Hordéolo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hordéolo
Terçolho externo da pálpebra superior
Sinónimos Terçolho, terçó, terçogo, terçol[1]
Especialidade Oftalmologia
Sintomas Inchaço sensível na borda de uma pálpebra[2]
Início Qualquer idade[3]
Duração Alguns dias ou semanas[4]
Causas Geralmente uma infecção bacteriana por Staphylococcus aureus[4]
Condições semelhantes Chalázio[5]
Tratamento Compressas quentes, gotas antibióticas[6][7]
Classificação e recursos externos
CID-10 H00.0
CID-9 373.11
DiseasesDB 12583
MedlinePlus 001009
eMedicine emerg/755
MeSH D006726
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Um hordéolo, conhecido popularmente como terçol ou terçolho, é uma infecção bacteriana de uma glândula sebácea da pálpebra.[5] A infeção causa um inchaço sensível na borda da pálpebra.[2][6] Pode afetar tanto o exterior (hordéolo externo) como o interior da pálpebra (hordéolo interno).[4] Os terçolhos geralmente aparecem no meio da pálpebra e são indolores.[6]

Os terçolhos são geralmente causados por uma infecção bacteriana por Staphylococcus aureus.[4][7] Os terçolhos internos são o resultado da infeção da glândula acinotarsal, enquanto os externos são o resultado de uma infeção da glândula de Zeis.[6] O terçolho é uma condição diferente do chalázio, que é o bloqueio de uma glândula sem que haja infeção.[5]

Na maior parte dos casos, um terçolho desaparece espontaneamente ao fim de alguns dias ou semanas sem necessidade de tratamento específico.[4] Entre as recomendações para acelerar o processo estão a aplicação de compressas quentes.[6] Em alguns casos pode ser recomendada a aplicação de gotas de antibiótico.[7] Embora estas medidas sejam frequentemente recomendadas, há poucas evidências que as apoiem.[4] Desconhece-se a frequência em que ocorrem terçolhos.[3] A condição pode aparecer em qualquer idade.[3]


Referências

  1. «Terçolho». Dicionário Priberam da língua portuguesa. Consultado em 18 de janeiro de 2018 
  2. a b «Hordeolum (Stye)». PubMed Health. Consultado em 14 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 8 de setembro de 2017 
  3. a b c Ferri, Fred F. (2016). Ferri's Clinical Advisor 2017: 5 Books in 1 (em inglês). [S.l.]: Elsevier Health Sciences. p. 1219. ISBN 9780323448383. Cópia arquivada em 18 de outubro de 2016 
  4. a b c d e f Lindsley K, Nichols JJ, Dickersin K (2017). «Non-surgical interventions for acute internal hordeolum». Cochrane Database Syst Rev (1): CD007742. PMID 28068454. doi:10.1002/14651858.CD007742.pub4 
  5. a b c «Eyelid Disorders Chalazion & Stye». NEI. 4 de maio de 2010. Consultado em 14 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 18 de outubro de 2016 
  6. a b c d e Carlisle, RT; Digiovanni, J (15 de julho de 2015). «Differential Diagnosis of the Swollen Red Eyelid.». American Family Physician. 92 (2): 106–12. PMID 26176369 
  7. a b c Deibel, JP; Cowling, K (maio de 2013). «Ocular inflammation and infection.». Emergency medicine clinics of North America. 31 (2): 387–97. PMID 23601478. doi:10.1016/j.emc.2013.01.006 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Hordéolo