Josephine Hull

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2009). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Josephine Hull
Screenshot de Josephine no trailer de Harvey.
Nome completo Josephine Sherwood
Nascimento 3 de janeiro de 1877
Newtonville, Massachusetts
 Estados Unidos
Nacionalidade Estadunidense
Morte 12 de março de 1957 (80 anos)
Nova Iorque, Nova Iorque
 Estados Unidos
Ocupação Atriz
Atividade 1929 - 1955
Cônjuge Shelly Hull (1910 - 1919)
Oscares da Academia
Melhor atriz (coadjuvante/secundária)
1951 - Harvey
Globos de Ouro
Golden Globe Awards Melhor atriz (coadjuvante/secundária) em cinema
1951 - Harvey

Josephine Hull (3 de janeiro de 188612 de março de 1957) foi uma atriz estadunidense. Ela teve uma bem sucedida carreira de 50 anos no teatro, tendo alguns do seus papéis de sucesso, filmados.[1][2][3][4]

Vida[editar | editar código-fonte]

Hull nasceu Josephine Sherwood em Newtonville, Massachusetts. Estudou no New England Conservatory of Music, em Boston e no Radcliffe College, em Cambridge, Massachusetts.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Fez sua estreia em teatro em 1905 e após alguns anos se casou com o ator Shelley Hull (irmão mais velho do famoso ator Henry Hull), em 1910. Quando seu marido morreu, muito jovem, em 1919, a atriz se afastou até 1923, quando retornou sob o nome de Josephine Hull. Ela e Shelley não tiveram filhos.

Hull teve seu primeiro sucesso nos palcos com Pulitzer-winning Craig's Wife, de George Kelly, em 1926. Kelly escreveu um papel especialmente para ela em seu próximo espetáculo, Daisy Mayme, que também foi encenada em 1926. Ela continuou trabalhando no teatro em Nova Iorque durante a década de 1920. Nos anos 30 e 40, Hull apareceu em três sucessos da Broadway, como a matriarca Batty em You Can't Take It With You, em 1936, como uma louca, mas encantadora velhinha homicida em Arsenic and Old Lace, em 1941 e em Harvey, em 1944. Os espetáculos tiveram temporadas longas e custou 10 anos de carreira de Hull.

Sua última peça na Broadway foi The Solid Gold Cadillac, entre 1953 e 1955, transformada em filme no ano seguinte, com a jovem Judy Holliday defendendo o papel que fora seu.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Hull somente fez seis filmes, começando com o filme de 1929, The Bishop's Candlesticks. Este foi seguido por duas produções da FOX de 1932, After Tomorrow (reprisando seu papel dos palcos) e Careless Lady. Ela perdeu a recriação de seu papel em You Can't Take It With You, quando ela ainda estava atuando nos palcos. Spring Byington apareceu na versão cinematográfica.

Hull e a canadense Jean Adair atuaram como as irmãs Brewster no filme de 1944, Arsenic and Old Lace (estrelado por Cary Grant) e estava na versão cinematográfica de Harvey, assim atuando como a irmã de James Stewart. É por esse papel que ganhou o Óscar de melhor atriz (coadjuvante/secundária).

Após isso, Hull fez apenas mais um filme The Lady from Texas, de 1951. Também apareceu na versão televisiva de Arsenic and Old Lace, em 1949 com Ruth McDevitt (uma atriz que, muitas vezes, consegui papéis na Broadway para Josephine) como sua irmã.

Mudando para o Bronx, Hull havia se aposentado poucos anos antes de sua morte, em 1957, de hemorragia cerebral.[1]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas
1929 The Bishop's Candlesticks
1932 Careless Lady Aunt Cora
After Tomorrow Mrs. Piper
1944 Arsenic and Old Lace Aunt Abby Brewster
1950 Harvey Veta Louise Simmons Oscar de melhor atriz (coadjuvante/secundária)
Globo de Ouro para melhor atriz (coadjuvante/secundária) em cinema
1951 The Lady from Texas Miss Birdie Wheeler

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Mercedes McCambridge
por All the King's Men
Oscar de melhor atriz (coadjuvante/secundária)
por Harvey

1951
Sucedida por:
Kim Hunter
por A Streetcar Named Desire
Precedida por:
Mercedes McCambridge
por All the King's Men
Globo de Ouro de melhor atriz (coadjuvante/secundária) em cinema
por Harvey

1951
Sucedida por:
Kim Hunter
por A Streetcar Named Desire

Referências

  1. a b Anita Gates (15 de julho de 2012). «Celeste Holm, Witty Character Actress, Is Dead at 95». The New York Times. Consultado em 23 de dezembro de 2014. Celeste Holm, the New York-born actress who made an indelible Broadway impression as an amorous country girl in Rodgers and Hammerstein's "Oklahoma!", earned an Academy Award as the knowing voice of tolerance in "Gentleman's Agreement" and went on to a six-decade screen and stage career, frequently cast as the wistful or brittle sophisticate, died early Sunday at her apartment in Manhattan. She was 95. Her death was announced by Amy Phillips, a great-niece. Ms. Holm had a heart attack at Roosevelt Hospital in New York last week while being treated there for dehydration, but she was taken home on Friday. 
  2. «Oscar-Winning Actress Celeste Holm Dies At 95». Huffington Post. 15 de julho de 2012 
  3. http://todayentertainment.today.msnbc.msn.com/_news/2012/07/15/12752807-oscar-winning-actress-celeste-holm-dies-at-95?lite
  4. «Fire At Robert De Niro's NYC Apartment; No Injuries». Huffington Post. 9 de junho de 2012