Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico
Organisation de coopération et de développement économiques
Logótipo da OCDE.
OECD member states map.svg

Tipo Organização internacional
Fundação 30 de setembro de 1961 (60 anos)
Sede Paris, França
Membros
Línguas oficiais inglês e francês
Secretário-geral México José Ángel Gurría
Sítio oficial www.oecd.org

Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (português brasileiro) ou Económico (português europeu) (OCDE; em francês: Organisation de coopération et de développement économiques, OCDE) é uma organização econômica intergovernamental com 38 países membros,[1] fundada em 1961 para estimular o progresso econômico e o comércio mundial.

É um fórum de países que se descrevem comprometidos com a democracia e a economia de mercado, oferecendo uma plataforma para comparar experiências políticas, buscar respostas para problemas comuns, identificar boas práticas e coordenar as políticas domésticas e internacionais de seus membros. A maioria dos membros da OCDE é formada por economias de alta renda com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) muito alto e consideradas países desenvolvidos. Em 2017, os países membros da OCDE representavam coletivamente 62,2% do PIB nominal global (49,6 trilhões de dólares)[2] e 42,8% do PIB global (54,2 trilhões de dólares internacionais) por paridade de poder de compra.[3] A organização é um observador oficial das Nações Unidas.[4]

Em 1948, a OCDE se originou como a Organização para a Cooperação Econômica Europeia (OCEE),[5] liderada por Robert Marjolin, da França, para ajudar a administrar o Plano Marshall (que foi rejeitado pela União Soviética e seus Estados satélites).[6] Isso seria alcançado alocando a ajuda financeira dos Estados Unidos e implementando programas econômicos para a reconstrução da Europa após a Segunda Guerra Mundial. (Ajuda de reconstrução semelhante foi enviada à República da China, devastada pela guerra, e à Coreia do pós-guerra, mas não com o nome "Plano Marshall".)[7]

Em 1961, a OCEE foi transformada na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico e a adesão foi estendida a países não europeus.[8][9] Sua sede fica no Château de la Muette, em Paris, França.[10] A OCDE é financiada por contribuições dos países membros a taxas variadas e teve um orçamento total de 374 milhões de euros em 2017.[11]

Conhecido como o "clube dos países ricos" em 2017,[12] seus países membros representavam coletivamente 62,2% do PIB nominal global (US $ 49,6 trilhões) e 42,8% do PIB global (Int 54,2 trilhões).[13]

História[editar | editar código-fonte]

Organização para a Cooperação Econômica Europeia[editar | editar código-fonte]

A Organização para a Cooperação Econômica Europeia (OCEE) foi formada em 1948 para administrar a ajuda americana e canadense no âmbito do Plano Marshall para a reconstrução da Europa após a Segunda Guerra Mundial.[14] Iniciou suas operações em 16 de abril de 1948 e teve origem no trabalho realizado pelo Comitê de Cooperação Econômica Europeia em 1947, em preparação ao Plano Marshall. Desde 1949, está sediada no Château de la Muette, em Paris, França. Depois que o Plano Marshall terminou, a OCEE se concentrou em questões econômicas.[5]

Na década de 1950, a OCEE forneceu o quadro de negociações destinadas a determinar condições para a criação de uma área de livre comércio europeia, para reunir a Comunidade Econômica Europeia dos seis e dos outros membros da OCEE em bases multilaterais. Em 1958, uma Agência Europeia de Energia Nuclear foi criada sob a OCEE. No final da década de 1950, com o trabalho de reconstruir a Europa efetivamente terminada, alguns países líderes sentiram que a OCEE havia superado seu objetivo, mas poderia ser adaptada para cumprir uma missão mais global. Seria uma tarefa árdua e, depois de várias reuniões, às vezes violentas, no Hotel Majestic, em Paris, a partir de janeiro de 1960, foi alcançada uma resolução para criar um órgão que tratasse não apenas das questões econômicas europeias e atlânticas, mas elaborasse políticas para ajudar os países menos desenvolvidos. Essa organização reconstituída traria os Estados Unidos e o Canadá, que já eram observadores da OCEE, a bordo como membros efetivos. Também começaria a trabalhar imediatamente para trazer o Japão.[15]

Fundação[editar | editar código-fonte]

Château de la Muette, a sede da OCDE em Paris.

Após os Tratados de Roma de 1957 para o lançamento da Comunidade Econômica Europeia, a Convenção sobre a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico foi elaborada para reformar a OCEE. A Convenção foi assinada em dezembro de 1960 e a OCDE substituiu oficialmente a OCEE em setembro de 1961. Consistia nos países fundadores europeus da OCEE e nos Estados Unidos e Canadá (três países (Países Baixos, Luxemburgo e Itália) todos membros da OCEE, ratificaram a Convenção da OCDE após setembro de 1961, mas são considerados membros fundadores). Os membros fundadores oficiais são:

Nos 12 anos seguintes, Japão, Finlândia, Austrália e Nova Zelândia também se uniram à organização. A Iugoslávia tinha status de observadora na organização desde o estabelecimento da OCDE até sua dissolução como país. A OCDE criou agências como o Centro de Desenvolvimento da OCDE (1961), a Agência Internacional de Energia (AIE, 1974) e o Grupo de Ação Financeira Internacional.[16]

Alargamento à Europa Central[editar | editar código-fonte]

Após as revoluções de 1989, a OCDE começou a ajudar os países da Europa Central (especialmente o Grupo de Visegrado) a preparar reformas na economia de mercado. Em 1990, foi criado o Centro de Cooperação com Economias Europeias em Transição (agora sucedido pelo Centro de Cooperação com Não Membros) e, em 1991, foi lançado o programa "Parceiros em Transição" para o benefício da Tchecoslováquia, Hungria e Polônia.[16][17] Este programa também incluiu uma opção de associação para esses países.[17] Como resultado disso, a Polônia,[18] a Hungria, a República Tcheca e a Eslováquia, bem como o México e a Coreia do Sul se tornaram membros da OCDE entre 1994 e 2000.[19]

Reforma e novo alargamento[editar | editar código-fonte]

Nos anos 1990, vários países europeus, agora membros da União Europeia, expressaram sua disposição de ingressar na organização. Em 1995, o Chipre solicitou a adesão, mas, segundo o governo cipriota, foi vetado pela Turquia.[20] Em 1996, a Estônia, a Letônia e a Lituânia assinaram uma declaração conjunta expressando sua disposição de se tornarem membros plenos da OCDE.[21] A Eslovênia também solicitou a adesão no mesmo ano.[22] Em 2005, Malta solicitou a adesão à organização.[23] A UE está fazendo lobby pela admissão de todos os seus Estados membros.[24] A Romênia reafirmou em 2012 sua intenção de se tornar membro da organização por meio da carta endereçada pelo primeiro-ministro romeno Victor Ponta ao secretário-geral da OCDE, José Ángel Gurría.[25] Em setembro de 2012, o governo da Bulgária também confirmou que solicitará a adesão plena ao Secretariado da OCDE.[26]

A OCDE estabeleceu um grupo de trabalho chefiado pelo embaixador Seiichiro Noboru, para elaborar um plano para o alargamento com não membros. O grupo de trabalho definiu quatro critérios nos quais é necessário o preenchimento completo: "afins", "participante significativo", "benefício mútuo" e "considerações globais". As recomendações do grupo de trabalho foram apresentadas na reunião do Conselho Ministerial da OCDE em 13 de maio de 2004.[16] Em 16 de maio de 2007, o Conselho Ministerial da OCDE decidiu iniciar discussões de adesão com Chile, Estônia, Israel, Rússia e Eslovênia e fortalecer a cooperação com Brasil, China, Índia, Indonésia e África do Sul através de um processo de maior envolvimento.[27] Chile, Eslovênia, Israel e Estônia tornaram-se membros efetivos em 2010.[28] Em março de 2014, a OCDE interrompeu as negociações de adesão com a Rússia em resposta ao seu papel na crise da Crimeia em 2014.[29][30]

Em 2013, a OCDE decidiu iniciar conversações com a Colômbia e a Letônia. Em 2015, iniciou negociações com a Costa Rica e a Lituânia.[31] A Letônia tornou-se membro titular em 1 de julho de 2016 e a Lituânia em 5 de julho de 2018.[32][33] A Colômbia assinou o acordo de adesão em 30 de maio de 2018[34] e tornou-se membro titular em 28 de abril de 2020.[35]

Outros países que manifestaram interesse em participar da OCDE são Argentina, Peru,[36] Malásia,[37] Brasil[38] e Croácia.[39]

Países membros[editar | editar código-fonte]

Existem presentemente 38 membros da OCDE.[40] Destes 38, Colômbia, México, Turquia e Costa Rica são descritos como economias de renda média alta do Banco Mundial. Os membros restantes são descritos como economias de renda alta.[41][42]

País Área[43]
(km2)
2017
População
[43] 2017
PIB (PPC)
[43] (Intl. $)
2017
PIB (PPC)
per capita
[43]
(Intl. $)
2017
Desigualdade
[43] 2008-
2016
IDH[44]
2018
IEF[45]
2019
IED[46]
2019
IPC[47]
2018
ILF[48]
2019
IGP[49]
2019
ILI[50]
2019
ID[51]
2018
 Alemanha 357 380 82 695 000 4 187 583 088 239 50 639 31,7 0,939 24,7 0,84 80 73,5 1,547 14,60 8,68
 Austrália 7 741 220 24 598 933 1 192 065 505 301 48 460 34,7 0,938 19,7 0,80 77 80,9 1,419 16,55 9,09
 Áustria 83 879 8 809 212 461 582 926 400 52 398 30,5 0,914 25,0 0,82 76 72,0 1,291 15,33 8,29
 Bélgica 30 530 11 372 068 544 041 974 958 47 840 27,7 0,919 28,6 0,79 75 67,3 1,533 12,07 7,78
 Canadá 9 984 670 36 708 083 1 714 447 151 944 46 705 34,0 0,922 20,0 0,81 81 77,7 1,327 15,69 9,15
 Chile 756 096 18 054 726 444 777 637 169 24 635 47,7 0,847 38,9 0,68 67 75,4 1,634 25 65 7 97
 Colômbia 1 141 748 48 901 066 709 420 539 907 14 507 49,7 0,761 75,7 0,50 36 67,3 2,661 42,82 6,96
 Coreia do Sul 100 280 51 466 201 1 972 970 735 842 38 335 31,6 0,906 33,7 0,73 57 72,3 1,867 24,94 8,00
 Costa Rica 51 100 4 949 954 84 031 346 801 16 976 48,3 0,795 42,0 0,69 56 65,3 1,706 12,24 8,07
 Dinamarca 42 922 5 769 603 296 350 723 354 51 364 28,2 0,930 19,5 0,90 88 76,7 1,316 9,87 9,22
 Eslováquia 49 035 5 439 892 171 990 237 347 31 616 26,5 0,857 40,5 50 65,0 1,550 23,58 7,10
 Eslovênia 20 270 2 066 748 72 063 812 126 34 868 25,4 0,902 28,0 0,67 60 65,5 1,355 22,31 7,50
 Espanha 505 940 46 572 028 1 769 637 042 996 37 998 36,2 0,893 40,7 0,71 58 65,7 1,699 21,99 8,08
 Estados Unidos 9 831 510 325 719 178 19 390 604 000 000 59 532 41,5 0,920 38,0 0,71 71 76,8 2,401 25,69 7,96
 Estônia 45 230 1 315 480 41 756 008 089 31 742 32,7 0,882 40,8 0,81 73 76,6 1,727 12,27 7,97
 Finlândia 338 420 5 511 303 247 269 243 619 44 866 27,1 0,925 16,9 0,87 85 74,9 1,488 7,90 9,14
 França 549 087 67 118 648 2 876 059 993 399 42 850 32,7 0,891 32,0 0,73 72 63,8 1,892 22,21 7,80
 Grécia 131 960 10 760 421 297 008 117 389 27 602 36,0 0,872 53,9 0,62 45 57,7 1,933 29,08 7,29
 Hungria 93 030 9 781 127 274 926 859 412 28 108 30,4 0,845 49,6 0,53 46 65,0 1,540 30,44 6,63
 Irlanda 70 280 4 813 608 364 140 938 830 75 648 31,8 0,942 20,6 73 80,5 1,390 15,00 9,15
 Islândia 103 000 341 284 18 140 165 689 53 153 27,8 0,938 19,8 76 77,1 1,072 14,71 9,58
 Israel 22 070 8 712 400 333 351 018 354 38 262 41,4 0,906 61 72,8 2,735 30,80 7,79
 Itália 301 340 60 551 416 2 387 357 093 793 39 427 35,4 0,883 43,8 0,65 52 62,2 1,754 24,98 7,71
 Japão 377 962 126 785 797 5 487 161 155 332 43 279 32,1 0,915 34,3 0,78 73 72,1 1,369 29,36 7,99
 Letônia 64 490 1 940 740 53 561 181 206 27 598 34,2 0,854 43,9 58 70,4 1,718 19,53 7,38
 Lituânia 65 286 2 827 721 90 748 628 812 32 092 37,4 0,869 38,1 59 74,2 1,779 22,06 7,50
 Luxemburgo 2 590 599 449 62 189 692 542 103 745 33,8 0,909 20,4 81 75,9 15,66 8,81
 México 1 964 380 129 163 276 2 358 275 520 126 18 258 43,4 0,767 69,7 0,45 28 64,7 2,600 46,78 6,19
 Nova Zelândia 267 710 4 793 900 197 072 471 931 41 109 0,921 20,1 0,82 87 84,4 1,221 10,75 9,26
 Noruega 385 178 5 282 223 324 403 929 579 61 414 27,5 0,954 18,0 0,89 84 73,0 1,536 7,82 9,87
 Países Baixos 41 540 17 132 854 899 530 829 783 52 503 28,2 0,933 24,8 0,84 82 76,8 1,530 8,63 8,89
 Polônia 312 680 37 975 841 1 102 293 080 831 29 026 0,872 42,8 0,66 60 67,8 1,654 28,89 6,67
 Portugal 92 225 10 293 718 326 029 976 815 31 673 35,5 0,850 25,3 0,71 64 65,3 1,274 12,65 7,84
 Reino Unido 243 610 66 022 273 2 856 703 440 289 43 269 33,2 0,920 36,7 0,80 80 78,9 1,801 22,23 8,53
 República Tcheca 78 870 10 591 323 384 753 663 283 36 327 25,9 0,891 37,6 0,73 59 73,7 1,383 24,89 7,69
 Suécia 447 420 10 067 744 505 482 949 469 50 208 29,2 0,937 20,3 0,85 85 75,2 1,533 8,31 9,39
  Suíça 41 290 8 466 017 547 853 971 543 64 712 32,3 0,946 18,7 85 81,9 1,375 10,52 9,03
 Turquia 785 350 80 745 020 2 140 141 581 685 26 505 41,9 0,808 80,3 0,42 41 64,6 3,015 52,81 4,37
OCDEb 36 328 730 1 300 865 255 56 394 326 347 476 43 351 33,1 0,895 33,3 0,74 68 72,2 1,665 20,46 8,09
País Área
(km2)
2017
População
2017
PIB (PPC)
(Intl. $)
2017
PIB (PPC)
per capita

(Intl. $)
2017
Desigualdade
2008-2016
IDH
2018
IEF
2019
IED
2019
IPC
2018
ILF
2019
IGP
2019
ILI
2019
ID
2018
  • a O índice de Estados frágeis não fornece números para Israel em si, mas fornece uma média (76,5) para "Israel e Cisjordânia".
  • b Total da OCDE usado para os indicadores 1 a 3; média ponderada da OCDE usada para o indicador 4; média não ponderada da OCDE usada para os indicadores 5 a 13.
Nota: as cores indicam a posição global do país no respectivo indicador. Por exemplo, uma célula verde indica que o país está classificado nos 25% superiores da lista (incluindo todos os países com dados disponíveis).
Quartil superior Quartil superior-médio Quartil médio-baixo Quartil baixo

Membros em potencial[editar | editar código-fonte]

País Área
(km2)
2017
População
2017
PIB (PPC)
(Intl. $)
2017
PIB (PPC)
per capita

(Intl. $)
2017
Desigualdade
2008-2016
IDH
2018
IEF
2019
IED
2019
IPC
2018
ILF
2019
IGP
2019
ILI
2019
ID
2018
 Rússia 17 098 250 144 496 740 3 783 634 636 966 25 766 37,7 0,824 74,7 0,47 28 58,9 3,093 50,31 2,94
 Argentina 2 780 400 44 044 811 918 032 825 601 20 843 40,6 0,830 46,0 0,58 40 52,2 1,989 28,30 7,02
 Brasil 8 515 770 207 833 831 3 255 144 799 735 15 662 53,3 0,761 71,8 0,53 35 51,9 2,271 32,79 6,97
 Bulgária 111 000 7 075 947 148 227 624 522 20 948 37,4 0,816 50,6 0,54 42 69,0 1,607 35,11 7,03
 Croácia 56 590 4 124 531 108 456 655 618 26 295 31,1 0,837 47,5 0,61 48 61,4 1,645 29,03 6,57
 Peru 1 285 220 31 444 297 433 059 982 554 13 772 43,3 0,759 68,2 0,51 35 67,8 2,016 30,22 6,60
 Romênia 238 400 19 587 491 520 937 675 792 26 595 35,9 0,816 47,8 0,64 47 68,6 1,606 25,67 6,38
OECDb 36 328 730 1 300 865 255 56 394 326 347 476 43 351 33,1 0,895 33,3 0,74 68 72,2 1,665 20,46 8,09
País Área
(km2)
2017
População
2017
PIB (PPC)
(Intl. $)
2017
PIB (PPC)
per capita

(Intl. $)
2017
Desigualdade
2008-2016
IDH
2018
IEF
2019
IED
2019
IPC
2018
ILF
2019
IGP
2019
ILI
2019
ID
2018
Quartil superior Quartil superior-médio Quartil médio-baixo Quartil baixo

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «About the OECD - OECD». www.oecd.org (em inglês). Consultado em 27 de agosto de 2020 
  2. «World Economic Outlook Database». Fundo Monetário Internacional. 17 de abril de 2018 
  3. «Report for Selected Country Groups and Subjects (PPP valuation of country GDP)». IMF. Consultado em 9 de maio de 2018 
  4. «Intergovernmental Organizations». www.un.org 
  5. a b «Organisation for European Economic Co-operation». OECD. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  6. «Soviet Union rejects Marshall Plan assistance This Day in History — 7/2/1947». History.com. Consultado em 30 de maio de 2013 
  7. «The Economic Cooperation Authority». Marshallfoundation.org. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2007 
  8. «What is the OECD? Definition and Meaning». marketbusinessnews.com. Consultado em 6 de dezembro de 2017 
  9. «Organisation for European Economic Co-operation». OECD. Consultado em 6 de dezembro de 2017 
  10. «Getting to the OECD». OECD. Consultado em 28 de abril de 2016 
  11. «Member Countries' Budget Contributions for 2017». OECD. Consultado em 5 de julho de 2018 
  12. «Entenda o que é a OCDE, o "clube dos países ricos"». UOL. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  13. «Intergovernmental and Other Organizations». Nações Unidas. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  14. Christopher, Warren (1998). In the stream of history: shaping foreign policy for a new era. [S.l.]: Stanford University Press. p. 165. ISBN 978-0-8047-3468-4 
  15. «A majestic start: How the OECD was won, in OECD Yearbook 2011». OECD Observer. Consultado em 30 de maio de 2013 
  16. a b c «History of relations between Slovenia and the OECD». Ministério das Relações Exteriores da Eslovênia. Consultado em 31 de outubro de 2010 [ligação inativa] 
  17. a b «The Czech Republic in the OECD». Permanent Delegation of the Czech Republic to the OECD 
  18. «A vision for Poland: Joining the world's most advanced». OECD. 23 de novembro de 2006. Consultado em 3 de agosto de 2013 
  19. «South Korea joins OECD». Chicago Tribune. 25 de outubro de 1996. Consultado em 3 de agosto de 2013 
  20. «International Organisations – Turkey's attempts to exclude Cyprus' membership». Cyprus Ministry of Foreign Affairs. Setembro de 2010. Consultado em 4 de novembro de 2011. Cópia arquivada em 16 de setembro de 2011 
  21. «Ministry of Foreign Affairs of Latvia: Co-operation between the OECD and Latvia». Ministry of Foreign Affairs of Latvia. 19 de dezembro de 2006. Consultado em 4 de novembro de 2011 
  22. «Slovenia and the OECD». OECD. Consultado em 31 de março de 2012 
  23. «Malta applies to join OECD as full member». Maltamedia. 24 de setembro de 2005. Consultado em 4 de novembro de 2011 
  24. Beatty, Andrew. «EU gives ground in OECD membership battle». European Voice. Consultado em 30 de maio de 2013 
  25. «Romania's candidacy for OECD membership» (Nota de imprensa). Romanian Ministry of Foreign Affairs. Consultado em 30 de maio de 2013 
  26. «Bulgarian Govt to Confirm OECD Membership Bid». Novinite. 25 de setembro de 2012. Consultado em 25 de setembro de 2012 
  27. «Chair's summary of the OECD Council at Ministerial Level, Paris, 15–16 May 2007 – Innovation: Advancing the OECD Agenda for Growth and Equity» (Nota de imprensa). OECD. 16 de maio de 2007. Consultado em 26 de julho de 2008 
  28. «Chile's accession to the OECD». OECD. 7 de maio de 2010. Consultado em 7 de maio de 2010 
  29. «Statement by the OECD regarding the status of the accession process with Russia & co-operation with Ukraine» (Nota de imprensa). OECD. 13 de março de 2014. Consultado em 5 de julho de 2018 
  30. «OECD halts membership talks with Russia». Ledger-Enquirer. 13 de março de 2014. Consultado em 5 de julho de 2018. Cópia arquivada em 13 de março de 2014 
  31. «Global OECD boosted by decision to open membership talks with Colombia and Latvia with more to follow» (Nota de imprensa). OECD. 30 de maio de 2013. Consultado em 12 de julho de 2013 
  32. «Latvia becomes full-fledged OECD member». LETA. 1 de julho de 2016. Consultado em 4 de julho de 2016 
  33. «Lietuva tapo 36-ąja EBPO nare» [Lithuania became the 36th member of the OECD]. Verslo Žinios. 5 de julho de 2018. Consultado em 5 de julho de 2018 
  34. «OECD countries agree to invite Colombia as 37th member» (Nota de imprensa). OECD. 25 de maio de 2018. Consultado em 3 de junho de 2018 
  35. «Colômbia se torna o 37º país membro da OCDE» (Nota de imprensa). g1.globo.com. 28 de abril de 2020. Consultado em 30 de abril de 2020 
  36. «Peru eager to become an OECD member». Andina.com.pe. 15 de novembro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013 
  37. «Malaysia has applied to become a member of the Organisation for Economic Co-operation and Development». Daily Express. 24 de abril de 2011. Consultado em 30 de maio de 2013 
  38. «Brazil Is Seeking to Join the OECD Despite Its Political Crisis». Fortune. 31 de maio de 2017. Consultado em 22 de janeiro de 2018 
  39. Twitter. «PLENKOVIĆ U DAVOSU Sastao se s Federicom Mogherini, gruzijskim premijerom, švicarskom predsjednicom i šefom OECD-a -Jutarnji List». Jutarnji.hr. Consultado em 20 de janeiro de 2017 
  40. «List of OECD Member countries - Ratification of the Convention on the OECD». www.oecd.org. Consultado em 31 de julho de 2018 
  41. «Country Groups. High-income OECD members». The World Bank. Consultado em 23 de janeiro de 2009 
  42. «Country Groups. High-income economies». The World Bank. Consultado em 10 de maio de 2010 
  43. a b c d e «World Development Indicators». World Bank. 18 de outubro de 2018 
  44. «2019 Human Development Report» (PDF). United Nations Development Programme. 2019. Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  45. «Global Data | Fragile States Index». The Fund for Peace. 23 de abril de 2018 
  46. «Rule of Law Index 2017-2018». World Justice Project. 31 de janeiro de 2018 
  47. «Corruption Perceptions Index 2017». Transparency International. 21 de fevereiro de 2018 
  48. «Country Rankings: World & Global Economy Rankings on Economic Freedom». Heritage Foundation. 2 de fevereiro de 2018 
  49. «Global Peace Index 2018». Vision of Humanity. 6 de junho de 2018 
  50. «2018 World Press Freedom Index». Reporters Without Borders. 25 de abril de 2018 
  51. «Democracy Index 2017» (PDF). Economist Intelligence Unit. 31 de janeiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons