Degeneração macular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Degeneração macular
Imagem de fundo de olho exibindo degeneração macular relacionada à idade (DMRI).
Classificação e recursos externos
CID-10 H35.3
CID-9 362.50
DiseasesDB 11948
MedlinePlus 001000
eMedicine article/1223154
MeSH D008268

A degeneração macular, também conhecida como degeneração macular relacionada à idade (DMRI), é uma condição médica que provoca perda de visão no centro do campo visual (a mácula), devido a danos na retina.[1] O início do quadro é frequentemente assintomático. Com o tempo, no entanto, os indivíduos acometidos percebem uma piora gradual da visão, que pode afetar um ou ambos os olhos, que torna difícil a realização de atividades rotineiras, como dirigir, ler e até mesmo reconhecer rostos. O paciente também pode sofrer alucinações visuais não relacionadas a qualquer distúrbio mental.[1]

A degeneração macular normalmente ocorre em pessoas idosas. Além da condição etária, fatores genéticos e o tabagismo também podem influenciar o processo de danos à mácula. O diagnóstico é feito pelo exame oftalmológico completo, onde a degeneração é classificada como precoce, intermediária ou tardia.[1][2][3] Adicionalmente, ela é classificada quanto à sua apresentação: exsudativa/úmida ou atrófica/seca, sendo que a segunda forma corresponde à 90% dos casos.[1][4][2][5]

A prevenção inclui a prática de exercícios físicos regulares, boa alimentação e não tabagismo.[1] Não há evidências de que vitaminas antioxidantes e minerais possam ser úteis na prevenção da degeneração macular, mas suplementos vitamínicos podem retardar a progressão da doença.[6] Não existe cura ou tratamento para os graus de visão perdidos. Na forma exsudativa/úmida, a injeção intravítrea de anti-VEGF (fator de crescimento endotelial) ou, menos comumente, a fotocoagulação a laser e a terapia fotodinâmica podem retardar o agravamento do quadro.[1][7][8]

Estima-se que, no ano de 2010, a degeneração macular afetou 23,5 milhões de pessoas no mundo.[9] Em 2013, a doença em estágio moderado a grave afetou outras 13,4 milhões pessoas, tornando-se a quarta causa mais comum de cegueira, após a catarata, partos prematuros e o glaucoma.[10] A degeneração macular acomete geralmente indivíduos com mais de cinquenta anos e nos Estados Unidos é a causa mais comum de perda de visão nessa faixa etária.[1][4] Cerca de 0,4% das pessoas entre 50 e 60 anos tem a doença, 0,7% das pessoas entre 60 a 70, 2,3% das pessoas entre 70 a 80 anos e quase 12% das pessoas com mais de 80 anos de idade.[4]

Referências

  1. a b c d e f g «Facts About Age-Related Macular Degeneration». National Eye Institute. U.S. Department of Health and Human Services - National Institutes of Health. 2015. Consultado em 23 de Agosto de 2016. 
  2. a b Torres et al 2009, p. 406-412.
  3. Kudrimoti et al 2012, p. 505.
  4. a b c Mehta 2015, p. 377-391.
  5. Queiroz et al 2010, p. 400-406.
  6. Evans, Henshaw 2008.
  7. Garcia Filho et al 2012, p. 63-69.
  8. Nehemy 2006, p. 955-958.
  9. Velez-Montoya et al 2014, p. 423-441.
  10. OMS 2015, p. 743-800.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.