Helena Roseta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Maria Helena do Rego da Costa Salema Roseta (Lisboa, 23 de Dezembro de 1947) é uma arquitecta e política portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciada em Arquitectura, pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa da Universidade de Lisboa, iniciou a sua carreira junto de Nuno Portas, primeiro no Laboratório Nacional de Engenharia Civil, e depois no seu atelier. Colaborou em seguida com os arquitectos Maurício de Vasconcelos e Bruno Soares, na recuperação de bairros clandestinos, e com Sebastião Formosinho Sanchez, num projeto hospitalar.

Dirigente ativa da Juventude Escolar Católica e, posteriormente, secretária-geral do Sindicato Nacional dos Arquitectos, foi detida pela PIDE em 1973. Nesse mesmo ano participara no III Congresso da Oposição Democrática, em Aveiro.

Após o 25 de abril aderiu ao Partido Social Democrata. Foi eleita deputada à Assembleia Constituinte, em 1975, e à Assembleia da República, em 1976, vereadora na Câmara Municipal de Lisboa, também em 1976, e presidente da Câmara Municipal de Cascais, cargo que exerceu de 1982 até 1985. Dirigiu o jornal oficial do PSD, Povo Livre.

Em 1986 apoiou Mário Soares para Presidente da República, o que a levou a abandonar o PSD. Integrou as listas do Partido Socialista, para as eleições legislativas de 1986, e aderiu formalmente ao partido, em 1991.

Ainda no âmbito da sua carreira profissional foi membro da equipa do Plano Director e Plano Estratégico de Lisboa e do Plano Estratégico da Guarda, entre 1991 e 1995; lecionou as disciplinas de Urbanismo e Cidadania e Urbanismo e Autarquias na Universidade Lusófona, entre 1995 e 1997, e foi perita da OCDE para a Sustentabilidade Urbana. Presidiu ao Conselho Directivo Nacional da Ordem dos Arquitectos, de 2001 a 2007.

Em 1993 foi gerente do Botequim, o bar de Natália Correia, na Graça, em Lisboa, tendo organizado o espólio da poetisa, na qualidade de testamenteira de Dórdio Guimarães, em 1999.

Em 1998 dinamizou o Movimento Sim pela Tolerância, no referendo pela despenalização da Interrupção Voluntária da Gravidez, em 1999 integrou a Comissão Coordenadora do Movimento Nacional a Favor de Timor-Leste, e em 2004 fundou o Clube de Política, Liberdade e Cidadania.

Em ruptura com o PS, candidatou-se a presidente da Câmara Municipal de Lisboa, em 2007, conseguindo a eleição como vereadora, pelo Movimento Cidadãos por Lisboa. Para renovar o seu mandato, em 2009, o seu movimento acabou por se coligar com o PS, tendo sido vereadora no executivo de António Costa, entre 2009 e 2013. Neste último ano, o seu movimento independente renovou a coligação com o PS e Helena Roseta aceitou liderar a lista da coligação "Juntos Fazemos Lisboa" à Assembleia Municipal, sendo a atual Presidente deste órgão. Em virtude do seu apoio a António Costa, com a chegada deste a líder do partido, Helena Roseta regressou à bancada do PS no Parlamento na XIII Legislatura, na sequência das legislativas de 2015.

É comentadora na SIC Notícias.

Foi distinguida com a Medalha de Mérito do Conselho da Europa, em 1982.

É casada mas separada de facto com Pedro Roseta, com a qual tem três filhas e sete netos e netas. Foi antecessora como Presidente da Câmara Municipal de Cascais de seu cunhado marido de sua irmã António Capucho.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]