Salvador da Bahia e torna-se Primaz do Brasil.[2][3][4]

Teve as seguintes funções:

Foi criado cardeal-presbítero da Santa Igreja pelo Papa João Paulo II no consistório de 21 de fevereiro de 2001, recebendo o título de São Gregorio Magno em Magliana Nuova.

Como cardeal foi:

D. Geraldo Majella completou 75 anos em 2008, quando, por motivo de idade, pediu renúncia à Santa Sé, sendo seu sucessor, escolhido em janeiro de 2011, Dom Murilo Krieger, S.C.I.

No dia 12 de janeiro de 2011 teve seu pedido de renúncia aceito pelo Papa Bento XVI. Em fevereiro de 2014, passou a residir em Londrina.[5]

«A caridade com a fé»

Ordenações presbiterais

[editar | editar código-fonte]

Ordenações episcopais

[editar | editar código-fonte]

O Cardeal Agnelo foi o principal sagrante dos seguintes bispos:[4]

Foi um dos co-sagrantes dos seguintes bispos:

Obras publicadas

[editar | editar código-fonte]
  • Liturgia: serviço cultual do povo de Deus. (Tese de Doutorado)
  • Pastoral dos Sacramentos. São Paulo: Paulinas, 1964.

Referências

  1. a b c «Morre o cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo, aos 89 anos». Zero Hora (20.766): 29. 28 de agosto de 2023 
  2. a b c d e Biografia no site do Vaticano
  3. a b c d Biografia no site The Cardinals of the Holy Roman Church
  4. a b c Biografia no Catholic-hierarchy
  5. «Dom Geraldo Majella Agnelo se despede de Salvador». CNBB-NE. 10 de fevereiro de 2014 

Ligações externas

[editar | editar código-fonte]
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre Geraldo Majella Agnelo:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons

Precedido por
Armando Círio, OSI
Brasão episcopal
Bispo de Toledo

1978 — 1982
Sucedido por
Lúcio Ignácio Baumgaertner
Precedido por
Geraldo Fernandes Bijos, CMF
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Londrina

1982 — 1991
Sucedido por
Albano Bortoletto Cavallin
Precedido por
Lajos Kada
Brasão da Santa Sé
Secretário do Congregação para o Culto Divino e
Disciplina dos Sacramentos

1991 - 1999
Sucedido por
Francesco Pio Tamburrino, O.S.B.
Precedido por
Lucas Cardeal Moreira Neves, O.P.
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de São Salvador da Bahia

1999 — 2011
Sucedido por
Murilo Krieger, SCJ
Precedido por
criação do titulus
Brasão cardinalício
Cardeal-presbítero de
São Gregorio Magno em Magliana Nuova

2001 — 2023
Sucedido por
sede vacante
Precedido por
Jayme Henrique Chemello
Presidente da
Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

2003 — 2007
Sucedido por
Geraldo Lyrio Rocha